Página 1 dos resultados de 944 itens digitais encontrados em 0.010 segundos

Gestão do risco financeiro

Seabra, Jorge Miguel Zenha
Fonte: FEUC Publicador: FEUC
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
46.55%
Este relatório tem por objetivo descrever as tarefas realizadas durante o estágio na Sogrape Vinhos, assim como dissertar sobre o tema “A Gestão do Risco Financeiro”. Desta forma, inicialmente é feita uma breve apresentação da empresa, seguida de uma análise do tema “A Gestão do Risco Financeiro” e da descrição das tarefas desenvolvidas no decurso do estágio. Na dissertação é feita uma análise ao tema escolhido, a qual visa dar a conhecer e aprofundar os tipos de mecanismos que podem ser utilizados pelas empresas para gerirem o risco a que se encontram sujeitas, nomeadamente o risco financeiro. No decorrer desta análise são identificadas as diferentes etapas que se apresentam na gestão do risco, desde o momento em que é detetada a presença de um risco até à decisão do procedimento a adotar relativamente à sua cobertura. Entre os diferentes instrumentos que estão à disposição dos gestores para fazer a cobertura do risco, são analisados em particular os produtos derivados, nos quais se destacam os forwards, os futuros, os swaps e as opções. Para além dos riscos de taxa de juro e de câmbio, enquadrados na análise dos derivados, são também analisados os riscos de crédito e de liquidez. Relativamente às tarefas realizadas durante o estágio...

Análise do risco financeiro da produção de tomate de mesa em Caçador (SC) e Mogi Guaçu (SP); Analysis of financial risk of fresh market tomato production in Caçador (SC) and Mogi Guaçu (SP)

Pagliuca, Larissa Gui
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.59%
O trabalho tem por objetivo principal mensurar o risco financeiro da produção de tomate de mesa em duas importantes regiões produtoras do Brasil - Caçador (SC) e Mogi Guaçu (SP), representando a safra de verão e inverno respectivamente. Como objetivos específicos têm-se: descrever as propriedades tomaticultoras "típicas" de cada região e mensurar seu custo de implantação; compor o fluxo de caixa da produção para analisar a viabilidade econômica de cada propriedade "típica" e mensurar o risco econômico do negócio. Assim, fez-se uma análise determinista das variáveis que compõem o fluxo de caixa de cada região, entre 2006 e 2012, e dos indicadores de viabilidade econômica - Valor Presente Líquido (VPL) e Taxa Interna de Retorno (TIR). A descrição das propriedades "típicas" e o levantado do investimento inicial para a produção foi realizado por meio da metodologia do Painel. Para mensuração do risco financeiro realizou-se uma análise probabilística, com o cálculo do quantil negativo da distribuição de probabilidade das receitas líquidas operacionais (RLO) simuladas por Monte Carlo. O risco econômico do negócio em cada uma das propriedades típicas foi calculado pela probabilidade do VPL ser negativo. Por meio do Painel...

Percepção de dor, atenção visual e aversão a risco financeiro na tomada de decisão.; Pain perception, visual attention and risk aversion in human decision-making.

Brizante, Janaina Geraldes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/05/2014 Português
Relevância na Pesquisa
56.34%
Na tomada de decisão, o conteúdo afetivo dos possíveis resultados é determinante para escolha. Pessoas com diferentes tolerâncias a estes resultados têm distintas tolerâncias a risco. Decisões são moduladas minimizando-se resultados aversivos (emoção negativa e dor), e diferenças individuais relacionadas a aversão a risco poderiam ser preditoras de percepção de dor. Aqui, objetiva-se explorar se indivíduos com distintas aversões a risco financeiro teriam diferente percepção de dor física, social e imagética (contemplação de imagens de baixa valência/alto alerta). Em decisões financeiras, características pessoais de sensibilidade a preço ou produto seriam reveladas na maneira como o cenário de decisão é visualmente explorado. Outro objetivo é investigar como se dá a modulação da atenção visual em decisões financeiras de acordo com características individuais, manipulando-se diferentes formas de apresentação de preço. Espera-se colaborar para o entendimento dos processos de decisão em humanos, e contribuir para a construção de um modelo amplo de tomada de decisão.; The human behavior has its basis in dynamic coalitions of networks of brain areas underling emotion and cognition. It is believed that the decision is made through simulations of possible outcomes...

Mensuração e evidenciação contábil do risco financeiro de derivativos; Accounting measurement and disclosure of financial risks of derivatives

Mendonça de Souza, Enio Bonafé
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/01/2015 Português
Relevância na Pesquisa
56.46%
O grande diferencial da contabilidade enquanto ciência do controle financeiro são as técnicas que garantem a integridade das informações apresentadas, basicamente através da identidade débito/crédito. O que se faz nesta tese é mostrar como uma nova forma de registro dos derivativos, respeitando-se os princípios contábeis, é capaz de propiciar uma estimativa mais clara e precisa dos riscos financeiros envolvidos nas posições de balanço. É feita uma Decomposição Contábil das transações com derivativos, abrindo-se cada operação em ativo e passivo, com a diferença de ambos sendo o resultado a valor justo do mesmo. Posteriormente, uma nova Decomposição de Riscos abre ativo e passivo em seus fatores primitivos de risco, evidenciando a exposição a riscos por tipo de fator. Finalmente uma reagregação global de todas as decomposições realizadas por fatores de risco gera a DRF-Demonstração de Riscos Financeiros, que evidencia de forma sintética toda exposição a riscos envolvida nas transações carregadas no balanço patrimonial. É mostrado como a DRF evidencia de forma mais clara a eficácia de hedges carregados no balanço, para fins gerenciais internos e para fins do usuário externo. Também ficam evidentes os montantes de exposição em cada fator de risco de mercado. A grande vantagem deste procedimento é que são obtidas as exposições a risco nos derivativos de forma automaticamente conciliada com os registros contábeis.; The great advantage of accounting as a science of financial control are the techniques that guarantee the integrity of the information presented...

A otimização de carteiras internacionais : efeitos dos países emergentes e risco cambial

Villao Cabello, Luis Antonio
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.34%
Este trabalho analisa a existência de benefícios, em termos de risco e retorno, na inclusão de mercados emergentes globais e, em especial, dos países latinoamericanos na formação de carteiras internacionais ótimas, segundo o modelo de Markowitz (1952) e considerando o risco cambial. Para isto, o estudo baseia-se na análise das taxas de retornos mensais, desvio-padrão e coeficientes de correlação em termos de moeda local, dólar, iene, marco alemão e euro, dos Índices dos Mercados de Ações (IMAs) de dezenove países, dos Índices de Bolsa de Valores de São Paulo (IBOVESPA), Buenos Aires (MERVAL), México (IPC), Santiago (IPSA), e de Caracas (IBC), para o período compreendido entre janeiro de 1994 e dezembro de 2000. Utilizou-se o aplicativo SOLVER como ferramenta para a seleção de carteiras ótimas encontrando-se uma taxa livre de risco para este período de estudo como elemento para otimizar as diferentes carteiras internacionais, tomando como base o histórico das taxas das letras do tesouro dos EUA. Tem-se, como restrição, que os investidores não podem efetuar vendas a descoberto. Os resultados indicam que ainda existem evidências dos benefícios da diversificação internacional em termos de desempenho para os investidores mas que estes são menores comparados com aqueles encontrados no trabalho de Zanette (1995) ao considerar o fator cambial. Cabe indicar...

Medo de interrupções : um modelo de mudanças markovianas de regimes para a volatilidade condicional do risco Brasil entre 1994 e 2002

Une, Maurício Yoshinori
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.4%
Esta dissertação procura promover uma análise da mudança de regimes na volatilidade condicional do risco Brasil, após a implementação do Real, com ênfase nas mudanças markovianas de regimes. De acordo com a literatura de risco país, na presença de equilíbrios múltiplos e profecias auto-realizáveis, a deterioração dos fundamentos percebidos de um país é condição necessária para a determinação de um equilíbrio macroeconômico ruim de uma pequena economia aberta e em desenvolvimento (PEAD), com reversão de capitais, alto serviço da dívida pública, perspectivas sombrias de crescimento e uma avaliação do crédito como ruim (Razin & Sadka, 2001). Ainda que tal condição seja necessária, ela não parece ser suficiente para explicar por que, em alguns momentos, apesar de um nível alto de risco país, o equilíbrio tido como ruim não se materializa. Neste sentido, através da adaptação de um jogo típico de modelos de crises cambiais de segunda geração, esta dissertação lança a hipótese de que uma das razões pelas quais uma PEAD sofra tais crises de liquidez seja a deterioração da média dos fundamentos percebidos ao lado do aumento do medo dos investidores de que haja interrupções no fluxo de capitais. A metodologia utilizada é a dos modelos GARCH nãolineares com componentes observáveis e não observáveis markovianos...

Decisões de endividamento e risco financeiro nas companhias brasileiras do agronegócio listadas na BOVESPA

Schnorrenberger, Adalberto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.54%
É comum afirmar que o segmento do agronegócio apresenta especificidades e características que resultam em decisões diferenciadas dos demais setores, muito embora isso ainda não tenha sido comprovado. Diante disso, este estudo buscou investigar o endividamento e o risco financeiro, através da análise da estrutura de capital das companhias brasileiras do agronegócio, listadas na Bovespa em 31 de dezembro dos anos de 1995 a 2000. Para isso, testou-se a existência de diferenças entre as decisões de estrutura de capital das companhias preponderantemente do agronegócio, com as demais companhias. Para algumas variáveis da estrutura de capital, verificou-se diferença significativa entre os grupos, sendo o grupo do agronegócio superior ao grupo das demais companhias. Os resultados sugerem maior endividamento e risco financeiro das companhias do agronegócio, em relação ao grupo das demais companhias, possivelmente pelas características e peculiaridades do segmento. O estudo buscou ainda identificar relação entre decisões de estrutura de governança e decisões de estrutura de capital, para as companhias do agronegócio. Foram encontradas associações significativas, com baixa correlação, entre estrutura de governança e estrutura de capital do agronegócio...

O risco cambial na otimização de carteiras internacionais : o efeito dos países latino-americanos

Villao Cabello, Luis Antonio; Kloeckner, Gilberto de Oliveira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.41%
Este trabalho analisa a existência de benefícios (risco e retorno) na inclusão de mercados emergentes globais e, em especial, dos países latino-americanos na formação de carteiras internacionais ótimas considerando o risco cambial. Para isto, o estudo baseia-se na análise das taxas de retornos mensais, desvio-padrão e coeficientes de correlação em termos de moeda local, dólar, iene, marco alemão e euro, dos Índices dos Mercados de Ações (IMAs) de dezenove países, dos Índices de Bolsa de Valores de São Paulo, Buenos Aires, México, Santiago e de Caracas, para o período compreendido entre janeiro de 1994 e dezembro de 2000. Os resultados indicam que ainda existem evidências dos benefícios da diversificação internacional em termos de desempenho para os investidores. Cabe indicar, também, que a inclusão do componente latino-americano nas diferentes carteiras otimizadas, quase não acrescenta benefício algum ao desempenho geral destas carteiras, sendo nulo para as carteiras do investidor japonês.

Risco de mercado para fundos de investimento em ações : uma análise de métodos de estimação

Rodrigues, Guilherme Faccini
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.34%
Este trabalho tem por objetivo estudar a estimação de risco de mercado pela metodologia conhecida como valor em risco – do inglês “Value at Risk” - para o caso concreto da indústria de fundos de investimento em ações do mercado brasileiro sendo delimitado o espaço temporal em análise julho de 1999 e março de 2012. Tomada amostra representativa do mercado brasileiro os fundos terão seu risco estimados pelos métodos de cálculo estudados, métodos paramétricos amostral e com suavizamento exponencial e o método histórico. Os resultados serão avaliados pelo teste de verossimilhança de Kupiec.; This work aims to study the estimation of market risk by the method known as value at risk for the case of industry funds in the stock market being defined timeline under review July 1999 and March 2012. Taking a representative sample of the Brazilian market funds will have their risk estimated by the calculation methods studied, parametric sampling methods and exponential smoothing and the historical method. The results will be evaluated by the likelihood ratio test of Kupiec.

Risco ambiental para as instituições financeiras bancarias

Maria de Fatima Cavalcante Tosini
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/04/2005 Português
Relevância na Pesquisa
46.65%
O Risco ambiental pode ser definido como uma medida de potenciais danos que uma atividade econômica pode causar ao meio ambiente. O risco ambiental passou a ser risco financeiro com a adoção do Princípio do Poluidor Pagador pelos sistemas jurídicos nacionais e pela sociedade civil da maioria dos países. Por este princípio, as externalidades relacionadas ao meio ambiente são internalizadas aos custos produtivos de todos os setores da economia. O setor financeiro como um dos mais importantes agentes do desenvolvimento econômico, não pode ficar à margem dos problemas ambientais. Por outro lado, as transformações ocorridas no setor financeiro, nas três últimas décadas, obrigaram as instituições financeiras a adotarem modelos de gerenciamento focado em risco. O objetivo deste trabalho foi verificar se o risco ambiental passou a ser efetivamente mais um risco a ser gerenciado pelas instituições financeiras bancárias e dar uma visão de como, no Sistema Financeiro Nacional, os bancos têm incorporado o risco ambiental em seus modelos de gerenciamento de risco. Para tanto, foi realizada uma revisão bibliográfica; incluindo publicações científicas, artigos de jornais, textos disponibilizados na Internet, livros, artigos e documentos de instituições oficiais. Informações adicionais foram obtidas por meio de algumas entrevistas e participação em alguns seminários sobre o tema. O levantamento das informações permitiu concluir que o risco ambiental tem impacto sobre os quatro grandes grupos de risco enfrentados pelas instituições bancárias ? risco de mercado...

Cobertura do risco financeiro nas empresas do PSI 20

Augusto, Lara de Campos
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
66.65%
Na presente dissertação pretende-se estudar a cobertura do risco financeiro nas empresas do PSI 20. O conceito de risco e os instrumentos para a sua cobertura são temas essenciais na era global em que vivemos, pois cada vez mais o dia a dia é pautado por céleres mudanças e constantes incertezas, onde os investidores são cada vez mais exigentes. Assim, torna-se fundamental estudar todos os temas relacionados com o risco e de que forma se adaptam e protegem as empresas. Neste âmbito foi efetuada uma análise aos relatórios e contas (individuais e consolidadas) das empresas que compõem o PSI 20, entre 2008 e 2012, de forma a identificar os riscos financeiros a que estavam as empresas sujeitas, bem como os instrumentos de cobertura utilizados. Foi, ainda, feita uma comparação entre setores típicos da atividade económica o que permitiu a identificação de diferenças a nível do tipo de risco financeiro a que cada setor estava mais sujeito, bem como distintas formas de cobertura e utilização de instrumentos para cobertura desses mesmos riscos. No que se refere à identificação do risco financeiro, verificámos que os riscos presentes nas empresas do PSI 20 são: o risco de crédito, o risco de câmbio, o risco de taxa de juro...

Divulgação do risco: um caso de empresas do sector do retalho alimentar

Silva, Anabela Maria Martins
Fonte: Escola Superior de Ciências Empresariais Publicador: Escola Superior de Ciências Empresariais
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.42%
Dissertação de Mestrado em Contabilidade e Finanças; A gestão do risco é uma actividade reconhecida como fundamental, sobretudo, em contextos de grande incerteza como aquele em que se vive actualmente. Ora, a eficácia na execução dessa actividade depende, entre outros aspectos, da disponibilidade da informação. O objectivo do presente estudo consiste na análise da divulgação de informação sobre o risco nos relatórios e contas de quatro empresas do sector do retalho alimentar, duas de Portugal e duas de Espanha, durante o período de 2008 a 2010. Pretende-se verificar se existe relação entre as variáveis dimensão e risco e o nível de divulgação de informação sobre o risco efectuado nos relatórios e contas destas empresas. Para tal, pretende-se replicar o estudo elaborado por Linsley e Shrives (2006) intitulado “Examining risk reporting in UK public companies”, aplicado às empresas do Reino Unido cotadas no FTSE 100 a 1 de Janeiro de 2001. Assim, recorrendo ao método da análise de conteúdo, verifica-se que, entre as empresas analisadas, as que divulgam mais informação sobre o risco são as portuguesas. Constata-se, ainda, que qualquer das empresas, apresenta um maior nível de divulgações de informação sobre o risco financeiro do que sobre o risco não-financeiro e que não parece existir relação entre a dimensão ou o risco e o nível de divulgação de informação sobre o risco.; Risk management is an activity recognized as essential...

A Exposição ao Risco das Famílias

Amaro, Ana Raquel
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 22/07/2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.38%
A presente Dissertação de Mestrado aborda a exposição ao risco financeiro das famílias. Ao longo do trabalho serão abordados temas como a heurística, as finanças comportamentais, a percepção do risco e a exposição ao risco. Estes são os conceitos que foram considerados como sendo fundamentais e os principais responsáveis pela tomada de decisões a nível financeiro das famílias. Este estudo é de natureza quantitativa e pretenderá tirar conclusões da população em geral tendo em consideração uma amostra significativa de resultados obtidos através da realização de um inquérito. A realização do inquérito pretenderá perceber de que forma é que a exposição ao risco pode ser afectada pelas diversas condicionantes definidas e qual o impacto que isso poderá ter na vida das famílias e quais as consequências para a economia em geral.

Os impactos da taxa de câmbio sobre o risco financeiro de empresas multinacionais brasileiras

Pereira Junior, Gilson Gonçalves; Hidalgo, Álvaro Barrantes (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
56.36%
As instituições financeiras mundiais, antes dos anos 70, vivenciavam uma certa estabilidade econômica advinda da estrutura de cambio fixo. Após a década de 70, com a chegada do câmbio flutuante, as empresas começaram a atentar para o impacto causado pela volatilidade cambial aos seus fluxos de caixa. Assim, surge a necessidade de se aferir o nível de exposição cambial sofrido, no intuito de se adotar as devidas medidas estratégicas. Com o aumento da volatilidade da taxa de câmbio, novos produtos de gerenciamento de risco surgiram, os chamados derivativos. No Brasil, essa tendência de gerenciamento de risco chega mais fortemente com o advento da abertura comercial e financeira, no final da década de 80 e início da de 90 acompanhada com o início do câmbio flutuante. O presente trabalho apresenta uma análise simples da relação entre os Ativos Totais e Exportações Brasileiras frente à taxa de câmbio do real em relação ao dólar americano. Esta abordagem sobre o risco cambial visa estimar o nível de exposição cambial, a fim de verificar-se o impacto da flutuação do câmbio nos valores dos ativos totais das multinacionais brasileiras selecionadas, bem como no volume das exportações brasileiras. Os dados mostram que as empresas multinacionais brasileiras selecionadas apresentam um nível de exposição cambial relativamente baixo. Tal cenário pode ser atribuído a dois motivos. A maioria das empresas brasileiras ainda vê o comercio internacional como uma válvula de escape às oscilações de demanda do mercado interno. O segundo motivo advém do posicionamento estratégico dos gerentes de risco...

Análise do risco financeiro em projetos da Indústria Naval a partir de modelos baseados em simulação de Monte Carlo

Júnio Flor, Aguinaldo; Teixeira de Almeida Filho, Adiel (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
56.46%
A Indústria Naval no Brasil adormeceu por um período de vinte anos, com a descoberta do Pré-Sal e a necessidade de desenvolvimento do setor de Óleo e Gás no país, a atividade tem crescido vertiginosamente. Devido à escassez de dados históricos sobre a construção naval, este trabalho se propõe a apresentar um modelo para análise de risco financeiro através de um projeto de construção de um navio petroleiro do tipo Suezmax. O modelo tem natureza probabilística, utilizando a metodologia de Simulação de Monte Carlo, pois leva em consideração a incerteza e complexidade do ambiente observando diferentes graus de risco através de variáveis de saída: Valor Presente Líquido (VPL) e Taxa Interna de Retorno (TIR). As variáveis de saída são geradas a partir de dados que compõe o projeto da embarcação e, em especial, variáveis aleatórias que representam impacto significativo no resultado final da análise de risco. Para aplicar a Simulação de Monte Carlo, foi necessária a utilização dos softwares Microsoft Excel® e Crystal Ball®. Os resultados do VPL e TIR mostram valores bastante próximos, confirmando uma forte correlação entre os dados estatísticos analisados. Em todas as distribuições probabilísticas realizadas...

Análise do risco financeiro em projetos da indústria naval a partir de modelos baseados em simulação de Monte Carlo

Flor, Aguinaldo Júnio
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
56.46%
A Indústria Naval no Brasil adormeceu por um período de vinte anos, com a descoberta do Pré-Sal e a necessidade de desenvolvimento do setor de Óleo e Gás no país, a atividade tem crescido vertiginosamente. Devido à escassez de dados históricos sobre a construção naval, este trabalho se propõe a apresentar um modelo para análise de risco financeiro através de um projeto de construção de um navio petroleiro do tipo Suezmax. O modelo tem natureza probabilística, utilizando a metodologia de Simulação de Monte Carlo, pois leva em consideração a incerteza e complexidade do ambiente observando diferentes graus de risco através de variáveis de saída: Valor Presente Líquido (VPL) e Taxa Interna de Retorno (TIR). As variáveis de saída são geradas a partir de dados que compõe o projeto da embarcação e, em especial, variáveis aleatórias que representam impacto significativo no resultado final da análise de risco. Para aplicar a Simulação de Monte Carlo, foi necessária a utilização dos softwares Microsoft Excel® e Crystal Ball®. Os resultados do VPL e TIR mostram valores bastante próximos, confirmando uma forte correlação entre os dados estatísticos analisados. Em todas as distribuições probabilísticas realizadas...

Estrutura de Capital Alvo e as Estratégias de Financiamento: Uma Análise Empírica no Mercado de Capitais Brasileiro.; Optimum capital structure and financing strategies: Na empirical analysis in the Brazilian Capital market

Barros, Manuela Gonçalves
Fonte: Universidade Federal de Goiás Publicador: Universidade Federal de Goiás
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
46.56%
Esta pesquisa teve por objetivo verificar o perfil de endividamento utilizado pelas empresas brasileiras de capital aberto e analisar se a estratégia de estrutura alvo de capital utilizada eleva o risco financeiro das mesmas. A análise foi feita a partir de dados trimestrais das empresas no período entre o primeiro trimestre de 2010 ao segundo trimestre de 2012. Foram consideradas no estudo 200 empresas de capital aberto pertencentes aos setores operacionais com dados não consolidados retirados do sistema Economática. Para verificar a adoção ou não por parte de cada empresa de uma das três estratégias de estrutura alvo de capital consideradas neste estudo, utilizaram-se as variáveis: Dívida Total Bruta (DvB), Valor de Mercado mais Dívida Total Bruta (VtM) e Capital Employed (VtC). Sobre as observações obtidas a partir destas variáveis para cada empresa foi feita uma análise de regressão, a partir da qual as empresas foram divididas em oito categorias distintas. Foram utilizados para testar a hipótese da pesquisa o teste não paramétrico de Kruskal-Wallis e o teste LSD de Fisher, além da análise estatístico-descritiva do risco financeiro das empresas. Os resultados da pesquisa permitiram concluir a aceitação da hipótese de que a estratégia de se manter uma razão constante de endividamento sobre o valor total da empresa eleva o risco financeiro das empresas que indicam utilizá-la em relação ao risco daquelas que adotam uma estrutura alvo de capital em valores monetários (em R$) absolutos...

Risco e competição bancária no Brasil

Araújo,Luiz Alberto D'Ávila de; Jorge Neto,Paulo de Melo
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
46.34%
Diante dos dilemas de regulação bancária está a dicotomia entre liberalização, a qual induz maior competição, e estabilização do sistema financeiro. Neste contexto, este artigo investiga o relacionamento entre o nível de risco e o grau de competição bancária no Brasil, utilizando a estatística-H do modelo de Panzar & Rosse e o Índice de Basiléia, como medidas de competição e risco, respectivamente. Dada a relevância do debate, mensurou-se uma segunda medida de estrutura de mercado por meio do grau de concentração. Os resultados deste trabalho mostram que os bancos brasileiros operam em concorrência monopolista e que a competição implica numa maior exposição ao risco.

A divulgação de informação sobre o risco: um caso de grandes empresas portuguesas e espanholas do setor do retalho alimentar

Alves, Teresa; Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal.; Silva, Anabela Maria Martins; Anabela Silva & António Laureano, STOC
Fonte: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ - ACCOUNTING DEPARTMENT Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ - ACCOUNTING DEPARTMENT
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; estudo de caso e análise de conteúdo Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.42%
A gestão do risco é uma atividade reconhecida como fundamental, sobretudo, em contextos de grande incerteza como a atual. Ora, a eficácia na execução dessa atividade depende, entre outros aspetos, da disponibilidade da informação. O objetivo do presente estudo consiste na análise da divulgação de informação sobre o risco nos relatórios e contas de grandes empresas do setor do retalho alimentar em Portugal e em Espanha durante o período de 2008 a 2010. Pretende-se verificar se existe relação entre as variáveis dimensão e risco e o nível de divulgação de informação sobre o risco efetuado nos relatórios e contas destas empresas. Para o efeito adota-se o método “estudo de caso” e recorre-se à análise de conteúdo aplicada aos documentos referidos. Verifica-se que, entre as empresas analisadas, as que divulgam mais informação sobre o risco são as portuguesas. Constata-se, ainda, que qualquer das empresas apresenta um maior nível de divulgação de informação sobre o risco financeiro do que sobre o risco não-financeiro e que não parece existir relação entre a dimensão ou o risco e o nível de divulgação de informação sobre o risco.

Análise da Relação entre o Coeficiente Beta, o Índice de Alavancagem D/E e a Taxa de Retorno de Ações Ordinária de uma Amostra de Empresas listadas no Ibovespa

SANTOS, JOSÉ ODÁLIO; PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO; FONTES, RICARDO JOSÉ SILVA; PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais - Departamento de Ciências Contábeis Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais - Departamento de Ciências Contábeis
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 26/04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.41%
O objetivo do presente artigo foi investigar a existência de correlação positiva e estatisticamente significativa entre o Índice de Alavancagem, a Taxa de Retorno do Capital próprio e o Coeficiente Beta Ajustado pelo Modelo de Blume (1975).  Previamente, assumiu-se o pressuposto que o Coeficiente Beta poderia ser adotado como um dos referenciais para analisar o risco financeiro representado pelo Índice de Alavancagem e pela Taxa de Retorno das Ações Ordinárias. Foram usados os preços de fechamento das ações ordinárias de 20 empresas de setores diferentes, listadas na Bolsa de Valores do Estado de São Paulo - BOVESPA, no período de 1995 a 2006, para o cálculo da taxa de retorno e do Coeficiente Beta. Para a análise dos dados estatísticos, foram considerados os pressupostos da normalidade, homocedasticidade, independência dos erros e linearidade. Para a validação desses pressupostos, foram utilizadas as seguintes métricas estatísticas: Teste T, p-value e Coeficiente de Durbin-Watson. Os resultados não foram homogêneos para todas as empresas da amostra, invalidando a premissa que não necessariamente empresas com elevados níveis de alavancagem apresentam os maiores betas e, por conseqüência, maiores custos de capital do acionista. Esse resultado sinalizou a inadequação de utilização do Coeficiente Beta como medida única do risco financeiro...