Página 1 dos resultados de 386 itens digitais encontrados em 0.010 segundos

A evolução da política cambial em Portugal e a nova política cambial do euro

Frazão, Maria Celeste Pereira
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
56.74%
Dissertação de Mestrado em Contabilidade e Finanças Empresariais apresentada à Universidade Aberta; Face às alterações da taxa de câmbio do escudo que, directa ou indirectamente afectaram a economia do nosso País, propomo-nos proceder a uma análise da Política Cambial, desde 1931, período este, em que a paridade do escudo era fixada à libra inglesa, passando posteriormente pelos Sistemas de Bretton Woods e Monetário Europeu, até à entrada em vigor da moeda única, em 1999. Propomo-nos abordar as Teorias e Técnicas da Política Cambial e o seu impacto na actividade económica, assim como as Opções Cambiais nos Países em Vias de Desenvolvimento e nos Países Ricos e Diversificados. Como parte final do trabalho, abordamos a “Nova Política Cambial do Euro”, desde a história da Integração Monetária Europeia à Política Cambial do Euro e o seu impacto na Economia Portuguesa. Desenvolveremos a nossa investigação, centrando-a na pesquisa de dados bibliográficos para além das pesquisas efectuadas em Documentos Oficiais, nomeadamente, Relatórios do Banco de Portugal; do Banco Central Europeu; da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico); Banco Mundial; FMI (Fundo Monetário Internacional) e INE (Instituto Nacional de Estatística).

Política cambial com dívida indexada em moeda estrangeira no Brasil, 1995-2004

Turolla, Frederico Araújo
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Português
Relevância na Pesquisa
66.78%
Esta tese discute a dívida cambial doméstica do setor público brasileiro entre 1995 e 2004. Argumenta-se que a origem dessa dívida não está relacionada à busca de uma composição ótima da dívida pública, mas sim a objetivos de política cambial. O caso dos tesobonos mexicanos é analisado como precedente para o caso brasileiro, ressaltando-se três peculiaridades: o prazo médio dos títulos cambiais; a concentração da dívida pública mexicana no mercado internacional; e a importância dos não-residentes entre os detentores. O caso brasileiro foi apresentado a partir de uma perspectiva histórica, desde a introdução das ORTN com cláusula de correção cambial, no fim dos anos sessenta. Foi realizada uma tentativa de reconstrução da trajetória da dívida mobiliária cambial até o período recente. Levando-se em consideração que os objetivos desse instrumento estão concentrados na política cambial, foi feita uma breve resenha da literatura sobre os determinantes da taxa de câmbio, começando por Meese e Rogoff (1983), que introduziram a idéia de que um passeio aleatório é melhor previsor do câmbio que os modelos baseados em fundamentos macroeconômicos. É feita também uma breve revisão da literatura sobre intervenção no câmbio...

Política cambial e macroeconomia do desenvolvimento

Gala, Paulo
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Português
Relevância na Pesquisa
56.64%
Alguns autores têm chamado a atenção para a importância da administração cambial nos processos de desenvolvimento econômico no que vem sendo conhecido como um ¿development approach¿ para taxas de câmbio. O nível do câmbio real teria forte impacto na acumulação de capital na medida em que afetaria as trajetórias de consumo, investimento e poupança agregados de uma economia via definição do nível do salário real. O setor de bens comercializáveis não tradicional estimulado por um câmbio competitivo destacar-se-ia pelo seu dinamismo e potencial de inovações tecnológicas, contribuindo para aumentos de produtividade necessários ao processo de desenvolvimento econômico. Estímulos ao setor de exportações contribuiriam também para a redução da vulnerabilidade a crises externas. Inúmeros estudos têm destacado a ocorrência de crises no balanço de pagamentos por problemas de sobrevalorização cambial ou desalinhamento. Com o objetivo de contribuir para essa discussão, o trabalho a ser apresentado trata das relações existentes entre nível do câmbio real e o processo de desenvolvimento econômico. Tem como objetivo mais específico analisar a hipótese de que haveria uma relação negativa entre nível do câmbio real e taxas de crescimento per capita. Câmbios reais relativamente desvalorizados seriam benéficos para processos de desenvolvimento econômico enquanto que níveis excessivos de apreciação cambial seriam nocivos.

Política Cambial Brasileira

FGV Projetos
Fonte: FGV Projetos Publicador: FGV Projetos
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
66.62%
O Cadernos FGV Projetos “Política Cambial Brasileira” levanta questões pertinentes sobre a economia política brasileira através de perspectivas nacionais e internacionais. Esta edição conta com uma entrevista inédita com Dennis J. Snower, presidente do Kiel Institute for the World Economy, e outra com o economista e professor da Unicamp Luiz Gonzaga Belluzo. A 14º edição do Cadernos FGV Projetos traz também depoimentos do presidente da FGV, Carlos Ivan Simonsen Leal , do diretor do EPGE/FGV, Rubens Penha Cysne, e do senador Eduardo Suplicy. Reúne as conferências do ministro da Fazenda, Guido Mantega, do diretor da EESP/FGV, Yoshiaki Nakano, bem como de Luis Carlos Bresser-Pereira, Roberto Gianetti, Samuel Pessôa e Márcio Holland.

A política cambial brasileira durante a vigência do acordo de Bretton Woods : 1945-1973

Trevisan, Ana Lúcia
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.82%
O tema central deste trabalho é a política cambial. Seu objetivo básico é analisar a condução da política cambial no Brasil entre 1945-1973, que compreende a vigência do Acordo de Bretton Woods, identificando as principais medidas adotadas e seus efeitos sobre algumas das principais variáveis econômicas. Ainda que o Acordo de Bretton Woods tenha estabelecido o dólar norte-americano como base do sistema monetário mundial, de forma que cada país deveria adotar uma taxa fixa de câmbio em relação ao dólar-norte americano, verificou-se, especialmente após a Segunda Guerra Mundial, a utilização freqüente de alternância de instrumentos de política cambial pelo governo brasileiro. Dessa forma, ficou evidenciado que durante o período mencionado, a política cambial, esteve em grande parte, subordinada à gestão de freqüentes estrangulamentos cambiais, decorrentes da necessidade de equilibrar as contas externas ou de fornecer divisas à importação dos bens de produção necessários à continuidade do desenvolvimento industrial. Tais fatos, levavam o governo brasileiro a adotar medidas intercaladas de controle cambial, ora austeras, ora mais flexíveis, para fazer frente a tais desequilíbrios. Em 1973, o Acordo de Bretton Woods ruiu e desta forma o sistema monetário internacional passou a adotar taxas de câmbio flexíveis. No entanto...

Gestão cambial e de fluxos de capitais em economias emergentes : três ensaios sobre a experiência recente do Brasil

Laan, Cesar Rodrigues van der
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.68%
Esta tese consiste de uma introdução geral e três ensaios independentes, mas inter-relacionados. O capítulo 2 aborda o tema da liberalização financeira no âmbito das economias emergentes, enfocando sua ligação com o crescimento econômico no Brasil. Com base em um modelo de vetores auto-regressivos (VAR), argumenta-se que as conexões entre liberalização financeira e crescimento econômico devem ser não tão fortes quanto o suposto em teoria, mesmo no curto prazo. Mostra-se que a experiência brasileira de liberalização financeira, medida através de dois índices independentes, não imprimiu um viés de redução sobre a taxa de juros, enquanto também não impôs um efeito altista sobre a taxa de crescimento do PIB. Nesse caso, liberalização financeira não parece ser um substituto para políticas estratégicas mais voltadas a induzir o desenvolvimento econômico, dado que proporciona apenas pequenos ganhos que tendem, todavia, a ser acompanhados por efeitos colaterais indesejados – o resultado líquido acaba não sendo relevante no sistema. O capítulo conclui que liberalização financeira deve ser interpretada de acordo com a visão demand-following, a qual sugere que a direção causal fundamental parte do nível de atividade econômica à liberalização financeira. Segue que tentativas de estabilizar as finanças de uma economia podem se dar através da imposição de certos limites aos movimentos desregulados de capitais como précondição para o apropriado desenvolvimento em economias emergentes. Por sua vez...

A defesa do cafe e a politica cambial : os interesses da elite paulista na primeira republica (1898-1920)

Leandro Salman Torelli
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/2004 Português
Relevância na Pesquisa
66.69%
Durante os primeiros anos da história republicana brasileira, a elite cafeeira paulista, sem dúvida a de maior força econômica do período, teve papel preponderante em todas as esferas de atividade, sejam estas de ordem social, política ou econômica. Partindo dessa premissa, nossa intenção neste trabalho é de discutir o papel da elite cafeeira paulista durante a Primeira República no que diz respeito ao debates políticos e econômicos relacionados a dois aspectos que interessavam decisivamente à elite paulista: a questão cambial e a política de valorização do café. Por meio da pesquisa com os debates parlamentares relacionados ao problema cambial e à defesa do café e aos relatórios do Ministério da Fazenda no período ? além dos tratados econômicos no Brasil produzidos naquele momento ?, perguntamo-nos em que medida a elite paulista ligada ao café conseguiu ou não impor os seus interesses relacionados a estas questões ao restante dos grupos políticos da Primeira República e como a ação do governo federal no campo econômico refletiu esta influência. Concluímos que, no jogo político com as outras elites regionais, a elite cafeeira paulista conseguiu transformar a questão cafeeira em problema nacional e...

Dois padrões de política cambial: América Latina e Sudeste Asiático

Gala,Paulo
Fonte: Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas Publicador: Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 Português
Relevância na Pesquisa
66.61%
Vários trabalhos empíricos têm encontrado uma relação negativa entre desalinhamento cambial e crescimento econômico para uma longa série de países nos últimos trinta anos; quanto mais depreciada a taxa de câmbio, maiores as taxas de crescimento. Nessa literatura, um tema recorrente é a relativa depreciação das moedas asiáticas quando comparadas às moedas latino-americanas e africanas. Nos diversos estudos, surge o resultado de maior depreciação para a Ásia, no que parece constituir um padrão de comportamento dos níveis de taxa de câmbio real para essa região. Com o objetivo de contribuir para a discussão, este trabalho compara a evolução dos níveis de taxas de câmbio reais para países da Ásia e América Latina no período 1970-1999. Discute aspectos do manejo cambial de alguns dos principais países dessas duas regiões e apresenta considerações sobre o papel da política cambial no processo de desenvolvimento destas duas macro-regiões.

Fatores condicionantes do crescimento econômico de longo prazo a China: aspectos teóricos e investigação empírica

Andrade, Daniel Caixeta
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
46.68%
O principal objetivo desta dissertação é analisar empiricamente a experiência de crescimento econômico na China no período 1978-2003. Partiu-se da hipótese de que existem vários aspectos (condicionantes) do crescimento econômico chinês das últimas décadas, dentre os quais se destacam as altas taxas de investimento (acumulação de capital físico), a maior abertura comercial e financeira (estímulo às exportações e à atração de investimentos externos), o regime cambial rígido (política cambial favorável ao desempenho do setor externo da economia) e os investimentos em capital humano. Os procedimentos metodológicos utilizados foram a análise de regressão, a estimação de modelos VAR e o uso dos instrumentais da análise de decomposição de variância e das funções de impulso-resposta, além dos testes de causalidade (Granger) e testes de cointegração (Johansen). Os resultados obtidos apontam que o investimento e a taxa de câmbio foram os principais determinantes do crescimento econômico da China no período analisado, confirmando a hipótese inicial apenas para estas duas variáveis. Estes resultados não indicam, porém, que a continuidade do crescimento da economia chinesa deve se assentar apenas sobre as políticas de acumulação de capital físico e na política cambial. É importante que se eleve a produtividade da economia através de investimentos mais eficientes em capital humano...

Política cambial no Brasil: um esquema analítico

ROSSI,PEDRO
Fonte: Editora 34 Publicador: Editora 34
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2015 Português
Relevância na Pesquisa
66.6%
RESUMOEsse artigo trata da política cambial no Brasil a partir de um enfoque centrado na institucionalidade do mercado de câmbio brasileiro. O objetivo é avaliar como essa institucionalidade condiciona as políticas de câmbio no Brasil e, em particular, como a especulação opera nessa institucionalidade. Defende-se a ideia de que o mercado de câmbio brasileiro é particularmente permeável à especulação financeira e, por isso, uma política cambial mais adequada ao desenvolvimento econômico depende da regulação do mercado de câmbio e, em particular, do mercado de derivativos.

Balança comercial mineral e desvalorização cambial no Brasil : a dinamica dos anos 80

Cynthia Figueiredo Vasconcellos Correa
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/1995 Português
Relevância na Pesquisa
56.48%
O objetivo do trabalho é verificar a resposta da balança comercial mineral a variações da taxa de câmbio real nos anos 80. Estimou-se um modelo para o saldo mineral baseado em uma equação de forma reduzida, onde foram consideradas três estimativas para a taxa de câmbio real do setor. Foram também estimados modelos simultâneos para as exportações minerais, além da equação para a demanda de importações. O primeiro capítulo analisa a política mineral brasileira nos anos 80. O segundo capítulo investiga a dinâmica da balança comercial mineral no período, destacando os principais produtos das pautas de exportação e importação. O terceiro capítulo resgata a política cambial brasileira dos anos 80 e seu papel sobre o ajustamento externo da economia. Finalmente, o último capítulo traz, inicialmente, um levantamento da literatura recente sobre a especificação de modelos de comércio exterior e, em seguida, são apresentados os modelos a serem estimados e a análise dos resultados.; The purpose of this dissertation is to investigate the mineral trade balance output to real exchange rate changes in 1980's. A reduced form model has been used to estimate the mineral trade surplus considering three estimates for real exchange rates. Furthermore...

A política cambial brasileira : taxas de juros e de câmbio na vigência do Plano Real

Toffoli, Pedro Edmundo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.68%
Até o ano de 1964, o Brasil enfrentou sérias adversidades no campo econômico, não só pela ausência de tradição exportadora e cultural mas, também, pelas limitações da estrutura operacional do mercado de câmbio. Com o advento da Lei 4595, de 31.12.64, extingue-se a Sumoc, cria-se o Banco Central, estabelecem-se condições para o Banco do Brasil impulsionar as suas atividades comerciais e normatiza-se o funcionamento do mercado de capitais, circunstância que acenava como sinal dos novos tempos.De lá para cá, o país, a acompanhar a torrente dos tempos modernos, organizou o sistema financeiro nacional e empreendeu forte escalada na área internacional. A criação de agências bancárias no exterior estimulou o aprendizado de novos conhecimentos e a aquisição de técnicas operacionais sofisticadas, igualando-nos, no particular, às nações mais desenvolvidas do mundo. Tais aspectos são destacados no presente trabalho, inicialmente, por meio de uma abordagem do mercado de câmbio brasileiro, sua estrutura em termos organizacionais e o seu funcionamento em termos operacionais. De outra parte, ao relatarmos, de forma retrospectiva, a política cambial brasileira, desde a Segunda Guerra Mundial aos dias de hoje, enfatizamos as inúmeras tentativas de acerto na condução das políticas monetária e cambial...

Política cambial brasileira entre 1968 e 2002 : uma análise histórica

Leal, Adriano de Souza, 1973-
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Monografia Graduação Formato: 86 f.; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.71%
Orientador: Fabiano Dalto; Monografia(Graduação) - Universidade Federal do Paraná,Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Curso de Ciências Econômicas; Resumo: A monografia analisa a política cambial brasileira, a partir de agosto de 1968, quando foi implantado o sistema de minidesvalorizações cambiais, até o ano de 2002, com o fim do mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso. A equipe econômica do seu governo adotou a âncora cambial como base para o regime monetário entre 1994 e 1998. No segundo governo, com a crise cambial de 1999, estabeleceu-se o regime monetário de metas de inflação. Entre esses dois períodos importantes para a análise das taxas de câmbio no Brasil, foram abordados os planos de estabilização entre 1986 e 1991, onde somente no Plano Bresser não foi congelada a taxa de câmbio. Posteriormente, foram estudados a política cambial, o setor externo e seus resultados no Plano Collor I e II. E por fim foi analisado a situação cambial no biênio 1992 e 1993, sob o governo de Itamar Franco. Nestes anos houve um acúmulo substancial nas reservas internacionais, de certo modo, propiciaram condições favoráveis a implementação do Plano Real em 1994; Abstract: The paper analyzes the Brazilian exchange policy...

Considerações sobre a evolução da taxa de câmbio no Brasil no período 1995-2009 : o desalinhamento cambial; Considering the evolution of the exchange rate in Brazil in the 1995-2009 period : the exchange rate misalignment

Gouveia, Raphael Rocha; Cerqueira, Vinicius
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Brasil em Desenvolvimento (BD) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
56.64%
Este capítulo reflete a respeito da atual política cambial e seus efeitos sobre a economia nacional, tendo como objetivos a identificação de períodos de apreciação ou depreciação da taxa de câmbio real efetiva (TCRE), e a apresentação das possíveis causas e consequências do desalinhamento cambial. Para tanto, estimou-se uma trajetória de equilíbrio de longo prazo para a TCRE, desenvolvida por meio de um modelo de cointegração não linear. Na próxima seção apresenta-se uma breve discussão sobre alguns conceitos e procedimentos para se estimar uma taxa de câmbio real de equilíbrio, justificando-se o uso da metodologia empregada na seção para se estimar esta variável. Alguns dos determinantes da trajetória recente de apreciação do real são apresentados na terceira seção. Na seção subsequente são discutidos os impactos do desalinhamento cambial sobre comércio e crescimento e procura-se explicitar os custos fiscais da política de acumulação de reservas. Por fim, são apresentadas algumas considerações finais.; p. 163-183 : il.

Credibilidade da política cambial e as opções cambiais; Texto para Discussão (TD) 581: Credibilidade da política cambial e as opções cambiais; Credibility of the exchange rate policy and currency options

Rocha, Katia Maria Carlos; Moreira, Ajax R. Bello
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
66.62%
A atual política cambial vem sendo questionada quanto a sua vulnerabilidade, especialmente no caso de uma situação externa desfavorável. Nesse contexto, é importante aferir a probabilidade que o mercado atribui à permanência desta política. Este artigo propõe um critério para esta medida, utilizando informações relativas ao mercado de opções cambiais e modelos matemáticos para derivativos, cujos ativos seguem um processo de difusão geral de Wiener com descontinuidades discretas e pouco freqüentes, segundo um processo de Poisson.; 20 p. : il.

Evolução recente das políticas monetária e cambial e do mercado de crédito no Brasil

Souza Júnior, José Ronaldo de Castro (Organizador); Sachsida, Adolfo; Maka, Alexis; Vonbun, Christian; Barbosa, Fernando de Holanda; Santos, Francisco Eduardo de Luna e Almeida; Lameiras, Maria Andréia Parente; Mendonça, Mário Jorge; Ribeiro, Márcio
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Livros
Português
Relevância na Pesquisa
56.66%
Traz coletânea de estudos sobre a política monetária no Brasil e suas interações com a política cambial e o mercado de crédito. Apresenta revisão teórica e empírica sobre a política de metas de inflação. Discute a condução desejável da política monetária em contextos de mudança de preços relativos. Mostra um levantamento sistemático das alterações nas regras de recolhimento compulsório vigentes no Brasil no período pós-Plano Real (1994-2012). Analisa curvas de Phillips usando uma especificação autoregressiva de defasagem distribuída. Aprofunda as investigações empíricas relacionadas aos efeitos assimétricos de choques monetários na economia brasileira. Verifica como a configuração atípica do mercado cambial leva a algumas potenciais fontes de pressão no que se refere à evolução do câmbio. Investiga a relação entre a taxa de juros e a volatilidade da taxa de câmbio real efetiva no Brasil. Faz uma análise descritiva sobre a evolução do crédito entre 2003 e 2012. Estima o sistema de oferta e demanda do crédito bancário no Brasil, visando fornecer subsídios para o aperfeiçoamento das política macroeconômicas no país.; 371 p. : il.

A Gestão da política cambial chinesa : as lições do período da crise financeira de 2008

Leão, Rodrigo Pimentel Ferreira
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Boletim de Economia e Política Internacional - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
66.65%
Discute a trajetória da política cambial chinesa imposta pelo estado chinês até a crise econômica internacional no ano de 2008. Apresentam as transformações que a gestão cambial sofreu no mesmo período. A partir dessas modificações, é considerado que a gestão está atrelada aos objetivos de dinamizar as exportações, assim como impedir grande volatilidade das taxas de câmbio. Em razão disso, o Banco do Povo, especialmente em momentos de crise ou retração da demanda externa, tem plena liberdade para atuar no mercado de câmbio a fim de garantir a estabilidade e a competitividade do iuane em relação às moedas dos outros países.; p. 32-38 : il.

Credibilidade da política cambial e as opções cambiais; Credibility of the exchange rate policy and currency options

Rocha, Katia Maria Carlos; Moreira, Ajax R.B.
Fonte: Instituto de Pesquisa Economica e Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Economica e Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
66.64%
A política cambial até janeiro de 1999 vinha sendo questionada quanto a sua vulnerabilidade, especialmente no caso de uma situação externa desfavorável. Nesse contexto, é importante avaliar a probabilidade que o mercado atribui à sustentabilidade dessa política. Este artigo propõe um critério para essa medida, utilizando informações de mercado de opções cambiais e modelos matemáticos para derivativos cujos ativos seguem um processo de difusão geral de Wener com descontinuidade discretas e pouco frequentes, segundo um processo de Poisson. O risco associado à probabilidade de rupturas será considerada sistemático.; p. 509-530 : il.

Institucionalidade do mercado de câmbio e a política cambial no Brasil

Rossi, Pedro
Fonte: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações Publicador: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 03/12/2015 Português
Relevância na Pesquisa
66.48%
Este artigo busca contribuir para análise da política cambial no Brasil a partir de um enfoque centrado na institucionalidade do mercado de câmbio brasileiro. Para isso, primeiramente, descreve-se a operacionalidade desse mercado, separando-o em quatro níveis (mercado à vista, interbancário, de derivativos e offshore) com base em informações oriundas de entrevistas com agentes do mercado de câmbio, como operadores de câmbio do mercado financeiro, agentes da BM&F, do Banco Central, Tesouro Nacional e da Fazenda. A partir dessa análise, avalia-se como essa institucionalidade condiciona as políticas de câmbio no Brasil (como as intervenções do Banco Central, os controles sobre fluxos de capital, a regulação sobre a posição dos bancos e a taxação sobre as operações de derivativos) e, em particular, como essas políticas impactam a taxa de câmbio a partir da mediação dos canais de arbitragem, da formação de preços futuros e do desincentivo às operações especulativas Abstract This paper aims to analyze the exchange rate policy in Brazil from an approach centered on the institutionality of the Brazilian foreign exchange market. For this, it first describes the operation of this market by separating it into four levels (spot...

Dois padrões de política cambial: América Latina e Sudeste Asiático

Gala, Paulo
Fonte: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações Publicador: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2007 Português
Relevância na Pesquisa
66.61%
Vários trabalhos empíricos têm encontrado uma relação negativa entre desalinhamento cambial e crescimento econômico para uma longa série de países nos últimos trinta anos; quanto mais depreciada a taxa de câmbio, maiores as taxas de crescimento. Nessa literatura, um tema recorrente é a relativa depreciação das moedas asiáticas quando comparadas às moedas latino-americanas e africanas. Nos diversos estudos, surge o resultado de maior depreciação para a Ásia, no que parece constituir um padrão de comportamento dos níveis de taxa de câmbio real para essa região. Com o objetivo de contribuir para a discussão, este trabalho compara a evolução dos níveis de taxas de câmbio reais para países da Ásia e América Latina no período 1970-1999. Discute aspectos do manejo cambial de alguns dos principais países dessas duas regiões e apresenta considerações sobre o papel da política cambial no processo de desenvolvimento destas duas macro-regiões.AbstractPatterns of exchange rate policy: East Asia versus Latin America Latin America Some authors argue in favor of a real exchange rate targeting strategy for developing countries in what could be called a development approach to exchange rates. According to the argument...