Página 1 dos resultados de 592 itens digitais encontrados em 0.016 segundos

Análise da evolução diferenciada dos salários e empregos entre as regiões metropolitanas e não metropolitana do estado de São Paulo no período de 1998 a 2012; Differentiated evolution of wages and employment between metropolitan and non-metropolitan areas of Brazil's State of Sao Paulo from 1998 through 2012

Kretzmann, Camila Kraide
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/07/2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.9%
A segunda metade do século passado presenciou crescimento populacional e do emprego mais acelerado nos grandes centros urbanos, gerando as metrópoles brasileiras e criando grandes clusters urbanos, como no caso do Estado de São Paulo. No entanto, observa-se que, a partir da segunda metade da década de 1990, nas áreas não metropolitanas os salários têm crescido mais do que nas metropolitanas e há estados em que o volume de emprego cresce mais no seu interior do que na sua região metropolitana. O Estado de São Paulo possui uma região metropolitana federal e mais três regiões metropolitanas estaduais que detinham, em 1998, quase 72% do número de empregos formais do estado, mas este percentual caiu para 69,5% em 2012. Simultaneamente, o diferencial de salário médio real entre o empregado formal das regiões metropolitanas e não metropolitanas caiu 53% no mesmo período. Diante deste contexto, o objetivo da tese foi analisar os determinantes do emprego e do salário das pessoas empregadas formalmente nas regiões metropolitanas e não metropolitanas do Estado de São Paulo, no período de 1998 a 2012, fazendo uso de dados da RAIS, que informa sobre o emprego e o salário médio por município. As equações reduzidas de salário e de emprego foram deduzidas a partir da síntese neoclássica...

Regiões metropolitanas paulistas e coordenação intergovernamental : um estudo comparativo

Diba, Ricardo David
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
66.8%
Retrata, em sua formação e trajetória, a história da criação das Regiões Metropolitanas paulistas, bem como da criação de suas instituições de desenvolvimento, analisando o impacto da cooperação intergovernamental na gestão metropolitana, através da participação do governo estadual. As questões que conduzem a discussão são os impactos da variável federativa e a ausência de políticas de solução de problemas comuns das várias unidades de governo de uma Região Metropolitana, que desestimulam a cooperação entre os entes federativos nessas regiões. A importância da cooperação intergovernamental é o ponto central da análise. Embora a cooperação intergovernamental apresente limitações, tanto em aspectos técnicos, como políticos, representa e aparece como solução para os problemas da ação coletiva.

Transporte público metropolitano nas regiões metropolitanas de Londrina e Maringá sob a ótica da mobilidade espacial

Druciaki, Vinícius Polzin
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 205 f. : il., maps.
Português
Relevância na Pesquisa
66.88%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Geografia - IGCE; The cities of Londrina and Maringa reached the category of metropolitan areas in 1998. In essence, the main objective was centered on the management of common problems facing the metropolization process involving nearby towns. One of the early problems for metropolitan areas refers to the mobility of people from a public transportation. In this sense, the only modal that took this demand was the Metropolitan Road Transport (TRM) that, despite the nomenclature, falls into a category of inter-municipal public service, having no relation with the established regions. These were never implemented, thus implying the problem of spatial mobility of people seeking activity sites in the major cities, and who do not have any kind of physical, tariff or temporal integration with the urban transportation of the cities. We understand that social mobility is oriented movement of people and their condition of access to places through a mean of transportation in order to meet their needs in the local activities. Therefore, the spatial mobility in the metropolitan scale in question has no relationship with the institutionalization of these spaces...

Trabalho infantil e familias em regiões metropolitanas brasileiras

Carmen Siqueira Ribeiro dos Santos Nogueira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/2003 Português
Relevância na Pesquisa
66.64%
Desde o Estatuto da Criança e do Adolescente, no final dos anos 80, e durante toda a década de 90 houve, do ponto de vista formal-legal, uma mudança qualitativa no tratamento conferido à infância e adolescência. Instituiu-se um arcabouço legal específico de proteção aos direitos da infância, bem como houve a implementação de políticas e programas que têm como meta, direta ou indireta, a erradicação do trabalho infantil. Entretanto, permaneceu trabalhando um número expressivo de crianças no meio urbano. A partir dos dados da PNAD de 1992 e 1999, este trabalho busca, de um lado, caracterizar o trabalho das crianças nas Regiões Metropolitanas brasileiras e, de outro, os seus domicílios e famílias.

Diferenciais de mortalidade entre as regiões metropolitanas de Belo Horizonte e Salvador, 1985-1995

Abreu,Daisy Maria Xavier de; Rodrigues,Roberto do Nascimento
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2000 Português
Relevância na Pesquisa
56.8%
OBJETIVO: Analisar a evolução da mortalidade, por idade e sexo, segundo as causas de morte, nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte (RMBH) e Salvador (RMS), entre 1985 e 1995. MÉTODOS: Os dados utilizados foram provenientes do Registro Civil, fornecidos pelo SIM (Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde). As causas de morte foram classificadas em evitáveis e não evitáveis. Aplicou-se o método de decomposição de Pollard para analisar a contribuição, na evolução dos ganhos de esperança de vida ao nascer, dos grupos de causas que tiveram um aumento da sua participação relativa na estrutura da mortalidade. RESULTADOS: O processo de declínio da mortalidade, em curso nas regiões metropolitanas estudadas, vem sofrendo mudanças nas últimas décadas com uma tendência à redução dos diferenciais existentes. No seu conjunto, as causas evitáveis reduziram seu peso relativo em ambas as regiões: na RMBH, de 36,5%, em 1985, para 30,6%, em 1995, entre os homens, e de 34,9%, em 1985, para 28%, em 1995, entre as mulheres. Na RMS, observou-se uma redução maior da participação relativa para as mulheres: de 35,4%, em 1985, para 25,9%, em 1995. Para os homens, essa participação passou de 44% do total...

Elasticidade-renda dos produtos alimentares nas regiões metropolitanas brasileiras: uma aplicação da POF 1995/1996

Silveira,Fernando Gaiger; Menezes,Tatiane A. de; Magalhães,Luís Carlos G. de; Diniz,Bernardo P. Campolina
Fonte: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE Publicador: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
56.56%
O objetivo deste trabalho é estimar a elasticidade-renda para trinta e seis produtos alimentares. A base de dados utilizada é a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 1995/96 do IBGE, que abarca informações extremamente detalhadas sobre o consumo alimentar das famílias das onze maiores regiões urbanas brasileiras. As variáveis utilizadas na estimação do modelo foram obtidas diretamente dos microdados dessa pesquisa. Isto permitiu que os logaritmos dos preços alimentares e do recebimento mensal familiar per capita fossem calculados diretamente das observações individualizadas e não sobre os dados agregados das classes de rendas originais da POF. A metodologia empregada foi o modelo QUAIDS. Os resultados encontrados permitem aprofundar o conhecimento sobre as diferenças do padrão de consumo entre as diversas classes de renda, assim como entre regiões tão distintas como Sudeste e Sul e o Nordeste brasileiro. Evidenciou-se a existência de insuficiência no consumo alimentar domiciliar no Brasil e que tal fato se concentra nas famílias de baixa renda, nas quais as despesas com alimentação respondem pela maior parcela do orçamento.

As Regiões Metropolitanas no Brasil e o problema institucional de cooperação: a trajetória das Regiões Metropolitanas de Natal e Aracaju

Santos,Diego Fiel; Fernandes,Antônio Sérgio Araújo; Teixeira,Marco Antonio Carvalho
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.89%
O trabalho analisa a evolução do processo de institucionalização das Regiões Metropolitanas brasileiras, tendo como objeto empírico os casos de Natal-RN e Aracaju-SE. Por meio da análise institucional histórica e comparada sobre a constituição dos arranjos normativos das Regiões Metropolitanas de Aracaju e Natal, busca-se compreender como se deu o processo de formação, cooperação na gestão das áreas metropolitanas analisadas. Apesar dos diferentes contextos específicos respectivos de cada Região Metropolitana, observa-se como característica comum em ambas que não existem mecanismos institucionais e de cooperação tanto Federativos quanto intrametropolitanos que incentivem o interesse por parte dos entes federados para a cooperação. Ainda que exista uma frágil motivação política nos dois casos analisados, estes mostram uma baixa institucionalização, o que caracteriza estas duas regiões metropolitanas como um quadro de cooperação incipiente tornando inviável avançar em termos de gestão metropolitana.

Federalismo e política educacional nas regiões metropolitanas

Zander, Katherine Finn
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Monografia Graduação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.82%
A educação é essencial para a tomada de consciência dos indivíduos pois é pressuposto ético para a discursividade ou comunicação dos sujeitos, sem a qual o homem é excluído das decisões que concernem a manutenção da própria vida. Em decorrência de seu importante papel para a sociedade, foi tutelada como um direito fundamental de natureza social e por consequência é uma obrigação que deve ser prestada pelo Estado. Por ser tão indispensável é que se optou por analisar como estão sendo conduzidas suas políticas nas regiões metropolitanas, áreas carentes em diversos aspectos e que apontam o quadro mais complicado de gestão pública. Sendo essas regiões formadas por Municípios, fez-se necessário o estudo dos contornos que o federalismo adotado pela constituinte de 88 traçou ao adicionar o Município como ente autônomo da Federação. Sendo assim, tal inovação acabou por afetar as esferas de autonomia municipal e isso se refletiu na administração das regiões, a qual revela um déficit de políticas articuladas, consequentemente resultando em grande desigualdade de serviços prestados, como na educação. O federalismo pressupõe uma igualdade entre os membros federados e para que se alcançasse esse princípio previu políticas de desenvolvimento regional. No entanto...

Relações de cooperação em consórcios públicos de regiões metropolitanas: análises do CONDIAM/PB e consórcio grande Recife

Nascimento, Alex Bruno Ferreira Marques do
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Administração; Políticas e Gestão Públicas; Gestão Organizacional Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Administração; Políticas e Gestão Públicas; Gestão Organizacional
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.89%
With the disorganized decentralization occurred in Brazil after the 1988 Constitution, municipalities have risen to the level of federal entities. This phenomenon became known as "municipalism" also brought some negative effects such as low capacity financial, economic and political of these entities. In the face of this reality , the municipalities sought in models of collaborative features to address public policy issues ultrarregionais, one of these models are the Public Consortia. Characterized as the organization of all federal entities that aim to solve public policy implementation alone that they could not, or spend great resources for such. This reality of the municipalities have an aggravating factor when looking at the situation in Metropolitan Regions (MRs). This is because the RMs has a historical process of formation that does not encourage cooperation, since that were created top-down during the military regime. Furthermore, the metropolitan municipalities have significant power asymmetries, localist vision, rigidity earmarked revenues, different scenarios conurbation, difficulty standardization of concepts and others that contribute to the vision of low cooperation of these metropolitan areas. Thus, the problem of this work is in the presence of collaborative arrangements...

Mercado de trabalho e estrutura sócio-ocupacional: estudo comparativo entre as regiões metropolitanas de Fortaleza, Recife e Salvador 2001-2008

Silva Filho, Luís Abel da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Economia; Economia Regional Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Economia; Economia Regional
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.69%
The economic transformations in the world, the end of World War II, listing significant changes in production structures and labor market in the world. Initially developed countries realize these changes and subsequently developing countries. The changes in production patterns, especially with the crisis of Fordism, peripheral countries further accentuated the problems in the workplace. Flexible accumulation, in turn, was responsible for significant changes in the labor market at the periphery of global capitalism. This restructuring process, in Brazil, begun from the end of the 1980s and early 1990s, being more accentuated the impacts on the labor market in the poorest regions of the country, particularly the Northeast. In that sense, this thesis aims to evaluate the job market in the metropolitan areas of Fortaleza, Recife and Salvador in light of the transformation process in the production structures and labor market and its influences in the 2000s. The time frame are the years 2001-2008. Data are from the National Household Sample Survey - PNAD and were drawn from the study proposal developed by the Centre of the Metropolis. The study shows that the labor market of the three metropolitan areas continues to be affected by the restructuring process of the late twentieth century. It found high rates of unprotected busy at work is more precarious conditions of employment for non-whites...

Reconfigurações industriais das regiões metropolitanas do Nordeste: uma análise a partir do emprego formal

Brandão, Danilo Duarte
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Economia; Economia Regional Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Economia; Economia Regional
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.93%
Industrial development experienced by Brazil from the 1950s, changed the concentration of population in the country. The process of development of domestic industry, concentrated in urban areas, crowded growing portion of the population.The Southeast region during the first stage of industrialization driven by the state, with the implementation of Plan goals, captained the major industrial projects implemented in the period and became the main industrial center of the country.In the decade from 1960 to 1980 the state action was marked by numerous regional development projects, softening the industrial concentration and Brazilian investment redirected to the Northeast.The second National Development Plan implemented in the 1970s led to major investments Northeast.This period marked the widespread urban growth and institutionalization of the first metropolitan areas in Brazil.The change of this developmental process is altered with the fiscal and financial crisis of the state in the 1980s and 1990s and spending cuts aimed at national development, reorienting the economy to liberal policies of economic liberalization and reduction of activity in the economy.Industrial policy was relegated to local development plans from the 1990s to the federating units fitting the wide use of tax incentives...

Rediscutindo a delimitação das regiões metropolitanas no Brasil: um exercício a partir dos critérios da década de 1970; Texto para Discussão (TD) 1860: Rediscutindo a delimitação das regiões metropolitanas no Brasil: um exercício a partir dos critérios da década de 1970; Revisiting the delimitation of metropolitan areas in Brazil: an exercise using the criteria of the 1970

Castello Branco, Maria Luisa G.; Pereira, Rafael Henrique Moraes; Nadalin, Vanessa Gapriotti
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
66.8%
Desde a Constituição Federal de 1988 (CF/1988) os governos estaduais assumiram a atribuição de instituir suas próprias regiões metropolitanas (RMs). Em geral, há pouca informação acerca dos critérios utilizados para justificar a delimitação dos municípios pertencentes ao perímetro metropolitano dessas regiões. Como consequência, não é possível avaliar os prós e contras das metodologias utilizadas. Além disso, ficam comprometidas as análises comparativas acerca do desempenho de indicadores sociais e econômicos nessas áreas. A discussão de uma metodologia única para delimitação de RMs no Brasil vem num momento oportuno, uma vez que, no Congresso Nacional, está tramitando um projeto de lei sobre este tema (conhecido como Estatuto da Metrópole). Visando contribuir neste debate, este estudo simula quais seriam as RMs estimadas para o Brasil no ano de 2010 caso fosse aplicado um único conjunto de critérios, seguindo-se uma mesma metodologia para todo o país. Neste exercício, foram adotados como referência os mesmos critérios utilizados na década de 1970 para definição das nove primeiras RMs brasileiras com pequenas adaptações. Os resultados da simulação são comparados àquelas RMs estaduais reconhecidas oficialmente na data do Censo Demográfico 2010 e àquelas primeiras RMs oficializadas na década de 1970. Em comparação às RMs estaduais oficiais de 2010...

Atlas do desenvolvimento humano nas regiões metropolitanas brasileiras : Baixada Santista, Campinas, Maceió, Vale do Paraíba e Litoral Norte

Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); Fundação João Pinheiro (FJP)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Programa da Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); Fundação João Pinheiro (FJP) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Programa da Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); Fundação João Pinheiro (FJP)
Tipo: Livros
Português
Relevância na Pesquisa
66.64%
Esta obra apresenta indicadores e índices de mais quatro regiões metropolitanas: Campinas, Baixada Santista, São José dos Campos e Maceió. Traz mapas e análises descritivas que oferecem uma ampla caracterização desses espaços dinâmicos, marcados por intensas transformações sociais e econômicas na década de 2000. Reforçando o comprometimento do Ipea com a sistematização e publicação de indicadores socioeconômicos que permitem conhecer e caracterizar o Brasil, em diferentes escalas e recortes territoriais, permitindo que esse conhecimento favoreça o desenho, o monitoramento e a avaliação das políticas publicas no país.; 67 p. : il.

40 anos de regiões metropolitanas no Brasil; 40 years of metropolitan areas in Brazil

Costa, Marco Aurélio (Organizador); Tsukumo, Isadora Tami Lemos (Organizador)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Livros
Português
Relevância na Pesquisa
66.77%
Na primeira parte do livro, o capítulo 1 propõe uma sistematização dos resultados da pesquisa “Governança Metropolitana no Brasil”, e apresenta uma proposta tipológica para as Regiões metropolitanas (RMs), a partir do nível de consolidação de seus arranjos institucionais e da densidade de suas articulações institucionais. Com todos os problemas decorrentes da construção de variáveis e da atribuição de valores a dimensões e variáveis, o quadro que emerge desse capítulo localiza cada RM em uma perspectiva comparativa que, de toda forma, deixa claro que as RMs brasileiras estão longe de um “estado da arte” para a gestão e governança metropolitanas. A segunda parte é estruturada em nove capítulos que compõem o conjunto de reflexões relativas às RMs “originais”, da década de 1970, a saber: Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Na terceira parte, são feitas as contribuições relativas à Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride/DF), um caso particular de espaço metropolitano que traz questões e desafios específicos para a gestão e a governança metropolitanas, potencializando conflitos federativos observados nas demais RMs; e apresentam-se os capítulos referentes às RMs de Goiânia...

Fluxos migratórios nas cidades médias e regiões metropolitanas brasileiras: a experiência do período 1980/96; Texto para Discussão (TD) 747: Fluxos migratórios nas cidades médias e regiões metropolitanas brasileiras: a experiência do período 1980/96; Migration flows in medium-sized cities and metropolitan regions of Brazil: the experience of the period 1980/96

Andrade, Thompson Almeida; Santos, Angela Moulin Simões Penalva; Serra, Rodrigo Valente
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
66.85%
Este trabalho tem dupla finalidade. A primeira, é mostrar a importância que as imigrações tiveram no crescimento observado para as cidades médias no período 1980/96. A ideia é verificar se essas cidades funcionaram como destinos alternativos, tendo colaborado para reduzir os fluxos de imigrantes que tenderiam a se localizar nas metrópoles. Os resultados obtidos na análise feita neste trabalho são favoráveis a esse papel esperado para os centros urbanos. A segunda finalidade é comparar a inserção desses imigrantes nas cidades médias e nas regiões metropolitanas brasileiras. Os resultados obtidos são os de que as condições de trabalho nessas últimas foram mais favoráveis para os imigrantes, o que pode ter induzido maior contingente deles para as regiões metropolitanas, enfraquecendo o papel mais significativo que as cidades médias poderiam ter tido na atração locacional desses fluxos.; 31 p.

Elasticidade-renda dos produtos alimentares nas regiões metropolitanas brasileiras: uma aplicação da POF 1995/1996

Silveira, Fernando Gaiger; Menezes, Tatiane A. de; Magalhães, Luís Carlos G. de; Diniz, Bernardo P. Campolina
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
56.56%
The aim of this paper is to estimate the income elasticity for thirty-six food commodities. The database used was the Household Budgeting Survey (POF, 1995/96) from IBGE (Brazilian Institute of Geography and Statistics), which has extremely detailed information about consumption in eleven bigger Brazilian urban regions. The variables used in estimation process come from the survey micro-data. This procedure allowed that the logarithms of the prices of food and the monthly per capita familiar income were directly calculated from the individualized observations, instead of aggregate data. The methodology estimation was the QUAIDS model. The results allow deepening the knowledge on the differences of the consumption standards among the diverse income strata, as well as between distinct regions as Southeastern and South and the Brazilian Northeast. It was demonstrated that there is an insufficiency in the domiciliary food consumption in Brazil and that such fact is concentrated in the low-income families, in which the expenditure with foods represents the biggest share of the budget.; O objetivo deste trabalho é estimar a elasticidade-renda para trinta e seis produtos alimentares. A base de dados utilizada é a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 1995/96 do IBGE...

Diferenciais de mortalidade entre as regiões metropolitanas de Belo Horizonte e Salvador, 1985-1995; Mortality differentials between metropolitan areas of Brazil, 1985-1995

Abreu, Daisy Maria Xavier de; Rodrigues, Roberto do Nascimento
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/2000 Português
Relevância na Pesquisa
56.8%
OBJETIVO: Analisar a evolução da mortalidade, por idade e sexo, segundo as causas de morte, nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte (RMBH) e Salvador (RMS), entre 1985 e 1995. MÉTODOS: Os dados utilizados foram provenientes do Registro Civil, fornecidos pelo SIM (Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde). As causas de morte foram classificadas em evitáveis e não evitáveis. Aplicou-se o método de decomposição de Pollard para analisar a contribuição, na evolução dos ganhos de esperança de vida ao nascer, dos grupos de causas que tiveram um aumento da sua participação relativa na estrutura da mortalidade. RESULTADOS: O processo de declínio da mortalidade, em curso nas regiões metropolitanas estudadas, vem sofrendo mudanças nas últimas décadas com uma tendência à redução dos diferenciais existentes. No seu conjunto, as causas evitáveis reduziram seu peso relativo em ambas as regiões: na RMBH, de 36,5%, em 1985, para 30,6%, em 1995, entre os homens, e de 34,9%, em 1985, para 28%, em 1995, entre as mulheres. Na RMS, observou-se uma redução maior da participação relativa para as mulheres: de 35,4%, em 1985, para 25,9%, em 1995. Para os homens, essa participação passou de 44% do total...

Regiões metropolitanas e metrópoles. Reflexões acerca das espacialidades e institucionalidades no Sul do Brasil

FREITAS FIRKOWSKI, Olga Lúcia Castreghini de; DGEOG - UFPR; MOURA, Rosa
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/save
Publicado em 01/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
56.63%
O processo de institucionalização de Regiões Metropolitanas intensificou-se a partir de 1988. No Sul do Brasil essas unidades já totalizam sete, além de uma duas aglomerações urbanas. Em face dessa realidade o artigo pretende trazer à discussão a relação entre institucionalidade e espacialidade compreendidas, respectivamente, como a criação de regiões metropolitanas oficiais e a ocorrência do fenômeno da metropolização. Nem sempre ambas as realidades são conexas ou conceitualmente correlatas, é o que se pretende demonstrar com o exemplo do sul do Brasil.

The metropolitan regions in the context of regional sustainability; As regiões metropolitanas no contexto da sustentabilidade regional

Araújo Júnior, Miguel Etinger de; Universidade Estadual de Londrina
Fonte: Fundação José Arthur Boiteux Publicador: Fundação José Arthur Boiteux
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 14/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
66.64%
The formation of large cities has generated interests no longer locals, reaching a regional character. As a way to manage those interests, in Brazil there's the “Metropolitan Regions” with a constitutional forecast to join the organization, the planning and execution of public functions of common interest and constitute itself as an important mechanism for managing the metropolitan area, seeking to reconcile the different interests who are sometimes conflicting at this area, geographic space whose population is predominantly urban and don’t accompanying the geopolitical boundaries present. This management is essential for achieving the sustainability, generating a development that is possible to provide a decent quality of life for present and future generations.; http://dx.doi.org/10.5007/2177-7055.2008v29n57p213A formação de grandes metrópoles tem gerado interesses que deixam de ser locais, alcançando caráter regional. Como forma de gestão desses interesses existem no Brasil as denominadas Regiões Metropolitanas, com previsão constitucional para integrar a organização, o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum...

Diferenciais de mortalidade entre as regiões metropolitanas de Belo Horizonte e Salvador, 1985-1995

Abreu,Daisy Maria Xavier de; Rodrigues,Roberto do Nascimento
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2000 Português
Relevância na Pesquisa
56.8%
OBJETIVO: Analisar a evolução da mortalidade, por idade e sexo, segundo as causas de morte, nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte (RMBH) e Salvador (RMS), entre 1985 e 1995. MÉTODOS: Os dados utilizados foram provenientes do Registro Civil, fornecidos pelo SIM (Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde). As causas de morte foram classificadas em evitáveis e não evitáveis. Aplicou-se o método de decomposição de Pollard para analisar a contribuição, na evolução dos ganhos de esperança de vida ao nascer, dos grupos de causas que tiveram um aumento da sua participação relativa na estrutura da mortalidade. RESULTADOS: O processo de declínio da mortalidade, em curso nas regiões metropolitanas estudadas, vem sofrendo mudanças nas últimas décadas com uma tendência à redução dos diferenciais existentes. No seu conjunto, as causas evitáveis reduziram seu peso relativo em ambas as regiões: na RMBH, de 36,5%, em 1985, para 30,6%, em 1995, entre os homens, e de 34,9%, em 1985, para 28%, em 1995, entre as mulheres. Na RMS, observou-se uma redução maior da participação relativa para as mulheres: de 35,4%, em 1985, para 25,9%, em 1995. Para os homens, essa participação passou de 44% do total...