Página 1 dos resultados de 372 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

Educação ambiental e extração clandestina de palmito juçara (Euterpe edulis): o caso do Parque Estadual "Carlos Botelho"-São Paulo.; Environmental education and clandestine extraction of the heart of palm euterpe edulis: the case "Carlos Botelho" state park.

Nogueira, Maria Cláudia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/09/2003 Português
Relevância na Pesquisa
37.617046%
Neste trabalho investigou-se planos e ações de educação ambiental do Parque Estadual “Carlos Botelho” (PECB) buscando possíveis relações com os distúrbios antrópicos em seu interior causados pela extração clandestina de palmito (Euterpe edulis). Esta área é considerada uma Unidade de Conservação de Proteção Integral e abrange 37.644,36 ha localizados na região sul do Estado de São Paulo. Sua porção que pertence ao Vale do Ribeira, em conjunto com outras unidades de conservação (Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira e Parque Estadual Intervales), compõem um importante continuum ecológico do estado de São Paulo. Entre 1988 a 1994, apesar do poder público não destinar recursos institucionais para a formalização de atividades educacionais no PECB, iniciam-se as atividades de educação ambiental nessa área com o apoio financeiro do World Wildlife Fund (WWF) e da Fundação O Boticário de Proteção à Natureza. A partir da coleta e analise dos processos técnico-administrativos, dos relatórios de projetos e das atas de reunião do Parque, referentes ao período de 1988 a 2000, obteve-se os elementos necessários para compreender o histórico do Programa e sua fundamentação pedagógica. A metodologia adotada foi a de estudo de caso. Foram compilados também dados secundários sobre a extração de palmito na polícia ambiental e delegacia da região e realizadas entrevistas com indivíduos que...

Utilização do palmito basal de pupunha em alternativa ao palmito foliar, visando aumentar o aproveitamento da palmeira Bactris gasipaes; Use of the basal palm of peach palm in alternative to the foliaceous palm, to increase the use of the palm tree Bactris gasipaes

Silva, Paula Porrelli Moreira da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.90783%
O palmito pode ser obtido a partir de várias espécies de palmeiras. Devido à alta taxa de exploração das palmeiras do gênero Euterpe e ao seu baixo poder de regeneração, no mercado consumidor há falta de produto de boa qualidade. Palmeiras mais precoces e que produzam bom palmito têm sido pesquisadas, uma delas é a pupunha (Bactris gasipaes), nativa da Amazônia que apresenta características de precocidade, rusticidade e perfilhamento, com palmito de ótima qualidade, diferindo dos demais pelo sabor adocicado e a coloração amarelada. O seu cultivo pode ser feito em grande parte do território brasileiro. A porção comestível do palmito de pupunha é dividida em três partes: a basal ou caulinar (coração), a apical, e a central ou foliar (creme ou tolete). O comércio de palmito privilegia a parte central da palmeira, vendendo o palmito basal como subproduto. O presente estudo tem como objetivo demonstrar a equivalência da qualidade do palmito basal e do foliar de pupunha, priorizando-se o tratamento adicional com ácido acético, que mascara o seu sabor adocicado, comparado com o ácido cítrico, largamente utilizado nas indústrias. As amostras de palmito de pupunha foram cultivadas em área experimental pertencente a ESALQ/USP; para o processamento foram cortadas 120 palmeiras em março de 2007. Foram analisadas características físicas...

Avaliação do palmito pupunha (Bactris gasipaes Kunth) processado  por radiação ionizante; EVALUATION OF PEACH PALM (Bactris gasipaes Kunth) PROCESSED BY RADIATION

Silva, Priscila Vieira da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.680876%
O palmito pode ser obtido de várias espécies de palmeiras, porém a pupunha vem despertado um grande interesse pelos produtores, pois apresenta características de precocidade, rusticidade e perfilhamento, gerando um palmito de ótima qualidade e se diferenciando dos demais palmitos pela sua cor amarelada e sabor adocicado. A irradiação de alimentos têm sido empregada como medida de tratamento para garantir a segurança microbiológica destes produtos evitando infecções alimentares. Seu uso combinado com o processamento mínimo poderia aumentar a segurança e qualidade dos vegetais minimamente processados. Os objetivos deste trabalho foram avaliar o efeito da radiação gama e em feixes de elétrons no controle de bactérias; avaliar as características físicas através de análises de cor e textura em palmito pupunha in natura e minimamente processados submetidos a radiações ionizantes, armazenados sob refrigeração à 8º C, assim como também avaliar as características sensoriais. Os resultados nas análises microbiológicas mostraram que a radiação ionizante promove diminuição da carga microbiana em ambos os tratamentos. Nas análises de cor podemos concluir que entre todos os tratamentos a amostra de 1,5 kGy apresentou mais diferença em relação as outras amostras analisadas. Nas características de textura...

Reação em cadeia de polimerase quantitativa para determinação da expressão gênica da neurotoxina de clostridium botulinum tipo A em palmito

Oliveira, Erika de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: xiii, 33 f.
Português
Relevância na Pesquisa
37.80398%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Microbiologia Agropecuária - FCAV; O presente estudo foi realizado com o intuito de desenvolver o PCR quantitativo para detecção dos níveis de mRNA da toxina botulínica tipo A em palmito. Foram desenhados primers para o gene codificador da toxina botulínica tipo A, os quais apresentaram especificidade e sensibilidade elevadas. Cepas referência de Clostridium botulinum tipo B, C, D, E, F, G e Clostridium butyricum, baratii e argentinense foram utilizadas para verificação da especificidade dos primers sintetizados. Diluições seriadas de cultura da cepa referência de Clostridium botulinum tipo A foram inoculadas em amostras de palmito e separadas em dois grupos: palmito comercial com conservantes e palmito sem conservantes e incubadas a 4°, 25° e 37°C. Alíquotas dessas amostras contaminadas experimentalmente foram submetidas a extração de RNA, para determinação do limiar de detecção da técnica de PCR quantitativo, assim como inoculadas em camundongos para o teste de toxicidade aguda (bioensaio). O bioensaio apresentou sensibilidade característica e detectou a presença da toxina botulínica nas amostras de palmito sem conservantes. No entanto...

Estudo da cinetica de acidificação de palmito em conserva; Study of the kinetic of acidification in canned heart of palm

Ernesto Quast
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/11/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.680876%
A garantia da segurança microbiológica de alimentos prontos para o consumo é essencial para a sua comercialização. Alimentos sensíveis ao calor, como o palmito, podem ser conservados com tratamentos térmicos brandos, adição de conservantes químicos, diminuição do pH ou por métodos combinados. Aliando-se a pasteurização com a acidificação adequada é possível impedir a germinação de Clostridium botulinum. A difusão de ácido até o interior do tecido vegetal deve ocorrer durante um intervalo de tempo que não seja suficiente para permitir a germinação de esporos, multiplicação das células e conseqüente formação de toxina botulínica. A cinética de acidificação dos diferentes tecidos que compõe o tolete de palmito foi estudada, observando-se uma diferença significativa do tempo necessário para o abaixamento do pH dos mesmos. O tempo para a acidificação de toletes de com diferentes comprimentos também foi avaliado, sendo observado o desenvolvimento de esporos de C. sporogenes (PA3679) em toletes de palmito pupunha com comprimento maior que 3 cm, com pH de equilíbrio de 4,41, indicando a possibilidade da formação de toxina botulínica em toletes com tamanho comercial em pH de equilíbrio = 4,5 desde que exista a presença de esporos de C. botulinum no seu interior. O palmito não é um meio rico para o desenvolvimento de esporos de PA3679...

Relação entre caracteres da planta e do palmito de açaizeiros

Bovi,Marilene Leão Alves; Godoy Júnior,Gentil; Spiering,Sandra Heiden; Camargo,Sérgio Bueno de
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1990 Português
Relevância na Pesquisa
37.80398%
Estudaram-se caracteres vegetativos da planta e do palmito de açaizeiros (Euterpe oleracea Mart) cultivados na Estação Experimental de Ubatuba, litoral norte do Estado de São Paulo, Brasil, com o objetivo principal de identificar caracteres não-destrutíveis que possam ser utilizados na seleção de plantas superiores no programa de melhoramento genético dessa palmeira. Entre os dez caracteres estudados, o número de perfilhos, o peso bruto do palmito e os pesos do resíduo basal e do palmito mostraram maior variabilidade (CV acima de 40%). Menor variabilidade foi encontrada para os caracteres número de folhas e circunferência da planta-mãe (CV entre 14 e 18%). O peso, os diâmetros e o comprimento do palmito mostraram-se positivamente correlacionados com a circunferência da planta. Correlação negativa foi evidenciada entre peso bruto do palmito e número de perfilhos e entre esta última variável e o peso do resíduo basal. O número de folhas mostrou correlação parcial significativa apenas com o diâmetro médio do palmito e com o peso do palmito bruto. Entre os caracteres vegetativos não-destrutíveis avaliados, a circunferência da planta foi o que mais contribuiu para a variação apresentada pelo palmito bruto e liquído (peso...

Efeito de enzimas de maceração na textura do palmito (Euterpe edulis Mart)

GRIZOTTO,Regina Kitagawa; MENEZES,Tobias J.B.de
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1997 Português
Relevância na Pesquisa
37.680876%
Com a finalidade de ampliar o aproveitamento da palmeira produtora do palmito estudou-se a influência da poligalacturonase e de enzimas maceradoras na textura das partes semi-rígidas do vegetal não-comestíveis, incubando-se preparados comerciais de celulase, hemicelulase e poligalacturonase com o palmito preparado na forma de pequenos toletes (1-3 cm de comprimento) e em porções de 2cm do raquis do vegetal. Embora os tratamentos com hemicelulase e mistura de hemicelulase e poligalacturonase tenham promovido ligeiro amaciamento do palmito, os resultados mostraram ,de modo geral, acréscimo na textura do palmito cortado em porções de 3,0 cm e em fatias de 1,0 cm indicando solubilização intensa das regiões suscetíveis a hidrólise com a permanência das regiões duras mais ricas em lignina. Como nos outros tecidos do palmito, no raquis fibroso, não foi comprovada estatiscamente a ação das enzimas na textura do vegetal.

Qualidade do palmito da palmeira real em conserva

Berbari,Shirley Aparecida Garcia; Prati,Patricia; Junqueira,Valéria Christina Amstalden
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.680876%
A pesquisa teve como objetivo avaliar o aproveitamento industrial e a qualidade do palmito da palmeira Real Australiana (Archontophoenix alexandrae e A. cunninghamiana) em comparação aos palmitos das palmeiras Açaí (Euterpe oleracea) e Pupunha (Bactris gasipaes). O palmito foi processado como conserva acidificada e pasteurizada e submetido às análises de comprimento e diâmetro dos toletes, peso bruto, líquido e drenado, espaço livre, vácuo, pH, avaliação microbiológica, cor e textura objetivas e avaliação sensorial quanto à cor, aparência, textura, sabor e preferência geral. Os resultados da pesquisa mostraram que o palmito da palmeira Real é adequado para processamento em forma de conserva acidificada e pasteurizada, apresentando características sensoriais semelhantes às das outras variedades. Do ponto de vista da estabilidade ao armazenamento, as análises físico-químicas e microbiológicas mostraram que o palmito da palmeira Real em conserva se apresentou estável durante o período de doze meses de armazenamento. Pode-se afirmar então, que a palmeira Real Australiana apresenta boa qualidade em termos de industrialização na forma de palmito em conserva acidificada e pasteurizada.

Rendimento do palmito de pupunha em função da densidade de plantio, diâmetro de corte e manejo dos perfilhos, no Vale do São Francisco

Flori,José E.; Resende,Geraldo M.; Drumond,Marcos A.
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2001 Português
Relevância na Pesquisa
37.892524%
Com o objetivo de avaliar a produção e o rendimento de palmito de pupunha, instalou-se um experimento na Estação Experimental de Mandacaru, Juazeiro (BA), em solo argiloso. O delineamento utilizado foi de blocos ao acaso com parcelas subdivididas com três repetições. A parcela principal constituiu-se dos espaçamentos 2,0 m x 1,0 m (E1) e 2,0 m x 1,5 m (E2) e as subparcelas constituíram-se do arranjo fatorial 2x3: dois manejos de perfilhos e três classes de diâmetros de corte. A área útil das subparcelas foi de 14 m² (E1) e 12 m² (E2). Foram avaliados o diâmetro e altura da planta, comprimento e rendimento do palmito e número de estipes colhidos por parcela. Os resultados referem-se às colheitas realizadas dos 16 aos 42 meses após o plantio, realizadas a cada três meses. O diâmetro de corte afetou significativamente o rendimento, o número de estipes, o peso médio do palmito e a altura da planta. Colheu-se 1,86, 1,58 e 1,05 t/ha de palmito nas classes de diâmetros de 9,7 a 11,3 cm, 11,4 a 13,4 cm e 13,5 a 15,6 cm, respectivamente. Não verificou-se diferença de rendimento entre as classes de diâmetro de 9,7 a 11,3 cm e 11,4 a 13,4 cm. A classe de diâmetro afetou o número de estipes e peso médio do palmito. Nas classes de diâmetro de 9...

Rendimento de palmito de pupunheira em função da aplicação de esterco bovino e adubação química

Nascimento,João T.; Oliveira,Ademar P. de; Souza,Adailson P. de; Silva,Ivandro de F. da; Alves,Adriana U.
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2005 Português
Relevância na Pesquisa
37.680876%
Com o objetivo de avaliar o efeito do esterco bovino em presença e ausência de NPK na produção de palmito em pupunheira, foi conduzido um experimento em NEOSSOLO REGOLÍTICO de textura areia-franca, de abril/2000 a maio/2002 na Universidade Federal da Paraíba, em Areia. O delineamento experimental foi de blocos casualizados, com os tratamentos distribuídos em esquema fatorial 4 x 2 com os fatores doses de esterco bovino (0; 10; 20; e 30 t ha-1) e presença e ausência de NPK, em quatro repetições, com parcelas de 20 plantas espaçadas 2 x 1 m. Os rendimentos máximos estimados de palmito de primeira (0,84 t ha-1) e de segunda (1,1 t ha-1) foram obtidos com 15,4 e 14 t ha-1 de esterco bovino, respectivamente, ambos na presença de NPK. Na ausência de NPK, as doses de 15,8 e 16 t ha-1 de esterco bovino foram responsáveis pelos rendimentos máximos de palmito de primeira (0,76 t ha-1) e de segunda (1,0 t ha-1), respectivamente. O rendimento total de palmito, na presença de NPK, atingiu valor máximo estimado de 1,94 t ha-1 com 15 t ha-1 de esterco bovino. Na ausência de NPK a dose de 16,6 t ha-1 de esterco bovino foi responsável pelo rendimento máximo de 1,85 t ha-1 de palmito.

Caracterização química do palmito guariroba in natura e congelado

Hiane,Priscila Aiko; Silva,Valéria Cristina Ferreira; Ramos Filho,Manoel Mendes; Ramos,Maria Isabel Lima; Campos,Raquel Pires
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.680876%
No Brasil, diversos tipos de palmeiras nativas podem fornecer palmito de boa qualidade, dentre elas destaca-se a guarirobeira (Syagrus oleracea (Mart.) J. Becc.), pelo palmito de sabor diferenciado e grande aceitação na região do Cerrado. O objetivo do presente trabalho foi determinar as características do palmito de guariroba, quanto à umidade, resíduo mineral fixo, lipídios totais, proteínas, glicídios redutores e não-redutores, fibras totais, valor calórico, ácido ascórbico, compostos fenólicos, pH e minerais (potássio, fósforo, cálcio, sódio e ferro), verificando o efeito do processamento (branqueamento, acidificação e congelamento) no produto a ser comercializado congelado. Os valores médios diferiram significativamente (P<0,05) entre as amostras in natura e congeladas, respectivamente, para umidade 87,68 e 90,56g 100g-1, cinzas 0,96 e 0,73g 100g-1 e lipídios 0,44 e 0,24g 100g-1, além de ocorrer diminuição do valor energético de 11,64 para 9,97kcal 100g-1 de amostra integral. O uso do ácido cítrico no processamento do palmito guariroba reduziu o pH de 5,8 para 4,5 e foi eficiente para evitar seu escurecimento. O palmito guariroba congelado manteve-se como fonte de fibras e de compostos fenólicos, além de oferecer alto teor de vitamina C e de ferro.

Rendimento do palmito de pupunha em funcao da densidade de plantio, diametro de corte e manejo dos perfilhos, no Vale do Sao Francisco.

FLORI, J. E.; RESENDE, G. M. de; DRUMOND, M. A.
Fonte: Horticultura Brasileira, Brasilia, DF, v. 19, n. 2, p. 140-143, jul.2001. Publicador: Horticultura Brasileira, Brasilia, DF, v. 19, n. 2, p. 140-143, jul.2001.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
37.90783%
Com o objetivo de avaliar a producao e o rendimento de palmito le pupunha, instalou-se um experimento na Estacao Experimental ie Mandacaru, Juazeiro (BA), em solo argiloso. O delineamento utilizado foi de blocos ao acaso com parcelas subdivididas com tres epeticoes. A parcela principal constituiu-se dos espaçamentos 2,0 n x 1,0 m (E1) e 2,0 m x 1,5 m (E2 e as subparcelas constituiram-se 10 arranjo fatorial 2x3: dois manejos de perfilhos e tres classes de diametros de corte. A. area util das subparcelas foi de 14 m2 (E1) e 12 m2 (E2). Foram avaliados o diametro e altura da planta, comprimento e rendimento do palmito e numero de estipes colhidos por parcela. Os resultados referem-se as colheitas realizadas dos 16 aos 42 meses apos o plantio, realizadas a cada tres meses. O diametro de orte afetou significativamente o rendimento, o numero de estipes, o peso medio do palmito e a altura da planta. Colheu-se 1,86, 1,58 e 1,05 t/ha de palmito nas classes de diametros de 9,7 a 11,3 cm, 11,4 1 13,4 cm e 13,5 a 15,6 cm, respectivamente. Nao verificou-se diferença de rendimento entre as classes de diametro de 9,7 a 11,3 cm e 11,4 a 13,4 cm. A classe de diametro afetou o numero de estipes e peso m?dio do palmito. Nas classes de di?metro de 9...

Efeito da acidificação com diferentes ácidos sobre as características sensoriais e inibição do Clostridium botulinum no palmito de pupunha em conserva.

Ruth Vieira de Lemos Vasconcelos, Maria; Maria Freitas Pires, Edleide (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
37.680876%
A porção comestível do tronco de algumas palmeiras, utilizadas para a produção de palmito é um produto de importância para o Brasil como principal produtor e exportador na forma em coonserva, detendo 85% da produção mundial. A região Nordeste tem se destacado como produtora da variedade pupunha (Bactris gasipaes), nativa da Amazônia, que apresenta vantagens ecológicas por se tratar de palmeira cultivada, com características de perfilhamento, precocidade de produção e qualidade satisfatória. A ocorrência de toxinfecções por Clostridium botulinum provocadas pelo consumo de palmito industrializado levou o Ministério da Saúde a estabelecer a obrigatoriedade do uso de ácido associado à salmoura para produção de palmito com o objetivo de baixar o pH a limites inferiores a 4,5, desfavorecendo o desenvolvimento do Clostridium botulinum, assegurando portanto a saúde do consumidor. Normalmente o ácido cítrico é utilizado para atender as exigências, no entanto admite-se que outros ácidos podem ser utilizados com vantagem quanto aos aspectos sensoriais. Este trabalho teve por objetivo avaliar o efeito da acidificação do palmito de pupunha, cultivado em Pernambuco, com diferentes ácidos sobre as características do produto em conserva. Foram testados os ácidos: cítrico...

O agronegócio do palmito no Paraná

Corso, Néder Maciel
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.953894%
O palmito é um dos principais produtos não madeiráveis explorados no Brasil, que é o maior produtor e consumidor dessa iguaria no mundo. Atualmente, mais de 90% do palmito comercializado no país provêm do extrativismo das espécies Euterpe oleracea (açaí) e Euterpe edulis (juçara). Esse extrativismo tem sido efetuado, na maior parte, de maneira acentuada e sem a devida reposição, resultando na redução dos estoques de palmito nativo. Assim, as duas espécies têm sido alvo de restrições, tanto de caráter legal quanto econômico. Devido a essas restrições, aliado ao crescimento do mercado interno, produtores e agroindústrias do país estão investindo em um número significativo de projetos de palmito cultivado. Dentre as espécies cultivadas, Bactris gasipaes (pupunha) e Archontophoenix spp. (palmeira real) são as que tem apresentado a maior aceitação para o plantio comercial. Diante desse contexto, o objetivo geral do trabalho apresentado foi determinar a participação das espécies de origem extrativa e cultivada, nos diversos elos da cadeia produtiva do agronegócio palmito no Estado do Paraná. A caracterização da produção, da industrialização, da comercialização e do consumidor de palmito no Estado do Paraná foi realizada a partir de levantamento de dados oficiais e aplicação de questionários previamente elaborados junto aos principais agentes dessa cadeia produtiva. Ainda...

Analise economica da industria do palmito no Estado do Parana

Rosetti, Carlos Francisco; Berger, Ricardo
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.680876%
O presente trabalho de pesquisa foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a situação atual do parque industrial de conservas de palmito do Estado do Paraná. Para tanto, foi realizada pesquisa de campo junto aos produtores de conserva e órgãos públicos para coleta de informações e dados necessários a execução do estudo. O universo atual das indústrias paranaenses e formado por 7 unidades fabris, todas elas situadas na região litorânea do Estado. A atual indústria vem mostrando sinais de decadência em função da redução sensível no número de empresas atuantes no setor. O fator que concorre para esta situação é a crescente escassez de matéria-prima. A produção paranaense de conservas é praticamente toda ela direcionada a outros Estados da Federação. O fator que contribui para isto é o diferencial de Imposto sobre Circulação de Mercadorias -ICM -que incide quando as vendas são realizadas fora do Estado. De modo geral, as indústrias no setor adquirem a quase totalidade da matéria-prima de terceiros, pois as mesmas não possuem reservas florestais em quantidades suficientes para atender suas necessidades. Os preços das conservas de palmito no mercado internacional são atraentes além de estarem mantendo tendências de crescimento real. Mesmo com este fato e aliado a um mercado internacional comprador...

Caracterização química do palmito guariroba in natura e congelado

Hiane, Priscila Aiko; Silva, Valéria Cristina Ferreira; Ramos Filho, Manoel Mendes; Ramos, Maria Isabel Lima; Campos, Raquel Pires
Fonte: Ciência Rural Publicador: Ciência Rural
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.680876%
No Brasil, diversos tipos de palmeiras nativas podem fornecer palmito de boa qualidade, dentre elas destaca-se a guarirobeira (Syagrus oleracea (Mart.) J. Becc.), pelo palmito de sabor diferenciado e grande aceitação na região do Cerrado. O objetivo do presente trabalho foi determinar as características do palmito de guariroba, quanto à umidade, resíduo mineral fixo, lipídios totais, proteínas, glicídios redutores e não-redutores, fibras totais, valor calórico, ácido ascórbico, compostos fenólicos, pH e minerais (potássio, fósforo, cálcio, sódio e ferro), verificando o efeito do processamento (branqueamento, acidificação e congelamento) no produto a ser comercializado congelado. Os valores médios diferiram significativamente (P<0,05) entre as amostras in natura e congeladas, respectivamente, para umidade 87,68 e 90,56g 100g-1, cinzas 0,96 e 0,73g 100g-1 e lipídios 0,44 e 0,24g 100g-1, além de ocorrer diminuição do valor energético de 11,64 para 9,97kcal 100g-1 de amostra integral. O uso do ácido cítrico no processamento do palmito guariroba reduziu o pH de 5,8 para 4,5 e foi eficiente para evitar seu escurecimento. O palmito guariroba congelado manteve-se como fonte de fibras e de compostos fenólicos, além de oferecer alto teor de vitamina C e de ferro.; ABSTRACT - In Brazil many kinds of native palms can provide hearth palm of good quality and among them stands out the guarirobeira (Syagrus oleracea (Mart.) J. Becc.)...

Conservação de palmito de pupunha em atmosfera modificada1

CLEMENT,Charles R; SANTOS,Lenoir A; ANDRADE,Jerusa S
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Publicador: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1999 Português
Relevância na Pesquisa
37.73083%
O mercado do palmito de pupunha (Bactris gasipaes) está expandindo rapidamente no Brasil e diferenciando-se com a inclusão do palmito fresco ou minimamente processado. Devido sua alta perecibilidade, a conservação desse palmito fresco é difícil e requer estudos de conservação em refrigeração aliada à atmosfera modificada. As qualidades sensoriais do palmito fresco foram avaliadas ao longo de sua conservação sob refrigeração, em sacos de polietileno, com e sem absorvente de oxigênio. A textura, crispidez, fibrosidade, umidade, adstringência e irritação permaneceram aceitáveis até os 25 dias, embora altamente variáveis de um dia para o outro, provavelmente devido à variação entre os genótipos em cada embalagem. A cor, aparência, doçura e amargor permaneceram aceitáveis até 14 dias e deterioraram a partir do 18º dia. O amargor aumentou significativamente (p = 0,02) no tratamento com absorvente de oxigênio, especialmente a partir do 18º dia, sendo a principal característica responsável pela rejeição do palmito. O uso do absorvente de oxigênio não aumentou significativamente a vida de prateleira do palmito fresco...

Polifenoloxidase como fator de resistencia da soja a nematoides e na oxidação do palmito

Milton Massao Shimizu
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/10/2004 Português
Relevância na Pesquisa
37.680876%
A polifenoloxidase (PPO) há muito vem sendo estudada, seja na resistência em plantas a pestes e doenças, como também pela sua importância na indústria de alimentos. O primeiro capítulo apresenta o estudo da PPO da raiz de soja das variedades Cristalina (suscetível) e Hartwig (resistente) submetidas a dano mecânico, tratadas com metiljasmonato e infectadas com os nematóides Meloidogyne javanica e Heterodera glycines. Antes porém, uma rápida caracterização da PPO de soja mostrou que o triton X-100 aumentava a eficiência de extração, o dodecilsulfato de sódio (SDS) não aumentava a atividade e o ácido clorogênico era o melhor substrato da enzima. Nas plantas submetidas a dano mecânico e tratadas com metiljasmonato houve aumento da atividade da PPO, principalmente em Hartwig. Foi nesta variedade também a maior atividade detectada com a inoculação dos dois nematóides. As análises de fenóis totais não mostraram diferenças quantitativas ou qualitativas entre os tratamentos. Nos estudos moleculares foram isolados inicialmente cinco clones de PPO de raiz de soja, mas apenas dois destes fragmentos, JH1 e JH2, foram usados no preparo de sondas para estudos de Southern blot, que mostraram até 4 genes codificando para PPO. A análise de expressão por RT-PCR mostrou o aumento de transcrição somente com JH1...

ACEITABILIDADE DO PALMITO DE PUPUNHA

VERRUMA-BERNARDI, MARTA REGINA; CAVALCANTI, ANA CAROLINA DUTRA; KAJISHIMA, SHIZUKO
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 22/02/2005 Português
Relevância na Pesquisa
37.73083%
Avaliou-se o padrão de consumo de palmito e a aceitabilidade do palmito de pupunha ( Bactris gasipaes H.B.K.). Aplicouse questionário a um grupo de 80 indivíduos para avaliar a freqüência e os hábitos de consumo de palmito, segundo a faixa etária. O teste de aceitação do palmito de pupunha foi realizado com 45 julgadores, sendo apresentadas 2 amostras (em rodelas e picadas) na forma de conserva. As avaliações de aceitação foram realizadas utilizando-se escala hedônica de 9 pontos. A porcentagem de aprovação e de rejeição das amostras analisadas ocorreu, respectivamente, nas notas maiores e menores que 5 da escala hedônica. A freqüência de consumo de palmito mostrou que 78% dos julgadores consomem o produto 1 vez ao mês e 16% até 4 vezes ao mês. As amostras de palmito de pupunha em rodelas e picadas apresentaram 82 e 78% de aprovação, respectivamente. Ambas as amostras evidenciaram boa aceitação. ABSTRACT It was evaluated the pattern of consumption of palm heart and the acceptance of pejibaye palm heart ( Bactris gasipaes H.B.K.). A questionnaire was applied to a 80- members group, to evaluate, the frequency and habits of consumption of the palm heart according to the age group. The acceptance test of pejibaye palm heart was accomplished with 45 judges...

AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE PALMITO DE PUPUNHA NO LITORAL DO PARANÁ EVALUATION OF CONSUMPTION OF HEART-OF-PALM OF THE PEJIBAYE IN THE COAST OF PARANÁ

ANACLETO, Adilson; ISEPE; ROTHBART, Márcia; ISEPE Guaratuba, Travessa Vanessa 7, Guaratuba –PR, 83 280-000; FIORENTIN, Neiva Maria; Andrioli de SOUZA, Patrícia; Kruger PRESTES, Rosani
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 07/10/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.73083%
A Bactris gasipaes Kunth é uma palmácea que produz o palmito utilizado na alimentação humana, popularmente conhecida como pupunha. É uma palmeira resultante da domesticação de várias espécies silvestres, portanto uma planta não extrativista, sendo considerada alternativa econômica a produtores rurais. No litoral do Paraná, região onde tradicionalmente é industrializado palmito de espécies nativas, a partir de 2000 ocorreu um crescimento de áreas cultivadas da pupunha. A pupunha continua tendo restrições no momento da comercialização do produto industrializado devido ao sabor adocicado da espécie. A pesquisa teve por proposta avaliar a aceitação ou rejeição no consumo do palmito de pupunha em conserva em comparação com o palmito Jussara (Euterpe endules), espécie de maior aceitação popular na região da pesquisa. Um total de 80 indivíduos participaram da avaliação sensorial, que foi acompanhado de um questionário de caracterização do perfil do consumidor. O preço do palmito foi o principal fator de influência no consumo. O palmito de pupunha quando avaliado em testes cegos não sofre rejeição dos consumidores. Abstract The Bactris gasipaes Kunth is a palm that produces the heart of palm used in the human feeding...