Página 1 dos resultados de 2592 itens digitais encontrados em 0.837 segundos

Quando os olhos não vêem…: Qualidade de vida familiar, satisfação com a vida e apoio social percebido na deficiência visual

Grilo, Inês Marina Simões
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
128.8987%
Quando os olhos não vêem… Qualidade de vida Nas últimas décadas, em Portugal, têm sido realizados estudos para compreender o impacto da deficiência visual no indivíduo, ainda que sejam insuficientes os estudos sobre o seu impacto na vida familiar. O objetivo da presente investigação consistiu na análise da qualidade de vida familiar, da satisfação com a vida e do apoio social percebido na deficiência visual em dois estudos. O primeiro pretendeu comparar estes construtos numa amostra de sujeitos adultos com deficiência visual (n = 52) e de população normovisual (n = 52); no segundo procedeu-se à comparação dos mesmos aspetos numa amostra de sujeitos portadores de deficiência visual (n = 21) e de familiares (n = 21), recorrendo-se ao Qualidade de Vida (QOL; Versão NUSIAF-SISTÉMICA; Adaptado, 2007; Validado, 2008), Escala de Satisfação com a Vida (SWLS; Simões, 1992), e Escala de Provisões Sociais (EPS; Moreira & Canaipa, 2007). Os resultados obtidos no primeiro bloco de estudos indicam uma boa consistência interna dos itens do QOL, SWLS e EPS na amostra de sujeitos com deficiência visual. Verificam-se diferenças estatisticamente significativas nos fatores Tempo, Emprego (resultado superior no grupo com deficiência visual)...

VIH-SIDA na gravidez: qualidade de vida familiar e satisfação com a vida em contexto angolano

Conceição, Ester Jambela Matende Gamboa da
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
128.77246%
O VIH/SIDA representa um desafio a nível mundial, pelo número de pessoas infetadas que se tem vindo a registar nos últimos anos. O flagelo do VIH/SIDA tem afetado cada vez mais mulheres em idade reprodutiva. O presente estudo pretende estudar a qualidade de vida familiar e a satisfação com a vida em contexto angolano. A amostra deste estudo foi constituída por 100 grávidas, sendo 50 com e 50 sem VIH/SIDA. O protocolo de avaliação envolveu um Questionário Sociodemográfico, um Questionário Complementar de Recolha de Dados acerca da Grávida, o Qualidade de Vida (QOL), e a Escala de Satisfação com a Vida (SWLS). Os resultados dos estudos de consistência interna apontam para um alfa de Cronbach adequado tanto para os itens do QOL (.896) como para a SWLS (.787). As principais conclusões do estudo indicam a existência de diferenças estatisticamente significativas entre os dois grupos em diversas áreas da qualidade de vida familiar (e.g., Bem-Estar Financeiro, Casa, Relações Sociais, Família e Conjugalidade e Filhos), bem como na satisfação com a vida. Os resultados alcançados vão ao encontro da literatura, com as grávidas com VIH/SIDA a demonstrarem pior qualidade de vida familiar e uma menor satisfação com a vida. O presente estudo representa os primeiros passos para a realização de mais estudos relacionados com o VIH/SIDA na gravidez em Angola.; HIV/AIDS presents a global challenge...

Maus-tratos na infância, psicopatologia e satisfação com a vida : um estudo com jovens portugueses

Maia, Ângela; Guimarães, Cármen; Carvalho, Cláudia; Capitão, Liliana; Carvalho, Sara; Capela, Susana
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2007 Português
Relevância na Pesquisa
128.78654%
A satisfação com a vida tem sido descrita na literatura como “bem-estar pessoal” ou, mais simplesmente, “felicidade”. Esta dimensão está largamente estudada enquanto percepção subjectiva de qualidade de vida e tem sido associada a vários conceitos; contudo, poucos estudos se têm debruçado sobre outros factores que podem influenciar a satisfação, nomeadamente história de desenvolvimento e psicopatologia. Este estudo pretende averiguar a relação entre maus-tratos na infância, psicopatologia actual e a satisfação com a vida em jovens portugueses. Metodologia: 211 jovens portugueses universitários e não universitários responderam a questionários que avaliavam várias dimensões do funcionamento. Para esta investigação utilizamos a exposição a situações potencialmente traumáticas na infância (CTQ, Bernstein & Fink, 1997, adaptação portuguesa de McIntyre & Costa, 2004), psicopatologia (BSI, Derogatis, 1993; adaptação portuguesa de Canavarro, 1995) e satisfação com a vida (um item com cotação 0 a 10). Resultados: Foi encontrada uma correlação negativa e significativa entre maltrato na infância e a satisfação com a vida e entre a psicopatologia e a satisfação com a vida e uma correlação positiva e significativa entre o maltrato e a psicopatologia. Conclusão: Os resultados apontam para relações importantes sobre as variáveis em estudo...

Auto-Eficácia e Engagement no desenvolvimento da carreira em estudantes do Ensino Superior Militar: Implicações no rendimento académico e na satisfação com a vida

Alves, César
Fonte: Academia Militar. Direção de Ensino Publicador: Academia Militar. Direção de Ensino
Tipo: Outros
Publicado em 01/07/2014 Português
Relevância na Pesquisa
128.81981%
O Ensino Superior Militar, ministrado pela Academia Militar Portuguesa, tem caraterísticas ímpares devido à associação entre a componente académica, militar e cultural, o que exige que os seus alunos se adaptem e atinjam padrões necessários à sua permanência na Instituição. Deste modo, é pertinente estudar de que forma os níveis de Autoeficácia e Engagement se traduzem em competências com impacto na Satisfação com a Vida e com o Trabalho. Dado que a Academia Militar é um estabelecimento de Ensino Superior Militar, considera-se importante estudar a relação existente entre a Autoeficácia, Engagement, a Satisfação com a Vida e com o Trabalho e o Rendimento Académico. O Rendimento Académico é determinado pela média Académica, de Treino Físico, de Instrução Militar e Informação Comportamental do Aluno. Para o desenvolvimento da presente investigação foi utilizada uma amostra de 164 alunos, do 1º e 4º ano da Academia Militar Portuguesa, a quem foram aplicadas as escalas de Autoeficácia (Polydoro & Guerreiro-Casanova, 2010), Engagement (Schaufeli, Martinez, Marques-Pinto, Salanova & Bakker, 2002), Satisfação com a Vida (Diener, Emmons, Larson, & Griffin, 1985) e Satisfação com o Trabalho (Judge...

Preocupações de carreira para a reforma e satisfação com a vida numa amostra de reformados

Júlio, Vanessa Mateus
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
128.82003%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; O presente trabalho consiste num estudo exploratório que pretende analisar a relação entre as Preocupações de Carreira, na fase do Declínio segundo o modelo de desenvolvimento da carreira de Donald Super, e a Satisfação com a Vida, enquanto componente do Bem-estar Subjetivo (Diener, 2000), no momento da reforma. Na recolha de dados foram utilizados três instrumentos, o Questionário de Preocupações de Carreira para a Reforma, construído para o estudo em questão através do Inventário de Preocupações de Carreira (Duarte, 1993), seguido do Questionário de Planeamento e Transição para a Reforma (Fraga, 2007) e a Escala de Satisfação com a Vida (Simões, 1992). Os resultados da relação entre as Preocupações com a Carreira para a Reforma e a Satisfação com a Vida demonstraram correlações estatisticamente significativas. No seguimento desta análise, foi efetuada uma regressão linear para verificar quais os fatores que apresentavam uma maior influência na variação da Satisfação com a Vida e constatou-se que o Desacelerar, Planear a Reforma e Reforma em conjunto (constituintes do Declínio) exerciam uma influência significativa...

Hardiness, engagement e satisfação com a vida em alunos da Academia Militar : relação entre variáveis e estudos comparativos

Pereira, Maria Verónica de Freitas
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
128.75912%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; O Ensino Superior, ministrado pela Academia Militar Portuguesa, tem características e exigências específicas, marcadas pela formação e normalização. Neste sentido, a adaptação e a permanência nesta Instituição de ensino é encarada pelos alunos como um desafio extremo que, do ponto de vista emocional, exige um elevado nível de Hardiness e de Engagement, sendo pertinente entender, até que ponto, se traduzem em competências essênciais para a Satisfação com a Vida. Uma vez que estamos a falar de estudantes, considera-se importante correlacionar essas variáveis quer com a Formação Militar e a classificação académica final, quer com o incremento da formação académica dos mesmos. Foram recolhidos dados de uma amostra composta por 477 alunos, dos quatro anos de escolaridade, da Academia Militar, utilizando a Escala de Hardiness (Bartone, Ursano, Wright & Ingraham, 1989; Mallar & Capitão, 2004), a Escala de Engagement para Estudantes (Schaufeli, Martinez, Marques Pinto, Salanova & Bakker, 2002) e a Escala de Satisfação com a Vida (Diener, Emmons, Larsen & Griffin...

O papel mediador do coping na relação entre o ambiente familiar e a satisfação com a vida nos adolescentes

Catarino, Andreia Cristina Lopes
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
128.85095%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; O presente estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão de como o ambiente familiar influencia a satisfação com a vida dos adolescentes. Especificamente, esta investigação analisou a relação entre as percepções dos adolescentes acerca do ambiente familiar – coesão, conflito e expressividade familiar – e a sua satisfação com a vida, através do papel mediador das estratégias de coping dos jovens. Pretendeu-se ainda investigar se as referidas associações entre as variáveis em estudo diferiam de acordo com o sexo e o nível de escolaridade dos adolescentes. A amostra foi constituída por 328 estudantes do ensino secundário, com idades compreendidas entre os 14 e os 20 anos, de escolas da região da Grande Lisboa. Os participantes preencheram questionários de auto-relato que avaliaram as suas percepções acerca do ambiente familiar, das suas estratégias de coping e da satisfação com a vida, juntamente com um questionário sociodemográfico., Os resultados mostraram que quanto maior a expressividade familiar maior será a satisfação com a vida. Em contrapartida...

Adaptação à reforma e satisfação com a vida: a importância da actividade e dos papéis sociais na realidade europeia

Silva, Patrícia Nogueira da
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
128.81967%
Mestrado em Psicologia Social e das Organizações; Este estudo resulta da falta de consenso na literatura em clarificar a relação entre a entrada na reforma e a satisfação com a vida. Procura ainda perceber de que forma o nível de actividade do sujeito e o número de papéis sociais que detém se relacionam com a satisfação com a vida durante a reforma. Pretende igualmente saber se a relação entre a entrada na reforma e a satisfação com a vida é moderada pelo género do sujeito. O presente estudo, de natureza correlacional, utilizou os dados do European Social Survey, aplicado em 25 países europeus, visando compreender as atitudes e valores dos europeus. A amostra é composta por 11514 indivíduos, entre os 55 e os 75 anos. A amostra foi ainda dividida em 3 grupos de sujeitos: os trabalhadores, os reformados entre 1 e 5 anos e os reformados em tempo igual ou superior a 5 anos. Os resultados mostram que o nível de satisfação com a vida diminui consoante aumentam os anos de reforma, mesmo controlando a idade do inquirido e o seu estado de saúde; que os sujeitos envolvidos em actividades sociais estão mais satisfeitos com a sua vida dos que os que estão envolvidos em menos actividades; e que a relação entre o tempo de reforma e a satisfação com a vida é moderada pelo género do sujeito...

Projectos pessoais, satisfação com a vida e saúde mental: um estudo correlacional

Raposo, Marisa
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
128.85036%
Mestrado em Psicologia Social e das Organizações; Actualmente tem-se vindo a assistir a um aumento de estudos relacionados com a psicologia positiva, incluindo conceitos como a resiliência, o bem-estar, a qualidade de vida ou a felicidade. Entre eles encontra-se o estudo dos projectos pessoais e a sua relação com a personalidade e a satisfação de vida dos indivíduos. A presente investigação teve como objectivo analisar a relação entre os projectos pessoais, a satisfação com a vida e o desconforto subjectivo, explorando especificamente a associação destas variáveis com a saúde mental. A amostra teve uma dimensão de 59 estudantes universitários e jovens adultos em início de vida activa, entre quais 36 participantes eram do sexo masculino e outros 23 do sexo feminino. Os participantes reportaram um total de 626 projectos, dos quais 488 foram avaliados. Destes destacou-se um maior valor de projectos académicos (73.52%) e interpessoais (77.45%), e uma menor frequência os projectos intrapessoais (10.86%). Ainda, verificou-se que a satisfação com a vida se encontrava significativamente relacionada com a avaliação da estrutura e eficácia dos projectos. A existência de projectos associados a afectos positivos revelou uma correlação significativa com a satisfação com a vida; sendo os projectos associados a afectos negativos inversamente relacionados com a mesma variável. A satisfação com a vida também se correlacionou inversamente com os problemas de saúde-mental. Esta investigação contribuiu para alargar o conhecimento da influência dos projectos pessoais na satisfação com a vida e a saúde mental.; Currently we have been witnessing an increase in studies related to positive psychology...

Bullying: impacto sobre a satisfação com a vida em adolescentes

Marques, Daniel Francisco Pires Jovino; Bastos Filho, Othon Coelho (Orientador); Silva, Antonio Medeiros Peregrino da
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
128.78333%
Bullying é um dos tipos de violência escolar existentes. Dentre os parâmetros de avaliação de qualidade de vida, tem sido utilizada a avaliação da satisfação com a vida. Não há na literatura estudos que correlacionem o tipo de envolvimento com bullying e satisfação com a vida. Este estudo tem por objetivo investigar a correlação entre bullying escolar e a satisfação com a vida em estudantes. Foram avaliados estudantes de 14 a 19 anos da Cidade do Recife, Brasil, através de questionário sociodemográfico autoaplicável e da Escala Multidimensional de Satisfação com a Vida em Estudantes. Após responder a escala na sala de aulas, voluntários levaram para casa um questionário a respeito de bullying e fatores associados, a ser devolvido nos dias subsequentes. Os voluntários foram divididos em cinco grupos: vítimas; vítimas-agressoras; agressores nos últimos 30 dias; agressores inativos nos últimos 30 dias; e estudantes sem envolvimento com bullying. Para um total de 496 voluntários, houve diferença estatística significante (p<0.05) entre os grupos avaliados. O grupo sem envolvimento teve pontuações estatisticamente maiores na escala que os demais grupos, exceto que o grupo que havia cometido bullying há mais de 30 dias. Esse resultado demonstra que vítimas...

A influência da prática de yoga no bem-estar afetivo e na satisfação com a vida

Teotónio, Joana Inês Ferreira
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
128.78414%
Tese de Mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações), 2014; O presente trabalho consiste num estudo exploratório que pretende analisar a relação entre a prática de Yoga e o Bem-estar Afetivo (segundo o Modelo das Vitaminas de Warr (1990)), e a Satisfação com a Vida enquanto componente do Bem-estar Subjetivo (Diener & Lucas, 2000). O principal objetivo é verificar se os indivíduos que praticam Yoga têm níveis mais elevados de Bem-estar Afetivo e Satisfação com a Vida do que os não-praticantes. Também se pretenderam analisar as diferenças no efeito da prática do Yoga em função da variável sexo. Na recolha dos dados foram utilizados o Inventário de Bem-estar Afetivo no Trabalho (Warr, 1990) e a Escala de Satisfação com a Vida (Simões, 1992). A amostra consistia em 57 trabalhadores de diversas áreas de trabalho, com idades compreendidas entre os 22 e os 64 anos. Os resultados da relação entre o Bem-estar Afetivo e a Satisfação com a Vida demonstraram correlações positivas, não se constatando, no entanto, diferenças estatisticamente significativas entre os valores médios de Bem-estar Afetivo e Satisfação com a Vida, do grupo de praticantes de Yoga e dos não praticantes. Na discussão apresentam-se algumas limitações do estudo e propostas para futuros projetos de investigação e intervenções no âmbito da prática de Yoga e do Bem-estar Afetivo e da Satisfação com a Vida...

A experiência subjetiva da vida diária de pessoas com diagnóstico de esquizofrenia e sua relação com bem-estar psicológico e satisfação com a vida

Couto, Fábia Filipa Martins Costelha de Sousa
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
128.78823%
Dissertação de mestrado integrado em Psicologia (área de especialização em Psicologia Clínica); Procurou-se, neste estudo, definir o conceito de esquizofrenia e emoções, integrando-se várias perspetivas e conceções dos autores mais conceituados para estas definições. Paralelamente, abrindose o caminho para o estudo da experiência subjetiva ao nível das emoções e afetividade na esquizofrenia, bem como a sua relação com variáveis do funcionamento positivo (bem- estar psicológico, satisfação com a vida) nesta patologia. O presente estudo exploratório tem como objetivo, analisar a valência positiva e negativa dos afetos nas pessoas com diagnóstico de esquizofrenia, em função das suas experiências diárias em termos das atividades realizadas, lugares frequentados e das companhias que têm, através de medidas diárias. Para além disso, pretendeu-se correlacionar medidas retrospetivas (medem a experiência global dos indivíduos): EBEP (escala de bem-estar psicológico), ESV (escala de satisfação com a vida), como medida do grau de satisfação com a vida e PANAS (escala de afeto positivo e negativo) como escala que mede a afetividade negativa e positiva. Neste estudo participaram 14 pessoas com diagnóstico de esquizofrenia que...

Stress percebido, hardiness e satisfação com a vida em alunos da Academia Militar : relação entre variáveis

Martins, Patrícia Ribeiro
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
128.75323%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; O Ensino Militar e as suas particularidades próprias tornam-se potenciadores de níveis elevados de ansiedade e Stress. Este facto, aliado ao ingresso na Universidade, torna imprescindível estudar o Stress e as suas implicações. Neste sentido, optou-se por estudar inclusive, aspectos da personalidade associados ao mesmo, nomeadamente o Hardiness. Devido ao afastamento dos alunos da Academia Militar, da vida civil, revelou-se ainda interessante estudar a Satisfação com a Vida. Deste modo, analisam-se os níveis de Stress Percebido e os níveis de Hardiness e os seus papéis na Satisfação com a Vida e desempenho académico dos alunos da Academia. Para o efeito, foram recolhidos dados, a partir de uma amostra de 477 alunos, dos 4 primeiros anos da Academia Militar, utilizando três Instrumentos distintos: A Escala de Hardiness (Bartone, Ursano, Wright e Ingraham, 1989; Mallar & Capitão, 2004), a Escala de Stress Percebido (Moreira, 2002) e a Escala de Satisfação com a Vida (Diener, Emmons, Larsen, & Griffin, 1985). Os resultados obtidos indicam que o Hardiness se correlaciona significativa e negativamente com o Stress Percebido...

Defeito cognitivo, sintomas de depressão e satisfação com a vida em idosos sob resposta social do concelho de Coimbra

Pena, Inês Torres
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
128.87351%
Sabe-se que a depressão se relaciona com o declínio e ambos, em conjunto, constituem um risco para a demência. A revisão da literatura, no entanto, não responde à questão: a depressão aumentará o risco para o defeito cognitivo e a satisfação com a vida, por oposição, diminuirá esse risco? Estas questões nunca foram estudadas em Portugal. O nosso objectivo principal é, então, analisar a relação entre sintomas depressivos, satisfação com a vida e defeito cognitivo e averiguar qual o impacto dos sintomas depressivos e da satisfação com a vida no defeito cognitivo. Dentro deste objectivo, queremos estudar a prevalência dos sintomas depressivos e da satisfação; averiguar a diferença nos sintomas depressivos e satisfação entre o grupo com defeito cognitivo e o grupo sem defeito cognitivo e saber quais os factores que contribuem para a relação entre as variáveis. Como metodologia, inquirimos 378 idosos com uma idade média de 80,17 anos (DP = 6,67), subdivididos em dois grupos que incluíram idosos com defeito cognitivo (n = 132) e idosos sem efeito cognitivo (n = 246), através do Mini-Mental State Examination (MMSE), da Geriatric Depression Scale (GDS), e da Satisfaction with Life Scale (SWLS). Verificámos uma baixa prevalência de defeito cognitivo...

A Satisfação com a Vida de Idosos Institucionalizados

Rodrigues, Sara Isabel
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
128.74145%
Enquadramento: Nos últimos anos, tem-se verificado na nossa sociedade, um aumento progressivo da institucionalização de idosos. Ao entrar para uma instituição, o Idoso é levado a viver um mundo à parte, perdendo a sua individualidade e consequentemente entrar num processo de isolamento que poderá contribuir para níveis elevados de insatisfação com a vida. As situações de (in)dependência, as alterações verificadas nas estruturas familiares, as razões que levam ao internamento e ainda as relações e formas de ocupação dos tempos livres têm sido variáveis apontadas por vários investigadores como determinantes na satisfação com a vida dos Idosos. Objectivos: Identificar a satisfação com a vida em Idosos Institucionalizados e sua relação com variáveis sociodemográficas e psicossociais. Métodos: O modelo de investigação adoptado, é do tipo quantitativo, não experimental, descritivo, transversal e correlacional. Participaram no estudo 62 idosos. O instrumento de colheita de dados utilizado integrava os grupos: Factores Pessoais, Factores Situacionais, Índice de Actividades de Lazer, Escala de Avaliação de Actividades da Vida Diária e a Escala para Medida da Satisfação com a Vida. Resultados: A população estudada é maioritariamente feminina...

Memória a Curto-Prazo, Satisfação com a Vida e Afectividade em Idosos em Lar e em Centro de Dia

Gaspar, Anabela Manaia
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
128.80289%
Introdução: No envelhecimento podem degradar-se diferentes funções cognitivas, entre elas a memória. Os idosos não-institucionalizados apresentam níveis mais elevados de estimulação ao nível relacional, físico e psicológico. São nossos objectivos verificar se existem diferenças na memória a curto-prazo, na satisfação com a vida e na afectividade (afecto positivo e negativo) entre idosos vivendo em Lares e frequentando Centros de Dia, analisar potenciais associações entre a memória a curto-prazo e a satisfação com a vida e afectividade e testar o potencial papel preditivo da memória a curto-prazo para as outras duas variáveis. Queremos, ainda, testar potenciais associações entre diferentes variáveis sociodemográficas, a sintomatologia depressiva/ansiosa e as variáveis mencionadas para controlar o seu papel nas análises envolvendo predição. Metodologia: A amostra incluiu 283 idosos (idade média 80,2 ± 6,58) sob resposta social no Concelho de Coimbra que aceitaram responder a uma bateria de testes (Montreal Cognitive Assessment/MoCA, Mini Mental State Examination/MMSE, Satisfaction with Life Scale e Positive and Negative Affect Schedule). Resultados: Não existem associações estatisticamente significativas entre o tipo de resposta social e a memória a curto-prazo...

Autonomia e Satisfação com a Vida em Jovens Institucionalizados: Lares de Infância e Juventude vs Apartamentos de Autonomização

Neves, Magda Cristina Frazão
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
128.98335%
O principal objectivo deste estudo centra-se na compreensão das relações entre autonomia, satisfação com a vida e a satisfação com a instituição em jovens institucionalizados. Analisaram-se estes três conceitos nas suas relações com a idade, sexo e tipo de resposta social, incidindo a atenção nas diferenças existentes num acolhimento em lar de infância e juventude [LIJ] e apartamento de autonomização [AA]. Participaram neste estudo 181 jovens, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 13 e os 21 anos. Em LIJ estavam acolhidos 155 jovens e 26 em AA. Para avaliar a autonomia utilizou-se o Questionário de Autonomia dos Adolescentes e para a satisfação com a vida a Escala de Satisfação com a Vida. Foi elaborado um questionário com o intuito de avaliar a satisfação com a instituição. De uma forma geral, os resultados indicam-nos que a satisfação com a vida está relacionada positivamente com a autonomia, na sua forma geral, com a dimensão autonomia funcional e com a satisfação com a instituição. A autonomia funcional encontra-se igualmente relacionada positivamente com a satisfação com a instituição. Os rapazes manifestam-se mais satisfeitos com a vida e com a instituição, assim como se sentem mais autónomos do que as raparigas. Os jovens mais velhos mostram-se mais autónomos que os mais novos...

Satisfação com a vida e com o lar

Matias, Célia Carmo Góis Estrela
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
128.91824%
O envelhecimento da população é uma realidade indiscutível nas sociedades contemporâneas. Independentemente dos modelos societários em que vivamos, a longevidade só faz sentido se for acompanhada por felicidade, qualidade e satisfação de vida. No entanto, este envelhecimento generalizado da população traz consigo vários constrangimentos à população idosa, entre eles a sua institucionalização em lares de terceira idade. O processo de institucionalização pode ter efeitos negativos ao nível do bemestar psicossocial dos idosos institucionalizados se não forem tidos em conta determinados factores promotores do sucesso adaptativo que conduzam a melhores níveis de satisfação. Neste estudo, a questão lançada tem subjacente a convicção de que existem vários factores que podem contribuir ou influenciar positiva ou negativamente a satisfação com o lar das pessoas idosas residentes em cenários institucionais. Este foi, precisamente, o objectivo do nosso trabalho, ou seja, analisar os níveis de satisfação com a vida e com o lar e os factores que se relacionam com a satisfação com o lar. Trata-se de um estudo de observação, transversal, que recaiu em 49 idosos institucionalizados em duas instituições da rede solidária do concelho de Miranda do Corvo. Utilizámos uma metodologia quantitativa para medir objectivamente o nível de satisfação com a vida e com o lar das pessoas idosas institucionalizadas. No âmbito da utilização desta metodologia administrou-se um inquérito por questionário...

A satisfação com a vida e a funcionalidade em idosos atendidos em um ambulatório de geriatria

Sposito,Giovana; D'Elboux,Maria José; Neri,Anita Liberalesso; Guariento,Maria Elena
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
128.82368%
O envelhecimento pode vir acompanhado de limitações funcionais que influenciam a autoestima, rebaixando o nível de satisfação com a vida. Estudos destacam a satisfação com a vida como preditor na qualidade de vida e tem forte relação com a queda da funcionalidade. Portanto, este estudo teve como objetivo verificar a relação entre a satisfação com a vida e a independência funcional e o desempenho de membros inferiores (força muscular, velocidade de marcha e equilíbrio) de idosos em seguimento ambulatorial, em relação a grupos etários e de gêneros. Foram avaliados 125 idosos de ambos os sexos com idade mínima de 60 anos, atendidos em um ambulatório de geriatria. Os instrumentos utilizados foram: 1) Medida da Independência Funcional (MIF) para avaliar a dependência funcional; 2) Short Physical Performance Battery (SPPB) para medir o desempenho físico; 3) Satisfação com a vida. A amostra utilizada foi de conveniência, com predomínio do sexo feminino, os idosos mais velhos apresentaram maior comprometimento funcional. Na análise de regressão logística univariada e multivariada, a satisfação global com a vida autorrelatada e comparada foi mais satisfatória entre os idosos mais velhos. Os resultados sugerem que indivíduos mais velhos apresentam melhor satisfação com a vida mesmo com maior comprometimento funcional.

A satisfação com a vida e a funcionalidade em idosos atendidos em um ambulatório de geriatria

Sposito,Giovana; D'Elboux,Maria José; Neri,Anita Liberalesso; Guariento,Maria Elena
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
128.82368%
O envelhecimento pode vir acompanhado de limitações funcionais que influenciam a autoestima, rebaixando o nível de satisfação com a vida. Estudos destacam a satisfação com a vida como preditor na qualidade de vida e tem forte relação com a queda da funcionalidade. Portanto, este estudo teve como objetivo verificar a relação entre a satisfação com a vida e a independência funcional e o desempenho de membros inferiores (força muscular, velocidade de marcha e equilíbrio) de idosos em seguimento ambulatorial, em relação a grupos etários e de gêneros. Foram avaliados 125 idosos de ambos os sexos com idade mínima de 60 anos, atendidos em um ambulatório de geriatria. Os instrumentos utilizados foram: 1) Medida da Independência Funcional (MIF) para avaliar a dependência funcional; 2) Short Physical Performance Battery (SPPB) para medir o desempenho físico; 3) Satisfação com a vida. A amostra utilizada foi de conveniência, com predomínio do sexo feminino, os idosos mais velhos apresentaram maior comprometimento funcional. Na análise de regressão logística univariada e multivariada, a satisfação global com a vida autorrelatada e comparada foi mais satisfatória entre os idosos mais velhos. Os resultados sugerem que indivíduos mais velhos apresentam melhor satisfação com a vida mesmo com maior comprometimento funcional.