Página 1 dos resultados de 160 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Estudos sobre a eficiência da polinização por Apis mellifera L. e insetos nativos na produção de sementes de Adesmia latifolia (Spreng.) Vog.

Camacho, Júlio César Brião
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
49.346904%
Com o objetivo de determinar a eficiência da ação polinizadora de Apis mellifera L. no rendimento de sementes de Adesmia latifolia, estabeleceu-se três tratamentos na Estação Experimental Agronômica da UFRGS, em Eldorado do Sul (300 S, 510 W) nos anos de 2000, 2001 e 2002. A partir da floração, analisou-se a freqüência de visitas por A. mellifera e outros insetos nas flores de A. latifolia pelo teste de Qui-quadrado, já o número de inflorescências por área, número de flores, flores abortadas e lomentos por inflorescência foi através da análise de regressão. Os resultados indicaram que A. mellifera não é eficiente na polinização de A. latifolia, sendo esta cultura dependente de insetos nativos como Megachile sp. e Centris sp para produção de sementes. A média de produção de sementes na área controlada e livre foi 5,4 e 83,5 kg/ha, respectivamente, enquanto na área isolada não houve produção de sementes. A baixa freqüência (10%) de visitas de A. mellifera na área livre em comparação com os insetos nativos (90%) indica que o néctar não é atrativo para as abelhas A. mellifera pois tem uma baixa concentração de açúcares totais (5,7%).

Ecologia da polinização de Eschweilera nana Miers, uma Lecythidaceae do cerrado

Potascheff, Carolina de Moraes
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: f. : il., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
58.496523%
Pós-graduação em Ciências Biológicas (Biologia Vegetal) - IBRC; Eschweilera nana é a única Lecythidoideae (Lecythidaceae) com ampla distribuição no Cerrado. A evolução floral dessa subfamília ocorreu principalmente no androceu, provavelmente em resposta aos polinizadores. Foram estudadas a atividade floral e a biologia reprodutiva da espécie e o comportamento dos seus visitantes florais. Não existe relação específica com nenhum táxon polinizador. Seu sistema de polinização envolve uma guilda de polinizadores, formada por abelhas, uma vespa e um besouro, apesar do capuz estaminal restringir o acesso ao néctar.; Eschweilera nana is the only wide spread Lecythidoideae (Lecythidaceae) native to the Brazilian Cerrado. Floral evolution of this subfamily has occurred mostly in the androecium, probably in response to selective pressures by pollinators. Floral biology and the reproductive biology of this species and the behavior of the floral visitors were studied. There is no one-toone relashionship. The pollination system of E. nana involves a guild of pollinators of mostly bees, one wasp and one beetle, despite the difficulty to access the nectar.

Produção e qualidade de sementes de abóbora utilizando polinização manual com botões florais armazenados

Salata, Ariane da Cunha
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: ix, 42 f. : il. color., grafs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
59.51573%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Agronomia (Horticultura) - FCA; O objetivo desse trabalho foi estudar a influência do armazenamento de botões florais masculinos por diferentes períodos, na produção e qualidade de sementes de abóbora cultivar Piramoita utilizando polinização manual das flores femininas. O experimento foi conduzido no período de agosto a dezembro de 2005, na Faculdade de Ciências Agronômicas, UNESP, Campus de Botucatu, SP. os botões florais masculinos foram colhidos em fase de pré-antese e armazenados em geladeira a 7 graus C. Foram avaliados seis tratamentos: polinização manual com botões armazenados por um a quatro dias, flores em armazenamento e polinização natural (por insetos). O delineamento foi em blocos ao acaso, com quatro repetições e cinco palntas por parcela. As flores femininas foram amarradas com fio de lã em pré-antese, na tarde anterior ao cruzamento e, após a polinização, foram portegidas para não ocorrer polinização por insetos. Em cada planta foram deixados até dois frutos. As características avaliadas foram: taxa de frutificação; peso, comprimento e diâmetro dos frutos; produção (em massa e número) de sementes por fruto; massa de 100 sementes; produção em massa e número de sementes por polinização realizada e qualidade das sementes (germinação...

Polinização de dendezeiro por Elaeidobius subvittatus Faust e Elaeidobius kamerunicus Faust (Coleoptera, Curculionidae) no sul do Estado da Bahia

Moura, Jose Inacio Lacerda
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: ix, 70 f. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
58.317456%
Pós-graduação em Agronomia (Entomologia Agrícola) - FCAV; Este foi conduzido no sul do estado da Bahia entre os anos de 2004 e 2007. Teve como objetivo determinar a taxa de fecundação de dendezeiros após a introdução de Elaeidobius kamerunicus Faust . Avaliaram-se as relações das espécies E. kamerunicus e Elaeidobius subvittatus Faust através da: flutuação populacional, distribuição espacial, influência de fatores meteorológicos, comportamento com relação às inflorescências das plantas e capacidade de transportar grãos de pólen. A taxa de fecundação nos dendezeiros atingiu 79,4%, representando incremento de 19% quando comparado aos dendezeiros polinizados apenas por E. subvittatus. Plantios comerciais de dendezeiros nos municípios de Taperoá e Nazaré, mostraram taxas de fecundação de 76,8% e 78,0%, respectivamente. E. kamerunicus foi a espécie dominante nos plantios de dendezeiro de Una, BA. Com exceção do município de Itapebi, as populações de E. kamerunicus sobrepujaram as de E. subvittatus em todos os municípios com grandes maciços de dendezeiros subespontâneos. A distribuição das chuvas no sul da Bahia não alterou a atividade polinizadora de E. kamerunicus, permitindo ocorrer taxa constante de fecundação dos frutos. Houve aumento da densidade populacional de E. subvittatus com o incremento térmico no ambiente ocorrendo o oposto com E. kamerunicus. O número de espécimes de E. subvittatus visitando inflorescências femininas de dendezeiros e híbridos interespecíficos foi superior ao de E. kamerunicus entre 6:00 e 8:00 horas...

Fenologia e polinização de tres especies de fiqueiras em mata semidecidua na região de Campinas, SP

Rodolfo Antonio de Figueiredo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/02/1994 Português
Relevância na Pesquisa
59.11619%
As figueiras sao conhecidas há milênios, porém a sua biologia reprodutiva só recentemente tem sido estudada aprofundadamente. No Brasil, a ecologia das figueiras é pouco conhecida. o presente trabalho foi desenvolvido na Reserva de Santa Genebra, Estado de São Paulo, e aspectos da fenologia, polinização, dispersão, predação e germinação das sementes de três espécies de Ficus foram estudados. A floração nas três espécies é assincrônica e não está correlacionada a fatores ambientais tais como pluviosidade e temperatura. A polinização foi feita por vespas Peaoscapus sp., e outros microhimenópteros que utilizaram os sicônios não atuaram como polinizadores. A dispersão das sementes foi feita por frugívoros generalistas. sendo que alguns vertebrados e insetos atuaram como predadores de sementes. As condições básicas para a germinação das sementes das figueiras foram luz, umidade constante e presença de microorganismos. As figueiras são imprescindíveis para a sobrevivência de espécies diretamente relacionadas aos sicônios, como as vespas de figo. Além disso, os sicônios constituem fonte alimentar para vertebrados frugívoros, predadores de sementes especializados e predadores de vespas de figo. A manutenção da população de figueiras na Reserva de Santa Genebra provavelmente será possível a longo prazo se forem implementados programas de manejo de suas populações; The study of the reproductive biology of figs (Ficus spp. ) is recent and in Brazil the ecology of fig pollination is little known. This study was done at "Reserva de Santa Genebra" southeastern Brazil and the phenology pollination dispersion predation and germination of the seeds of three fig species were studied. The flowering of the species was asynchronic and was not correlated with environmental factors such as temperature and pluviosity. The pollination of fig flowers were done by the wasp Pegoscapus sp. Other fig wasps inhabited the syconia but they did not pollinate the flowers. The dispersion of the seeds was done by generalist frugivores. Some vertebrates and insects predated fig seeds. The factors influencing germination were light humidity and microorganisms. The figs are important to the survivorship of several animal species that utilize syconia. The fig population in the Reserva de Santa Genebra should be maintained by environmental management

Ecologia da polinização de Butia Capitata (Martius) Beccari Var. Odorata (Palmae) , no sul do Brasil

Rosa, Liége
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: vii, 101 f.| il., grafs.
Português
Relevância na Pesquisa
59.28193%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. -; O objetivo deste trabalho foi estudar a ecologia da polinização de Butia capitata var. odorata, em particular, a morfologia e fenologia floral, os recursos florais, o sistema reprodutivo, as estratégias de polinização e os principais polinizadores. Este trabalho foi realizado de agosto de 1998 a setembro de 1999, em área de restinga do município de Laguna, SC. Os resultados mostraram que as flores de B. capitata apresentam padrão floral trímero, com nectário exposto e características de polinização não especializada. Os recursos florais mais evidentes utilizados pelos visitantes são o néctar e o pólen. Os experimentos do sistema reprodutivo mostraram que B. capitata utiliza a polinização cruzada como forma preferencial de polinização, com anemofilia desempenhando papel secundário. É auto-compatível, porém apresenta baixas probabilidades de auto-fecundação e não apresentou agamospermia. As flores masculinas e femininas receberam grande diversidade de visitantes florais, como moscas, besouros, vespas, além da abelha doméstica Apis e abelhas nativas. Destes, três abelhas da família Halictidae destacaram-se como principais polinizadoras: Thectochlora alaris...

Polinização por abelhas em Aechmea caudata lindm., uma bromélia com características ornitófilas, na ilha de Santa Catarina, Sul do Brasil

Kamke, Rafael
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 44 f.| il., grafs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
68.985596%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-graduação em Biologia Vegetal, Florianópolis, 2009; A maioria das espécies de Bromeliaceae é polinizada por beija-flores, mas borboletas e, principalmente, abelhas estão entre os visitantes florais mais freqüentes em algumas bromélias ornitófilas de corola curta. A importância dos visitantes florais para a polinização de Aechmea caudata foi determinada através da freqüência e a eficiência de polinização desses visitantes. Foi determinado também o sistema reprodutivo e a taxa natural de frutificação e produção de sementes, além do registro da fenologia de A. caudata. Os estudos foram desenvolvidos em uma área secundária de Mata Atlântica na Ilha de Santa Catarina. Ao longo de um transecto (1 ha), foram realizadas 62 horas de observações focais entre março de 2008 e março de 2009. Aechmea caudata produziu néctar ao longo de toda a antese (das 05:00 às 20:00 h) e é uma espécie auto-incompatível, portanto, dependente de polinizadores para a formação de sementes. No total, 16 espécies de quatro ordens animais foram registradas nas flores obtendo o néctar e pólen em visitas legítimas. As abelhas (nove espécies) foram as mais diversas e freqüentes...

MORFOLOGIA FLORAL DA GOIABEIRA SERRANA (Feijoa sellowiana) E SUAS IMPLICAÇÕES NA POLINIZAÇÃO

DEGENHARDT,JULIANA; ORTH,AFONSO INÁCIO; GUERRA,MIGUEL PEDRO; DUCROQUET,JEAN-PIERRE; NODARI,RUBENS ONOFRE
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 Português
Relevância na Pesquisa
49.332715%
Esse estudo teve por objetivo caracterizar variações na arquitetura floral da Feijoa sellowiana e determinar sua influência sobre a polinização. Foram avaliados o comprimento do pistilo, a distância entre estigma e estames, o diâmetro de abertura e a distribuição dos estames na flor, com base em 7 flores de 15 acessos do Banco de Germoplasma da espécie. Distinguiram-se 3 classes de distâncias médias entre estigma e estames: 0,2 (C1), 0,7 (C2) e 1,2 cm (C3), e duas classes de distribuição de estames na flor (radial e aleatória). Sorteou-se uma planta por classe de distância entre estigma e estames, a qual teve 50 flores marcadas para cada um dos seguintes tratamentos: T1-polinização aberta; T2-tela contra pássaros e T3-tela contra pássaros e insetos. A frutificação foi de 47% em T1 para C2 e de 22% para C3, diferença que pode ser devida ao genótipo e/ou alternância de produção. No T2, a frutificação foi 31% em C2, 15,4% em C1 e 3% em C3. A superioridade de T1 sobre T2 pode ser devida à polinização por pássaros. Essa superioridade foi mais expressiva em C3 do que em C2, o que sugere que C3 é mais dependente de pássaros. A frutificação em T2 pode ainda evidenciar a polinização por insetos e foi menor para C3...

Efeito polinizador de Apis mellifera em flores de Brassica napus L. (Hyola 432) e potencial produtor de sementes, no sul do Brasil

Rosa, Annelise de Souza
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
49.71082%
Brassica napus L. é considerada autofértil, entretanto, estudos indicam que o forrageio de Apis mellifera L. eleva sua produtividade. Considerando-se a crescente importância da cultura no Rio Grande do Sul, avaliou-se o potencial polinizador de A. mellifera L. em flores de B. napus de acordo com as fenofases da antese e o incremento na produção através da indução de polinização. Os estágios da antese foram caracterizados e relacionados à receptividade do estigma e à viabilidade dos grãos de pólen. Paralelamente, o comportamento das abelhas nas flores foi acompanhado considerando-se as estruturas tocadas, os recursos coletados, o número de flores visitadas por planta, o tempo de permanência nas flores e a fidelidade floral. A freqüência de visitas de insetos às flores foi registrada e relacionada ao desenvolvimento da cultura. A partir de testes de polinização (autogamia; visitação de insetos; polinização manual entre flores da mesma planta; polinização manual entre flores de plantas distintas) comparou-se a produtividade de síliquas e sementes. Dentre os insetos antófilos registrados Os Hymenoptera (92,35%) destacaram-se entre os insetos mais freqüentes, dos quais 99,83% eram A. mellifera. Durante o forrageio as abelhas tocaram anteras e estigmas...

Interações de insetos antófilos em pessegueiros (Prunus persica CV. Premier L. Batsch - Rosaceae) e efeito na produção de frutos no sul do Brasil

Vilanova, Cíntia Simeão
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
49.59852%
Prunus persica L. , popularmente conhecida como pêssego, é considerada auto-fértil, entretanto, estudos indicam que a polinização entomófila eleva a produtividade e qualidade dos frutos obtidos. Considerando-se a importância da espécie na fruticultura no Rio Grande do Sul, avaliou-se o potencial polinizador de Apis mellifera L. em flores de Prunus persica cv. Premier e o incremento na produção e na qualidade dos frutos obtidos. Os estágios da antese foram caracterizados e relacionados a aspectos morfológicos da corola, receptividade do estigma, e à viabilidade dos grãos de pólen. Paralelamente, o comportamento das abelhas nas flores foi acompanhado considerando-se as estruturas tocadas, os recursos coletados, o número de flores visitadas por planta e o tempo de permanência nas flores. A partir de testes de polinização (autogamia e livre visita de insetos) comparou-se a taxa de frutificação e aspectos da qualidade dos frutos como taxa de sólidos solúveis totais (SST) e a acidez total titulável (ATT). A frequência de visitas de insetos às flores foi registrada e relacionada ao desenvolvimento da cultura. Insetos visitantes florais foram capturados diretamente nas flores, ao longo do período de plena floração. Durante o forrageio as abelhas africanizadas tocaram anteras e estigmas...

Polinizadores da aceroleira (Malpighia emarginata DC., Malpighiaceae) em área do Triângulo Mineiro: riqueza de espécies, nicho trófico, conservação e manejo; West Indian Cherry’s (Malpighia emarginata DC., Malpighiaceae) pollinators in an area of Triângulo Mineiro: species richness, trophic niche, conservation and management

Vilhena, Alice Maria Guimarães Fernandes
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
48.85604%
As abelhas são consideradas os mais importantes polinizadores de plantas nativas e cultivadas, sendo que, em algumas culturas, podem aumentar a produção e melhorar a qualidade dos frutos. Dessa forma, estudos que abordem aspectos de conservação e manejo dos polinizadores, como monitoramento das populações e conhecimento dos recursos tróficos são fundamentais. Nesse trabalho, apresentamos parâmetros que podem subsidiar a conservação e o manejo dos polinizadores da aceroleira, as abelhas Centridini. Os dados foram coletados num cultivo dessa fruteira, na Estação Experimental Água Limpa, em Uberlândia, MG, nos períodos de outubro-novembro (P1) e janeiro-fevereiro (P2) dos anos 2006/2007 (A1) e 2007/2008 (A2), totalizando 54 horas de observação por ano. Além disso, a taxa de polinização natural foi acompanhada. Foi encontrada uma riqueza de 23 espécies, sendo Centris (Centris) varia e Centris (Centris) aenea as mais freqüentes no A1 e no A2, respectivamente. Foram registradas 20 espécies no A1 e 18 espécies no A2, as quais apresentaram variação temporal durante a floração. No entanto, o número de visitas não diferiu significativamente entre os dois períodos amostrados em ambos os anos. Os dados mostram uma substituição de espécies que polinizam efetivamente a aceroleira ao longo das amostragens...

Polinizadores do maracujá-amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa Deneger, Passifloraceae) no Triângulo Mineiro: riqueza de espécies, freqüência de visitas e a conservação de áreas naturais; Pollinators of yellow passion fruit (Passiflora edulis f. flavicarpa Deneger, Passifloraceae) in the Triângulo Mineiro region, Central Brazil: species richness, frequency of visits and natural area conservation

Yamamoto, Marcela
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
49.02375%
As evidências de declínio das populações dos polinizadores nativos em vários locais do mundo conduziram a iniciativas de conservação e ao incentivo de vários projetos, inclusive no Brasil, com o intuito de conhecer e propor atividades de manejo e conservação desses polinizadores. Neste contexto, o cultivo do maracujáamarelo parece constituir um modelo interessante a ser estudado uma vez que o plantio é dependente dos serviços de polinização para a produção de seus frutos, e os seus principais polinizadores envolvem abelhas nativas de grande porte, de hábitos solitários e que nidificam em madeira. Além disso, o cultivo é importante para o desenvolvimento sustentável da região do Triângulo Mineiro, uma das áreas de maior ação antrópica do bioma Cerrado. O objetivo geral da tese foi verificar a relação entre a conservação das áreas naturais de cerrado do entorno dos cultivos do maracujá-amarelo e o serviço de polinização deste cultivo na região. Para tanto, foi necessário estimar a riqueza de espécies de polinizadores, conhecer o comportamento e a freqüência de visitas nos pomares e finalmente, associar tais informações ao serviço de polinização deste cultivo na região, fazendo uma análise preliminar do efeito da cobertura das áreas naturais de entorno dos pomares na polinização e produtividade deste cultivo. O estudo foi conduzido durante o florescimento do cultivo nos anos de 2004 e 2008...

Manejo de abelhas do gênero Xylocopa (Apidae, Xylocopini) para incremento da frutificação do maracujá-amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa Degener)

Junqueira, Camila Nonato
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
48.985596%
A produtividade do maracujá-amarelo não atinge níveis ideais em áreas com baixa densidade ou ausência de seus polinizadores efetivos, abelhas do gênero Xylocopa. Estas abelhas apresentam tamanho e comportamento de forrageamento adequados para a polinização do maracujá-amarelo e são facilmente atraídas por ninhos-armadilha. O objetivo deste trabalho foi determinar procedimentos de manejo de ninhos de X. frontalis e X. grisescens e avaliar a eficiência destes procedimentos no incremento da produção e da qualidade de frutos de maracujá-amarelo em áreas de cultivos comerciais. No período de março de 2008 a janeiro de 2010, foram realizados os experimentos de manejo de ninhos na Fazenda Experimental Água Limpa, Uberlândia – MG. Foram construídos dois ranchos entomológicos, nos quais foram disponibilizados 192 ninhos-armadilha/rancho, confeccionados com gomos de bambu. Adicionalmente 12 ninhos de X. grisescens e 17 ninhos de X. frontalis, em diferentes estágios de desenvolvimento, foram introduzidos nesses ranchos. Os experimentos acerca da eficiência da introdução de ninhos em áreas de cultivo comerciais de maracujá-amarelo no incremento da produção e da qualidade de frutos foram realizados de novembro de 2010 a junho de 2011...

Fenologia e ecologia da polinização de especies de Peperaceae em mata semidecidua do sudeste brasileiro

Rodolfo Antonio de Figueiredo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/02/1997 Português
Relevância na Pesquisa
49.30631%
A fenologia e a ecologia da polinização de onze espécies de Piper, duas de Ottonia, quatro de Peperomia e uma de Pothomorphe, de mata semidecídua do Sudeste Brasileiro, foram estudadas de janeiro a dezembro de 1995. A comunidade de piperáceas apresentou floração e frutificação ao longo de todo o ano. A maioria dos indivíduos floresceu entre agosto e outubro e frutificou entre setembro e dezembro. A floração no nível da população apresentou três padrões básicos: floração contínua ao longo do ano, floração episódica e floração sazonal. Os padrões de frutificação foram semelhantes aos de floração. No nível dos indivíduos dois padrões foram registrados: ramos com inflorescências em diversos estádios de desenvolvimento e ramos que não apresentavam sobreposição de estádios. Nas inflorescências, o padrão fenológico mais comum é o de flores proximais amadurecerem antes das distais, sendo que as flores podem ser protogínicas ou protândricas. Três espécies de Piper são entomófilas, três espécies de Peperomia são anemófilas e as demais piperáceas têm o pólen transportado tanto pelo vento como por insetos. Os principais visitantes foram moscas (principalmente Syrphidae: Diptera) e abelhas (principalmente Apidae e Halictidae: Hymenoptera). Devido ao comportamento de forrageamento nas flores das piperáceas...

Polinização dirigida em pomares de macieiras (Malus x doméstica Borkh) com o uso de colmeias de Apis mellifera L

Salomé, James Arruda
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 137 p.| il., tabs., grafs.
Português
Relevância na Pesquisa
48.992197%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Florianópolis, 2014.; A macieira é uma cultura que tem destaque socioeconômico no Brasil. Em 20 anos de produção comercial, o país se transformou de importador a exportador. "Fuji" e "Gala" e seus clones representam 46% e 45%, respectivamente do total da área plantada. Para atender a crescente demanda por maçãs, é necessário melhorar a qualidade e a produtividade, obtendo-se uma boa frutificação, que depende de polinização satisfatória e consequente fertilização das flores. A importância das abelhas como agentes polinizadores é relevante. A macieira, para superar a barreira da incompatibilidade gametofítica e proporcionar fecundação, necessita da transferência do pólen entre genótipos compatíveis quanto à série alélica "S" e tal transferência é feita por insetos polinizadores. A falta desses pode reduzir a produção de maçãs entre 90 e 100%. A abelha Apis mellifera é o principal inseto polinizador em pomares pela facilidade de manejo e de transporte das colmeias às áreas plantadas. O objetivo geral desse trabalho foi avaliar o atual sistema de polinização dirigida com colmeias de Apis mellifera em pomares de macieiras...

Ecologia da polinização da amoreira-preta (Rubus sp.) (Rosaceae) em Timbó, SC, Sul do Brasil

Mello Júnior, Leônidas João de
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xii, 51 f.| il., grafs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
49.15556%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais; Estudou-se a ecologia da polinização da amoreira-preta (Rubus sp.), da família Rosaceae, por meio de testes de polinização, análise da produção de néctar e da amostragem de visitantes florais em área de cultivo comercial. Objetivou-se, especificamente, confirmar a síndrome de polinização de Rubus sp, através da análise de sua biologia floral e alocação de recursos florais para os insetos. Objetivou-se, também, avaliar a importância das abelhas como vetores de pólen e se esta associação influencia positivamente no sucesso reprodutivo de Rubus sp. Os experimentos foram realizados em uma área de cultivo de amoreira-preta, durante a florada no município de Timbó, SC (Latitude 26°46'38,5'' S e Longitude 49°15'42,0'' W). Para a avaliação do potencial polinizador de Rubus sp., foram introduzidos, próximo ao cultivo das amoreiras, oito ninhos de abelhas "sem-ferrão" (Apidae, Meliponineae), sendo dois de cada espécie: Melipona marginata, Melipona quadrifasciata, Plebeia droryana e Plebeia remota. Constatou-se que a maior taxa de frutificação (48,3 % ± 3...

Eficiência polinizadora de Apis mellifera L. e polinização entomófila em pimentão 'Cascadura Ikeda'

Faria Júnior,Luiz Roberto Ribeiro; Bendini,Juliana do Nascimento; Barreto,Lídia Maria Ruv Carelli
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
59.71082%
Este trabalho teve como objetivo identificar a entomofauna visitante das flores de Capsicum annuum L. var. Cascadura Ikeda, e avaliar os efeitos da polinização entomófila, mais especificamente de Apis mellifera L., nesta cultura. O estudo realizou-se em Taubaté (SP), a 21º01'S; 45º29'W; altitude de 570 m entre abril e setembro de 2002. Na ocasião, foram observadas 36 plantas de pimentão, das 6h às 17h (10 minutos/hora), durante quatro dias no período de floração máximo da cultura, sendo coletados os insetos visitantes florais. Doze parcelas receberam os seguintes tratamentos: (1) livremente visitadas por insetos; (2) isoladas em gaiolas de polinização; (3) parcelas em gaiolas de polinização contendo uma colméia de Apis mellifera. Foram observadas 12 espécies de insetos visitando as flores de pimentão, sendo as mais freqüentes espécies de abelhas do gênero Exomalopsis (53,9% das visitas). Os frutos produzidos nos tratamentos (1) e (3) tinham maior massa, diâmetro, espessura de pericarpo e número de sementes do que os produzidos no tratamento (2). Concluiu-se, assim, que a polinização por insetos influenciou na produção de frutos de maior qualidade que os produzidos na ausência destes quando se considera os parâmetros aqui avaliados. Ademais...

Composição florística de um remanescente florestal de entorno da Lagoa do Sombrio, Passo de Torres SC

Souza, Andréia Duarte Martins de
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Monografia de Curso de Pós-graduação Lato Sensu
Português
Relevância na Pesquisa
48.85604%
Monografia apresentada ao Setor de Pós-graduação da Universidade do Extremo Sul Catarinense- UNESC, para a obtenção do título de especialista em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais.; No Brasil a destruição e fragmentação dos habitats naturais têm comprometido a manutenção da flora e da fauna, bem como das reservas naturais e do fluxo de energia dos ecossistemas. A fragmentação do habitat pode limitar o potencial de dispersão e colonização de espécies, reduzir a capacidade de alimentação, aumentar a disputa por território e causar o declínio e a extinção de populações locais. Estudos recentes mostram um acentuado ritmo de substituição de áreas florestais por empreendimentos agropecuários, obras de infra-estrutura e expansão urbana. A devastação dos Biomas ocorre de forma acelerada. Neste contexto estudos florísticos em remanescentes florestais são de grande importância para o conhecimento preliminar de formações florestais, pois fornecem informações básicas para a execução de projetos mais detalhados sobre a vegetação. Estes levantamentos contribuem com informações primordiais para elaboração e planejamento de ações que visem à preservação da vegetação em nível regional, com a preocupação de se conservar a diversidade local. Partindo desta constatação este trabalho visou avaliar a composição florística...

Fenologia reprodutiva e sistemas de polinização e dispersão em formação florestal ribeirinha no Parque Estadual da Serra Furada, Orleans, SC

Cascaes, Mainara Figueiredo
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
58.562495%
Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Universidade do Extremo Sul Catarinense como requisito para obtenção do título de Mestre.; Capítulo 1 - Estudos fenológicos auxiliam na compreensão dos ecossistemas florestais e na avaliação da disponibilidade dos recursos para fauna, melhorando o entendimento das relações entre as plantas e seus polinizadores e dispersores. O presente estudo tem por objetivo descrever as fenofases reprodutivas de floração e de frutificação das espécies vegetais, correlacioná-las com as variáveis ambientais, bem como identificar os sistemas de polinização e de dispersão em uma área de mata ciliar. O estudo foi desenvolvido em uma área de mata ciliar no Parque Estadual da Serra Furada, Orleans, SC. A fenologia reprodutiva foi analizada quinzaenalmente durante um ano, entre os meses de Novembro de 2012 a Outrubro de 2011. As fenofases foram avaliadas qualitativamente, sendo registrada a ausência ou presença da fenofase. A fenofase de floração ocorreu durante todo o ano de estudo, apresentando incremento do número de espécies nos meses de outubro, novembro e dezembro, tendo no mês de novembro o pico de floração da comunidade estudada. Estudos conduzidos em matas ciliares na abrangência do Bioma Mata Atlântica têm demonstrado um comportamento sazonal para a fenofase de floração com um incremento no número de espécies e picos de floração na transição do período mais frio para os de temperatura mais elevada...

Honey bee contribution to canola pollination in Southern Brazil; Abelhas melíferas na polinização de canola no Sul do Brasil

Rosa, Annelise de Souza; Blochtein, Betina; Lima, Diego Kweco
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2011 Português
Relevância na Pesquisa
49.721006%
A canola (Brassica napus L.) é considerada autocompatível, embora pesquisadores indiquem aumento na produtividade da cultura resultante da polinização efetuada por Apis mellifera L.. Considerando-se a crescente importância dessa cultura no Rio Grande do Sul, avaliou-se o incremento da produtividade de síliquas e sementes a partir de interações com insetos antófilos e com testes de polinização manual. A freqüência de visitas de A. mellifera foi relacionada com o desenvolvimento da floração da cultura e a produtividade foi comparada entre plantas visitadas por insetos, polinizadas manualmente (geitonogamia e xenogamia) e com ausência de indução de polinização. Em cada tratamento avaliou-se a produtividade de síliquas e de sementes formadas por planta. Dentre os 8.624 insetos visitantes florais registrados destacaram-se representantes de Hymenoptera (92,3%), dos quais 99,8% eram A. mellifera. A relação entre essas abelhas e o curso da floração foi positiva (r = 0,87; p = 0,002). A indução de polinização elevou a produtividade de sementes de 28,3% (autogamia) para 50,4% com livre visita de insetos e com polinização manual, respectivamente, para 48,7 (geitonogamia) e 55,1% (xenogamia).; Although canola, (Brassica napus L.)...