Página 1 dos resultados de 36 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

Volta ao começo : demarcação emancipatória de terras indígenas no Brasil

Neves, Lino João de Oliveira
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
76.17%
Volta ao Começo: demarcação emancipatória de terras indígenas no Brasil analisa o diálogo dos povos indígenas com o Estado nacional brasileiro, tomando como objeto central de estudo a participação dos índios nos processos demarcatórios de terras ocupadas por grupos étnicos, reconhecidas oficialmente pelo Estado brasileiro como “terras indígenas”. A partir do enfoque teórico-conceitual que orienta a Tese, a participação indígena no processo de reconhecimento de suas terras é analisada sob dois ângulos: primeiro, considerando as iniciativas indígenas como realidades étnicas capazes de inovar as relações interétnicas historicamente estabelecidas entre o Estado nacional e os povos indígenas, e, segundo, considerando o desperdício do conhecimento indígena, acarretado pela institucionalização das realidades étnicas em programas de ação estatal, como expressão do processo de regulação social imposto aos grupos étnicos. A expressão “Volta ao Começo” corresponde à condição étnica da qual os indígenas foram distanciados política e culturalmente pelas relações coloniais que subordinam os povos indígenas à condição de civilizações e sociedades negadas, de culturas subordinadas ao paradigma da modernidade ocidental e de populações condenadas a mais completa exclusão social. Negação...

Estado pluralista? o reconhecimento da organização social e jurídica dos povos indígenas no Brasil; Is Brazil a multiethnic state?:recognition of indigenous peoples and legal organization in Brazile

Silva, Luiz Fernando Villares e
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
76.14%
Cada povo indígena possui um sistema de organização social, aí incluídas as ordenações jurídicas. O estudo das diversas ordenações jurídicas dos povos indígenas e suas relações com os direitos nacionais fez nascer a Antropologia do Direito e, mais tarde, o conceito de pluralismo jurídico. Esse conceito é central para saber como o Estado brasileiro e o Direito dele emanado lida com a multiplicidade de ordenações jurídicas que regulam as comunidades e povos indígenas no Brasil. Trabalhado esse conceito, e fixado o conteúdo e a importância do direito dos povos indígenas de ter respeitadas sua organização social e jurídica, foi feita minuciosa análise das normas do Direito nacional e internacional que permeiam a vida indígena, tendo sempre como referencial a Constituição brasileira de 1988, que, em seu artigo 231 reconhece aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam. Após o exame crítico da legislação, com o objetivo de concluir sobre se a elaboração e a edição das normas se deram de forma consentânea com o pluralismo previsto no artigo 231 e em tantos outros dispositivos constitucionais, foi importante...

Diálogos cartográficos em territórios indígenas

Bulcão, Luis Lyra da Silva
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 1 v.| il., mapas
Português
Relevância na Pesquisa
46.02%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Geografia, 2014.; Apresenta-se aqui um estudo sobre os processos de mapeamento das dinâmicas e expressões geográficas dos territórios indígenas no Brasil. O principal desafio é como associar o problema da generalização cartográfica às distintas formas de compreensão de mundo, da terra, do espaço e dos significados da relação entre as sociedades humanas e o meio-ambiente para mais de 305 diferentes etnias indígenas que habitam o Brasil hoje (IBGE, 2010). O método adotado para o estudo deste tema se baseou em reflexão epistemológica e metodológica tendo, como eixo central, a narrativa de um processo de mapeamento com o povo Pankará, habitante do Sertão Pernambucano, em caráter de estudo de identificação e delimitação da Terra Indígena Pankará da Serra do Arapuá. O presente estudo aponta que o processo de elaboração de Sistemas de Informações Geográficas para o mapeamento de territórios indígenas pode também representar um risco a autonomia destes povos, como demonstrou-se a partir da lógica mercantilista apresentada por Chapin (2005), ao afirmar que seria vantajosa a elaboração de SIG para a gestão de seus territórios a partir da renda provinda da exploração de recursos naturais como petróleo...

Em busca da cidadania : escolarização e reconhecimento de identidades indígenas em dois países americanos (Brasil e México)

Alves, Jean Paraizo
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
Português
Relevância na Pesquisa
46.04%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas, 2007.; O presente trabalho trata da articulação entre as noções de escolarização e reconhecimento em dois países latino-americanos: Brasil e México. Para tanto, levou-se em conta os respectivos contextos indigenistas nacionais e a história das relações interétnicas. Procurou-se compreender a importância do processo de escolarização na conformação da identidade étnica, em especial na luta por seu reconhecimento e pela cidadania. O problema central, portanto, é entender como agentes indígenas que passaram por processos de escolarização, produzidos ou apoiados, no mais das vezes, pelas agências indigenistas oficiais, participam atualmente da formulação e execução de políticas públicas voltadas para as populações indígenas nos dois países. As técnicas de pesquisa utilizadas envolveram estudo da bibliografia especializada, descrição de instituições públicas, entrevistas com dirigentes, técnicos e profissionais diversos que atuam em diferentes instituições públicas e privadas dos dois países, bem como análise documental, registros fotográficos e conversas informais. Especial ênfase é conferida aos dirigentes e técnicos das instituições públicas criadas a partir dos programas de descentralização da política indigenista dos dois países para as esferas subnacionais e para a biografia de seus dirigentes. No caso brasileiro...

A moldura positivista do indigenismo : a propósito do Estatuto do Índio para a proteção de povos indígenas no Brasil

Silva, Cristhian Teófilo da; Lorenzoni, Patricia
Fonte: Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas - CEPPAC Publicador: Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas - CEPPAC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
55.75%
O artigo interpreta definições legais de “Isolados”, “Em vias de integração” e “Integrados” presentes no Estatuto do Índio (Lei 6.001/73, Brasil) em contraste às ideias positivistas geradas e difundidas na Antropologia e na Sociologia no século XIX, em particular o positivismo francês. Dois casos serão mencionados como exemplos do sentido positivista atribuído a essas definições legais para a implantação da tutela indigenista a indivíduos e grupos etnicamente diferenciados. Os dois casos estão relacionados aos índios Avá-Canoeiro e Tapuio no Brasil Central e o objetivo de sua descrição é elucidar a duração e o poder simbólico de ideias positivistas usadas como moldura ideológica estruturante das leis, ações e práticas indigenistas no Brasil contemporâneo. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT; The article interprets legal definitions of “Isolated”, “On the way to integration” and “Integrated” present in the Indian Statute (Law 6.001/73, Brazil) in relation to positivist ideas generated and disseminated by Anthropology and Sociology in the XIXth Century, particularly French positivism. Two cases will be mentioned as examples of the positivist meaning given to these legal definitions in order to implement the indigenist protection of ethnically differentiated individuals and groups. These two cases are related to the Awa-Canoeiro and the Tapuio in Central Brazil...

Do dois ao múltiplo na terra do um: a experiência antropológica de David Maybury-Lewis

Sztutman,Renato
Fonte: Departamento de Antropologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo - FFLCH/USP Publicador: Departamento de Antropologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo - FFLCH/USP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 Português
Relevância na Pesquisa
55.82%
Este artigo busca uma compreensão da trajetória do antropólogo britânico, radicado nos EUA, David Maybury-Lewis. Aborda aspectos de sua formação intelectual, que envolveram uma longa pesquisa entre os Xavante e um estudo comparativo sobre os povos de língua jê e bororo do Brasil Central. Maybury-Lewis é um nome central para o desenvolvimento de um "americanismo tropical". Entre suas contribuições etnográficas e teóricas, pode-se citar a elaboração de um modelo analítico jê e bororo, a renovação dos estudos de parentesco e a reflexão sobre a relação entre povos indígenas e o Estado. Um tema parece, com efeito, permear a sua obra: o das organizações dualistas. Não por menos, esse foi o motivo de um longo debate com a obra de Lévi-Strauss, que será aqui destacado.

A revolução demográfica dos povos indígenas no Brasil: a experiência dos Kayabí do Parque Indígena do Xingu, Mato Grosso, Brasil, 1970-2007

Pagliaro,Heloisa
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
65.89%
O artigo analisa a dinâmica demográfica dos Kayabí, povo de língua Tupi, do Parque Indígena do Xingu, Brasil Central, no período 1970-2007, com base em informações do registro de eventos vitais do Programa de Saúde da Universidade Federal de São Paulo no Xingu. O contato dos Kayabí com a sociedade nacional, na região do Alto rio Teles Pires, entre 1920 e 1950, deu origem a depopulação das aldeias por confrontos e epidemias de doenças infecto-contagiosas, resultando na emigração paulatina de alguns grupos Kayabí para o Xingu, onde até hoje vivem. Entre 1970 e 2007, a população Kayabí no Xingu cresceu 4,8% ao ano, passando de 204 para 1.162 habitantes. No período 2000-2007, a taxa bruta de natalidade era de 51 nascimentos por mil habitantes, a de fecundidade total de 7,8 filhos por mulher, a taxa bruta de mortalidade de 3,5 óbitos por mil habitantes e a de mortalidade infantil de 17,5 óbitos por mil nascimentos. Na população, 56,2% eram menores de 15 anos de idade. Os resultados mostram que, a exemplo do que vem ocorrendo com outros povos indígenas no Brasil, os Kayabí também estão se recuperando em população.

Recuperação populacional e fecundidade dos Kamaiurá, povo Tupi do Alto Xingu, Brasil Central, 1970-2003

Pagliaro,Heloisa; Junqueira,Carmen
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 Português
Relevância na Pesquisa
86%
Este trabalho analisa a fecundidade dos Kamaiurá, povo Tupi habitante do Parque Indígena do Xingu (PIX), entre 1970 e 2003. As fontes de dados foram os registros do Programa de Saúde da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) no Parque Indígena do Xingu e levantamentos de campo realizados em 2003. O estudo mostrou que até 1966 a população Kamaiurá manteve-se estável devido à alta mortalidade por epidemias de doenças infecciosas e disputas com os povos da região, assim como à fecundidade moderada. Entre 1967 e 2002, essa população cresceu 3,5% ao ano. O nível da fecundidade das Kamaiurá passou de 5,7 para 6,2 filhos por mulher, entre 1970 e 2003, tendo atingido seu valor máximo em 1980 (6,6). A partir da década de 1990, houve um envelhecimento do padrão reprodutivo, evidenciado pela redução dos níveis de fecundidade das mulheres com até 24 anos e aumento entre as mulheres dos demais grupos etários. A média de idade ao nascimento do primeiro filho aumentou de 16,2 para 18,8 anos, no período 1970-2003, e a proporção de mulheres solteiras maiores de 15 anos de idade também cresceu: de 6,3%, em 1971, para 26%, em 2003. Nesse período, o intervalo entre os nascimentos variou entre 30,3 e 36 meses. O aumento da fecundidade dos Kamaiurá foi favorecido pela melhoria das condições de saúde decorrente da queda da mortalidade...

Estado nutricional e níveis de hemoglobina em crianças Aruak e Karibe: povos indígenas do Alto Xingu, Brasil Central, 2001-2002

Mondini,Lenise; Rodrigues,Douglas A.; Gimeno,Suely G.A.; Baruzzi,Roberto G.
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 Português
Relevância na Pesquisa
75.95%
OBJETIVO: Avaliar o estado nutricional de crianças dos povos indígenas de famílias lingüísticas Aruak e Karibe do Alto Xingu, no Brasil Central, e verificar a associação entre os níveis de hemoglobina das crianças segundo sexo, idade e estado nutricional. Foram estudadas, no total, 470 crianças menores de dez anos de idade em 2001/2002. MÉTODOS: Para as crianças menores de cinco anos de idade, o diagnóstico de desnutrição foi realizado com base nos índices altura/idade e peso/altura, adotando-se como ponto de corte dois desvios-padrão aquém da média esperada para idade e sexo da referência - WHO, 2006. O diagnóstico de excesso de peso foi definido de acordo com o índice peso/altura acima de dois desvios-padrão da média esperada da mesma referência; as crianças com idade entre cinco e dez anos foram classificadas com baixo peso, sobrepeso ou obesidade de acordo com valores do índice de massa corporal, segundo sexo e idade, propostos por Cole e cols. O diagnóstico de anemia foi determinado a partir de concentrações de hemoglobina inferiores a 11,0 g/dL e inferiores a 11,5 g/dL para as crianças com idade entre 6 e 59 meses e entre 60 e 120 meses, respectivamente. RESULTADOS/CONCLUSÃO: Verificou-se entre as crianças indígenas elevada prevalência de déficit de estatura; a condição de baixo peso praticamente inexiste e o excesso de peso é expressivo entre as crianças mais novas e as de maior idade. A magnitude da anemia alcança cerca de 70% e a idade parece ser o principal fator associado às baixas concentrações de hemoglobina.

No chão da escola é diferente? : a educação escolar indígena de duas comunidades Chiquitano na fronteira Brasil/ Bolívia

Garcia, Thiago Almeida
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
55.88%
Dissertação (mestrado)-Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Centro de Pesquisa e Pós-graduação sobre as Américas, 2010.; Essa dissertação é um estudo comparativo sobre as políticas públicas voltadas aos povos indígenas no Brasil e na Bolívia, tendo como foco a educação escolar. Nela se analisa como se deu o processo de construção das políticas específicas para povos indígenas nos dois países e como a educação escolar indígena se organizou até o seu momento atual, onde o conceito de interculturalidade ocupa espaço central nos discursos dos gestores governamentais e do movimento indígena e indigenista. A partir disso é analisada as especificidades da educação escolar do Povo Indígena Chiquitano nos dois países, com o objetivo de verificar de quais formas, na realidade das comunidades, esse conceito foi incorporado nos discursos das lideranças Chiquitano e como instrumento de rediscussão étnica. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT; This work is a comparative study about state politics on indigenous people in Brazil and Bolivia, focusing on education through school. Here we analize how the construction process on specific politics for indigenous people in both countries was made and how the indigenous education through school was organized until the actual moment...

O gê dos gerais : elementos de cartografia para a etno-história do planalto central : contribuição à antropogeografia do cerrado

Santos, Rodrigo Martins dos
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
76.18%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável, 2013.; Esta dissertação localiza diversos povos indígenas que habitavam o Planalto Central e, portanto, uma parte do Cerrado, antes das invasões Luso-Brasileiras. Será dado maior enfoque a uma porção desse espaço chamado regionalmente de Gerais. Tenho como base o mapa de Curt Nimuendaju que apresenta lacunas na localização de etnias em algumas áreas do centro do país. Pretendo esclarecer um problema que é a insuficiente disposição de informações cartográficas a respeito de quais eram e onde estavam os povos indígenas do Brasil Central, em especial num polígono que abrange o Noroeste e Triângulo Mineiro, todo o Estado de Goiás, extremo nordeste do Mato Grosso e sudoeste do Pará, grande parte do Tocantins, região sul do Maranhão e do Piauí, e oeste da Bahia. A hipótese central é de que há mais informações sobre etnias nessa região do que as apresentadas por Nimuendaju. Para tentar confirmá-la, utilizo diversos produtos cartográficos como o mapa de Čestmír Loukotka, e diversos mapas históricos disponíveis em arquivos públicos no Brasil e em Portugal. Também realizo um mapeamento inédito da localização de etnias constantes nos históricos municipais do banco de dados IBGE cidades. Dessa fonte compilo...

Sawrepté : imagens do Brasil-Central

Morais Neto, Odilon Rodrigues de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
55.84%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Antropologia, Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, 2007.; Esta dissertação de mestrado é um levantamento de algumas 'evidências' empíricas da operação de redes de relações entre os grupos indígenas que atualmente vivem no estado do Tocantins e sul do estado do Maranhão. O objetivo central da pesquisa é sugerir a emergência de um novo foco etnográfico a ser realizado nos estudos Jê, desde uma perspectiva mais centrada nas formas de articulações supra-locais, do que na assunção de 'grupos étnicos' como totalidades discretas, isto é, tomadas como unidade de análise isolável para fins descritivos e comparativos. A partir da trajetória biográfica do wawen (ancião) Sawrepté, observo que para o caso dos povos de língua Jê, não se trata de uma ausência empírica de diferentes modalidades de articulações sociais que se convencionou denominar 'relações intertribais', mas sim da ausência de um olhar que as tome como constitutivas da reprodução social destes grupos indígenas. __________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; This dissertation gathers some empirical evidence of the operation of a network of relations between those Indigenous peoples that presently live in the state of Tocantins and in the southern portion of the state of Maranhão. The main aim of this research is to suggest the emergence of a new focus of ethnographic concern in the studies of Ge-speaking peoples...

“Volveré, y Seré Millones” : Contribuições Descoloniais dos Movimentos Indígenas Latino Americanos para a Superação do Mito do Estado-Nação

Lacerda, Rosane Freire
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
Português
Relevância na Pesquisa
45.98%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Direito, 2014.; Bibliografia: Vol 2, pp. 425 - 466. v.1, tomo I (Parte I). Do Estado Nação aos Estados Plurinacionais. v.2, tomo II (Parte II). Experiências constitucionais de Estado Plurinacional – Conquistas, Contradições e Desafios.; A tese trata da emergência do modelo plurinacional de Estado na América Latina a partir das demandas históricas dos povos indígenas. São demandas pelo seu reconhecimento enquanto sujeitos políticos e jurídicos autodeterminados, no marco do Estado territorial moderno. O foco central está na importância e contribuição dos movimentos indígenas latino-americanos, em especial os da Bolívia, Equador e Brasil, para a construção de um modelo de Estado que desafie e supere as relações coloniais e eurocêntricas de poder e de conhecimento presentes no modelo de Estado-nação. O trabalho busca responder a duas indagações: (a) o chamado modelo “plurinacional” de Estado consiste no simples reconhecimento da diversidade étnica e cultural da sociedade e na concessão, a estas identidades diversas, de direitos específicos? e (b) o Estado Brasileiro, tendo em vista os reconhecimentos do art. 231 da Constituição Federal de 1988...

Do dois ao múltiplo na terra do um: a experiência antropológica de David Maybury-Lewis

Sztutman, Renato
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2002 Português
Relevância na Pesquisa
55.85%
Este artigo busca uma compreensão da trajetória do antropólogo britânico, radicado nos EUA, David Maybury-Lewis. Aborda aspectos de sua formação intelectual, que envolveram uma longa pesquisa entre os Xavante e um estudo comparativo sobre os povos de língua jê e bororo do Brasil Central. Maybury-Lewis é um nome central para o desenvolvimento de um "americanismo tropical". Entre suas contribuições etnográficas e teóricas, pode-se citar a elaboração de um modelo analítico jê e bororo, a renovação dos estudos de parentesco e a reflexão sobre a relação entre povos indígenas e o Estado. Um tema parece, com efeito, permear a sua obra: o das organizações dualistas. Não por menos, esse foi o motivo de um longo debate com a obra de Lévi-Strauss, que será aqui destacado.; This article reaches a further understanding about the trajectory of the british anthropologist, living in USA, David Maybury-Lewis. It discusses some aspects of his intellectual formation, which includes a long period of research among the Xavante e and a comparative study on the gê and bororo speaking people of Central Brazil. Maybury-Lewis is a central character in the development of the so called "tropical Americanism". Among his ethnografical and theoretical contributions...

Recuperação populacional e fecundidade dos Kamaiurá, povo Tupi do Alto Xingu, Brasil Central, 1970-2003; Population recovery and fertility Among the Kamaiurá, Tupi people of the Alto Xingu, Central Brazil, 1970-2003

Pagliaro, Heloisa; Junqueira, Carmen
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2007 Português
Relevância na Pesquisa
86.03%
Este trabalho analisa a fecundidade dos Kamaiurá, povo Tupi habitante do Parque Indígena do Xingu (PIX), entre 1970 e 2003. As fontes de dados foram os registros do Programa de Saúde da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) no Parque Indígena do Xingu e levantamentos de campo realizados em 2003. O estudo mostrou que até 1966 a população Kamaiurá manteve-se estável devido à alta mortalidade por epidemias de doenças infecciosas e disputas com os povos da região, assim como à fecundidade moderada. Entre 1967 e 2002, essa população cresceu 3,5% ao ano. O nível da fecundidade das Kamaiurá passou de 5,7 para 6,2 filhos por mulher, entre 1970 e 2003, tendo atingido seu valor máximo em 1980 (6,6). A partir da década de 1990, houve um envelhecimento do padrão reprodutivo, evidenciado pela redução dos níveis de fecundidade das mulheres com até 24 anos e aumento entre as mulheres dos demais grupos etários. A média de idade ao nascimento do primeiro filho aumentou de 16,2 para 18,8 anos, no período 1970-2003, e a proporção de mulheres solteiras maiores de 15 anos de idade também cresceu: de 6,3%, em 1971, para 26%, em 2003. Nesse período, o intervalo entre os nascimentos variou entre 30,3 e 36 meses. O aumento da fecundidade dos Kamaiurá foi favorecido pela melhoria das condições de saúde decorrente da queda da mortalidade...

Mitos e ritos

Junqueira, Carmen
Fonte: Laboratório de Línguas e Literaturas Indígenas Publicador: Laboratório de Línguas e Literaturas Indígenas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Peer-reviewed Article; Avaliado por Pares Formato: application/pdf
Publicado em 18/04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
55.71%
O texto busca compreender melhor o significado da expressão “tradição”, usada com frequência pelos Kamaiurá (MT) e outros povos indígenas do Brasil. Pelo que foi possível constatar, o horizonte da tradição não coincide com o horizonte da cultura como um todo, mas se constitui de um núcleo central que reúne os costumes mais valorizados.

REPRESENTAÇÕES INDÍGENAS NA CARTOGRAFIA COLONIAL DO BRASIL CENTRAL

Costa, Kênia Gonçalves; Ratts, Alecsandro J. P.
Fonte: OKARA: Geografia em debate Publicador: OKARA: Geografia em debate
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 06/12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
65.9%
O presente trabalho analisa as representações indígenas na cartografia colonial. O recorte espacial proposto, o Brasil Central, se faz necessário por coincidir com área de abrangência da pesquisa que vem discutindo as representações cartográficas dos índios Karajá e Javaé que constituem na sua autodenominação o povo Iny que vive na área do Rio Araguaia. Ao iniciarmos a revisão bibliográfica e cartográfica foi possível perceber que historicamente as referências indígenas foram sendo registradas, com relativa imprecisão, pelos cartógrafos coloniais nos mapas desta região e naquele período. Desta forma, suscitou o interesse de compreender como foram vistos os povos indígenas no período colonial desta região denominada de várias maneiras: “sertão”, “terra dos gentios”, “Brasil Central”, dentre outras. Neste período a formação territorial brasileira passa por situações tensas e conflituosas. A cartografia histórica permite com suas representações a contextualização da dinâmica sócio-espacial e cultural de grupos étnicos formadores da população brasileira.

Estado nutricional e níveis de hemoglobina em crianças Aruak e Karibe: povos indígenas do Alto Xingu, Brasil Central, 2001-2002

Mondini,Lenise; Rodrigues,Douglas A.; Gimeno,Suely G.A.; Baruzzi,Roberto G.
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 Português
Relevância na Pesquisa
75.95%
OBJETIVO: Avaliar o estado nutricional de crianças dos povos indígenas de famílias lingüísticas Aruak e Karibe do Alto Xingu, no Brasil Central, e verificar a associação entre os níveis de hemoglobina das crianças segundo sexo, idade e estado nutricional. Foram estudadas, no total, 470 crianças menores de dez anos de idade em 2001/2002. MÉTODOS: Para as crianças menores de cinco anos de idade, o diagnóstico de desnutrição foi realizado com base nos índices altura/idade e peso/altura, adotando-se como ponto de corte dois desvios-padrão aquém da média esperada para idade e sexo da referência - WHO, 2006. O diagnóstico de excesso de peso foi definido de acordo com o índice peso/altura acima de dois desvios-padrão da média esperada da mesma referência; as crianças com idade entre cinco e dez anos foram classificadas com baixo peso, sobrepeso ou obesidade de acordo com valores do índice de massa corporal, segundo sexo e idade, propostos por Cole e cols. O diagnóstico de anemia foi determinado a partir de concentrações de hemoglobina inferiores a 11,0 g/dL e inferiores a 11,5 g/dL para as crianças com idade entre 6 e 59 meses e entre 60 e 120 meses, respectivamente. RESULTADOS/CONCLUSÃO: Verificou-se entre as crianças indígenas elevada prevalência de déficit de estatura; a condição de baixo peso praticamente inexiste e o excesso de peso é expressivo entre as crianças mais novas e as de maior idade. A magnitude da anemia alcança cerca de 70% e a idade parece ser o principal fator associado às baixas concentrações de hemoglobina.

A revolução demográfica dos povos indígenas no Brasil: a experiência dos Kayabí do Parque Indígena do Xingu, Mato Grosso, Brasil, 1970-2007

Pagliaro,Heloisa
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
65.89%
O artigo analisa a dinâmica demográfica dos Kayabí, povo de língua Tupi, do Parque Indígena do Xingu, Brasil Central, no período 1970-2007, com base em informações do registro de eventos vitais do Programa de Saúde da Universidade Federal de São Paulo no Xingu. O contato dos Kayabí com a sociedade nacional, na região do Alto rio Teles Pires, entre 1920 e 1950, deu origem a depopulação das aldeias por confrontos e epidemias de doenças infecto-contagiosas, resultando na emigração paulatina de alguns grupos Kayabí para o Xingu, onde até hoje vivem. Entre 1970 e 2007, a população Kayabí no Xingu cresceu 4,8% ao ano, passando de 204 para 1.162 habitantes. No período 2000-2007, a taxa bruta de natalidade era de 51 nascimentos por mil habitantes, a de fecundidade total de 7,8 filhos por mulher, a taxa bruta de mortalidade de 3,5 óbitos por mil habitantes e a de mortalidade infantil de 17,5 óbitos por mil nascimentos. Na população, 56,2% eram menores de 15 anos de idade. Os resultados mostram que, a exemplo do que vem ocorrendo com outros povos indígenas no Brasil, os Kayabí também estão se recuperando em população.

Rastreamento do câncer de colo uterino em índias do Parque Indígena do Xingu, Brasil central

Taborda,Wladimir Correa; Ferreira,Selma Carneiro; Rodrigues,Douglas; Stávale,João Norberto; Baruzzi,Roberto Geraldo
Fonte: Organización Panamericana de la Salud Publicador: Organización Panamericana de la Salud
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2000 Português
Relevância na Pesquisa
65.88%
Embora a literatura apresente dados preocupantes sobre a incidência do câncer de colo uterino entre povos indígenas, no Brasil são muito escassas as informações a respeito da ocorrência do câncer nessa população. Assim, o objetivo do presente estudo descritivo foi analisar a prevalência de câncer do colo uterino e de infecções cérvico-vaginais em 423 mulheres índias, habitantes do Parque Indígena do Xingu, Estado do Mato Grosso, com vida sexual ativa presente ou pregressa. Os dados foram coletados entre 1989 e 1996. Foram realizados exames clínico e ginecológico previamente à obtenção de esfregaço da cérvice uterina e estudo da citologia oncológica, complementados por colposcopia e biópsia nos casos positivos. Os resultados demonstraram que 1% das mulheres apresentava carcinoma invasivo e 3% apresentavam lesões pré-malignas. Além disso, evidenciou-se que 84% das mulheres apresentavam atipias celulares de natureza inflamatória, decorrentes de infecções genitais sexualmente transmitidas. Estes achados estão de acordo com a literatura internacional quanto à elevada prevalência dessas doenças em populações nativas e indicam a importância de serem estendidos aos povos indígenas do Brasil os programas de controle...