Página 2 dos resultados de 253 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Três ensaios sobre mudança demográfica e seus impactos nas economias brasileira e gaúcha

Stampe, Marianne Zwilling
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
36.37%
O presente estudo aborda a demografia e seus impactos na economia. A redução das taxas de fecundidade e de mortalidade, acompanhadas pelo aumento da expectativa de vida da população, tiveram como consequência a queda da taxa de crescimento populacional e mudanças na estrutura etária da população brasileira. Esse fenômeno também condiciona a chamada transição demográfica, processo no qual ocorre redução na proporção de crianças e aumento na proporção de pessoas idosas na população. A literatura supõe que esse processo esteja relacionado com o crescimento econômico, de forma que regiões com menor taxa de dependência (proporção de crianças e idosos na população) devem apresentar maior crescimento econômico. Utilizando-se técnicas de análise exploratória de dados espaciais (AEDE) para Áreas Mínimas Comparáveis (AMC) e de econometria para dados em painel, foi comprovada a relação inversa entre taxa de dependência e crescimento econômico com ambas as técnicas para o Brasil. A taxa de dependência indicou que o componente infantil predomina no Brasil e que as regiões do Brasil mais desenvolvidas em termos de mudança demográfica são as Sul e Sudeste. Tanto as taxas de dependência infantil e de idosos mostraram influenciar negativamente o modelo de crescimento econômico brasileiro...

Polaridade e polarização no século XXI : impactos políticos da transição demográfica

Ávila, Fabrício Schiavo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.37%
A política, no sistema internacional do século XXI, será impactada pelas mudanças na base demográfica dos países. Ao mesmo tempo, aumenta a necessidade de Estados com acesso a tecnologias de ponta, ou seja, de grande polaridade, de utilizarem os recursos humanos de países em crescimento para a maximização de poder. O processo impacta a polarização com novas alianças de países. O uso da força necessita de pessoas para a defesa e a garantia da sobrevivência do Estado na Anarquia. Principalmente, em um cenário de guerra sistêmica com a utilização de armas nucleares que constituem as fiadoras das operações convencionais. Concomitantemente, a quantidade de pessoas na força de trabalho é a base das políticas de dissuasão nuclear dos Estados devido a capacidade de sobrevivência a um segundo ataque.; The policy in the twenty-first century international system, will be impacted by changes in the demographic base of countries. At the same time, increases the need for States with access to advanced technologies, ie, high polarity, use of human resources for countries to maximize growth of power. The polarization process impacts of new alliances with countries. The use of force requires people to defend and guarantee the survival of the state in Anarchy. Especially in a war scenario with the systemic use of nuclear weapons which are the guarantors of conventional operations. Concomitantly...

Envelhecimento demográfico e mudanças na transição à velhice entre brasileiros de distintas gerações; Demographic aging and changes in transition to old age among Brazilians of different generations

Carolina Alondra Guidotti Gonzalez
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
36.53%
Como parte do processo de transição demográfica, que inclui substancial aumento da longevidade, a população brasileira experimenta uma série de mudanças que reconfiguram seu mapa etário e repercutem na sociedade como um todo. Dentro desse cenário de envelhecimento da população, o foco deste trabalho é conhecer as mudanças que experimentam distintas gerações na medida em que atingem as idades nas quais passam a ser consideradas como população idosa. As análises focalizam três dimensões específicas: na condição da população no âmbito doméstico, no mercado de trabalho e em relação às condições de saúde, atentando para os diferenciais entre homens e mulheres e segundo condição socioeconômica. Para esse fim, a perspectiva teórica privilegiada é a do curso de vida. Esta perspectiva propõe um marco conceitual que permite considerar os processos de mudança social e os processos demográficos como interdependentes. Dessa forma, o envelhecimento é considerado como processo, dando destaque à interseção entre a mudança no tempo biológico dos indivíduos ¿ demarcada fortemente pela idade ¿ com as mudanças no tempo histórico (com enfoque na dimensão política, econômica, demográfica e social) e com a sucessão de coortes. Parte-se da hipótese de que a população idosa é um grupo heterogêneo...

Dinâmica demográfica no Ave : um estudo prospectivo

Machado, José Manuel de Sá Cunha
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 15/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
36.49%
Tese de Doutoramento em Sociologia (ramo de conhecimento em Matemática e Estatística para as Ciências Sociais); O estudo das projecções demográficas tem, desde há várias décadas, suscitado acrescido interesse entre os demógrafos e a sociedade em geral, com o intuito de compreender a dinâmica demográfica, particularmente nos seus fenómenos estritos: a fecundidade, o movimento migratório e a mortalidade. O interesse manifestado em conhecer quantos seremos e como estaremos distribuídos no que concerne ao género, à idade ou a outras características demográficas, tem implicado o desenvolvimento de métodos de projecção crescentemente mais precisos e passíveis de ser matematicamente expressos. A inconstância desta dinâmica populacional, materializada nas bem conhecidas fases da transição demográfica, assim como a diversidade desta mesma dinâmica, em áreas geograficamente muito próximas, tem obrigado a uma atenção redobrada no que concerne às variações populacionais e aos fenómenos demográficos. O estudo que desenvolvemos, aplicado a uma área geográfica de Portugal Continental, especificamente uma parte da região Norte, estatisticamente designada por sub-região Ave, analisa, num primeiro momento...

Envelhecer numa sociedade em vias de desenvolvimento e marcada pela desigualdade social

Maciel, Andréia Barroso Figueiredo
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
36.59%
Este trabalho insere-se no estudo do processo de transição demográfica e analisa o processo de declínio da fecundidade e suas implicações sobre o envelhecimento populacional brasileiro. O objectivo central é desvendar, ainda que de forma exploratória, como vem ocorrendo o processo de transição demográfica e suas possíveis diferenciações, bem como os factores que a envolvem e melhor a caracterizam. Seguiu-se uma metodologia quantitativa e de análise descritiva dos dados e documentos disponibilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e pelo United Nations Statistics Division. Verificou-se importante diferença regional, racial e social no processo de transição. A variável renda per capita revelou-se como o elemento fulcral na caracterização das dissemelhanças encontradas. O sistema de segurança social por sua vez tem-se revelado importante instrumento de redução da pobreza entre idosos, configurando-se entretanto como uma área bastante crítica correndo inclusive o risco de insolvência futura caso não sejam realizados os ajustes necessários. ## ABSTRACT Growing old in a society in developing and marked by social inequality. This work is the study of the process of demographic transition and examines the process of fertility decline and implications for the Brazilian population aging. The central objective is to discover...

A Transição da Mortalidade e Estruturas de Causas de Morte em Portugal Continental Durante o Século XX

Morais, Maria da Graça Cardoso Luís David
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
36.37%
"Sem resumo feito pelo autor"; - Historicamente podemos dizer que o desenvolvimento da mortalidade, em especial na Europa, foi caracterizado por um modelo de pré-declínio típico da maioria das sociedades do antigo regime demográfico, com elevados níveis, realçados por surtos periódicos de epidemias causadas pelas doenças infecciosas (peste, varíola, tifo, etc.). A sua atenuação deveu-se, em grande parte, à eficiente intervenção dos governos a partir do séc. XVIII até finais do séc. XIX. No séc. XX assiste-se a uma redução drástica que conflui para uma quase-estabilização a partir dos anos 80 que foi subsequente do arranque do desenvolvimento produzido a vários níveis: económico, social, sanitário, cultural, etc.. Em Portugal, antes do séc. XX, este panorama do desenvolvimento da mortalidade deu-se também por fases, caracterizadas por algumas descontinuidades, como nos podemos aperceber através dos estudos parcelares de alguns autores, mas que não aprofundaremos por tal não fazer parte dos objectivos do nosso estudo. No séc. XX, graças à conjugação de diversas determinantes da conjuntura nacional, como sejam, o estádio de desenvolvimento económico, a importância das disponibilidades alimentares...

Transição para a “vida adulta”: segmentação de jovens europeus

Vicente, Vânia
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
36.44%
Mestrado em Prospecção e Análise de Dados; A transição para a vida adulta é uma fase do ciclo de vida que tem vindo a motivar estudos em vários domínios das Ciências Sociais. Segundo vários teóricos, o impacto sobre a vida dos jovens das profundas mudanças ocorridas ao longo dos últimos 60 anos justifica uma análise da fase de transição para a chamada vida adulta. Vários investigadores consideram o período entre os 18 e os 25 anos, outros alargaram a amostra até aos 29 anos, não existindo, contudo, consenso quanto aos limites desta fase do ciclo de vida. A justificação para a actual conceptualização holística e dinâmica das fases de transição entre a adolescência e o período adulto é suportada pelo impacto estruturante de factores socio-económicos como desemprego, dificuldade na autonomia financeira e residência, e prolongamento dos estudos. Aplicando a estatística multivariada aos dados do European Social Survey (módulo de 2006), este artigo visa contribuir para a caracterização e medida da heterogeneidade presente na fase de transição para a vida adulta. Através de modelos de mistura finita segmentou-se a amostra com base nas dez dimensões dos valores de Schwartz (1995) e nas variáveis de caracterização demográfica e familiar. Para a escolha do número de segmentos foram considerados dois critérios de informação...

A saúde dos idosos brasileiros às vésperas do século XXI: problemas, projeções e alternativas

Chaimowicz,Flávio
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1997 Português
Relevância na Pesquisa
46.44%
São analizadas as características atuais e as perspectivas dos processos de transição demográfica e epidemiológica no Brasil. Foram utilizados os resultados do censo demográfico de 1991 e 1996 e Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 1993 e 1995, de novas projeções populacionais, e de recentes estudos sobre o perfil socioeconômico e de saúde de idosos de três grandes capitais brasileiras. Embora se estime que a proporção de idosos deverá duplicar até 2050, alcançando 15% do total da população, doenças crônico-degenerativas e distúrbios mentais já têm determinado, atualmente, maciça utilização dos serviços de saúde. O desenvolvimento de doenças, incapacidades e dependência têm sido mais freqüentes dentre aqueles de baixa renda que, no entanto, não têm conseguido garantir a assistência social e de saúde que demandam. Ações preventivas devem ser coordenadas por unidades básicas de saúde, priorizando necessidades locais. É imprescindível o investimento imediato na saúde, educação e formação técnica dos jovens, nos programas de apoio aos familiares e na manutenção de idosos em atividades produtivas adequadas.

O uso das taxas de crescimento por idade para identificação das principais etapas da transição demográfica no Brasil

Myrrha,Luana Junqueira Dias; Siviero,Pamila Cristina Lima; Wajnman,Simone; Turra,Cássio M.
Fonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais Publicador: Associação Brasileira de Estudos Populacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
36.44%
A análise do conjunto de taxas específicas de crescimento por idade de uma população, proposta por Horiuchi e Preston (1988), é uma maneira alternativa de investigar o processo da mudança da estrutura etária de uma população, bem como de examinar possíveis "marcas" deixadas pela história demográfica de cada coorte. O objetivo deste trabalho é aplicar tal metodologia à população brasileira, discutindo grandes mudanças demográficas a partir da função corrente de crescimento populacional do Brasil, observada nos períodos entre 1970 e 1980, 1980 e 1990, 1990 e 2000, 2000 e 2010. A partir dos padrões da função de taxas específicas de crescimento, simulados por Horiuchi e Preston (1988) para descrever a estrutura das taxas específicas de crescimento para cada regime de mudança demográfica, foram avaliadas possíveis marcas da história demográfica presentes nas atuais coortes brasileiras. Os resultados demonstram que as informações contidas nas taxas específicas de crescimento são bastante elucidativas com relação aos efeitos de variações nos regimes demográficos, sendo de grande utilidade em populações cujas taxas vitais não são confiáveis ou estão indisponíveis.

A transição da estrutura etária da população brasileira na primeira metade do século XXI

Carvalho,José Alberto Magno de; Rodríguez-Wong,Laura L.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 Português
Relevância na Pesquisa
46.37%
A trajetória da população brasileira, na primeira metade deste século, tanto em termos de seu volume, quanto de sua estrutura etária, já está praticamente definida, pois, tanto a transição de mortalidade quanto a da fecundidade já se encontram muito avançadas. Enquanto a população idosa (65 e mais anos de idade) aumentará a taxas altas (entre 2% e 4% ao ano), a população jovem tenderá a decrescer. Segundo projeções das Nações Unidas, de 3,1% da população total, em 1970, a população idosa brasileira deverá passar a aproximadamente 19%, em 2050. Paralelamente, conviverão dentro das populações jovem e adulta subgrupos etários com crescimento negativo e positivo. A transição etária brasileira gera oportunidades e desafios que, se não aproveitados e enfrentados, no momento devido, levará o país a seriíssimos problemas, nas próximas décadas.

As redes de atenção à saúde

Mendes,Eugênio Vilaça
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 Português
Relevância na Pesquisa
36.44%
As transições demográfica e epidemiológica significam um incremento relativo das condições crônicas. Tem sido assim, no Brasil, que apresenta uma situação de saúde de tripla carga de doenças, manifestada na convivência de doenças infecciosas, parasitárias e problemas de saúde reprodutiva, causas externas e doenças crônicas. Há uma crise dos sistemas de saúde contemporâneos que se explica pela incoerência entre uma situação de saúde com predomínio relativo forte de condições crônicas e uma resposta social através de sistemas fragmentados e voltados, principalmente, para as condições agudas e as agudizações das condições crônicas. Essa crise se manifesta em nosso país, tanto no setor público quanto no setor privado. A solução para essa crise está em recompor a coerência entre a situação de tripla carga de doenças com uma resposta social estruturada em sistemas integrados de saúde: as redes de atenção à saúde. Conclui-se que há evidências na literatura internacional de que as redes de atenção à saúde podem melhorar a qualidade dos serviços, os resultados sanitários e a satisfação dos usuários e reduzir os custos dos sistemas de atenção à saúde.

A Transição demografica no Brasil e seus impactos sobre algumas políticas públicas

Dias, Amanda Rodrigues, 1992-
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Monografia Graduação Formato: 45 f.; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.44%
Orientador: Demian Castro; Monografia(Graduação) - Universidade Federal do Paraná,Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Curso de Ciências Econômicas; Resumo: O Brasil passa atualmente por uma transição demográfica provocada pela redução da natalidade e mortalidade, gerando um aumento da expectativa de vida e consequente envelhecimento da população, o que acarreta em uma modificação da sua estrutura etária. Essa alteração traz uma serie de implicações e oportunidades para as áreas de economia, saúde, comércio e serviços, educação, previdência social e mercado de trabalho. Os três últimos são o foco deste trabalho. Para que o país possa usufruir do bônus demográfico nesta primeira metade do século XXI, faz se necessária a implementação de políticas públicas que propiciem o seu aproveitamento, caso contrário, ele poderá passar despercebido e a pressão fiscal sobre o setor previdenciário poderá aumentar de forma crítica para os cofres públicos. A situação atual é propícia para melhorar a qualidade do sistema de educação de base. Além disso, o crescimento da população em idade ativa, consequência do bônus, pode render ao país um aumento nos níveis de poupança, investimento e produção. É muito importante aproveitar esse momento singular...

A transição demográfica e a reforma da previdência social

Fonte: CEPAL Publicador: CEPAL
Português
Relevância na Pesquisa
36.37%
Incluye Bibliografía; ; El volúmen reune los trabajos presentados al seminario el que se estructuró en torno a cuatro paneles que abordaron como aspectos centrales: a) las tendencias demográficas en el mundo y sus impactos sobre la seguridad social; b) los cambios poblacionales en Brasil; c) los impactos de la transición demográfica sobre el mercado del trabajo; d) los impactos de la transición demográfica sobre la seguridad social.

Envelhecimento e produtividade

Rocha, Romero
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Mercado de trabalho: conjuntura e análise - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
46.44%
Este artigo apresenta uma discussão de como a produtividade no mercado de trabalho no Brasil iria mudar como resultado da transição demográfica e como esta mudança, por sua vez, afetaria o crescimento econômico e as finanças públicas. Ele se concentra em questões relacionadas com o perfil idade-produtividade, e no hiato de produtividade e salário. Discute o efeito da idade na produtividade da força de trabalho, e consequentemente no seu crescimento. Traz uma discussão sobre as diferenças entre os perfis de idade-produtividade e idade-salário. Aborda evidências sobre o efeito do envelhecimento da força de trabalho sobre a produtividade das empresas usando dados das empresas industriais brasileiras.; p. 43-56 : il.

Megatendências mundiais 2030 : o que entidades e personalidades internacionais pensam sobre o futuro do mundo? : contribuição para um debate de longo prazo para o Brasil; Global megatrends in 2030 : what do international institutions and personalities think about the world's future? : a contribution to a long term debate for Brazil

Marcial, Elaine C. (Organizadora)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Livros
Português
Relevância na Pesquisa
46.44%
Apresenta o levantamento de sementes de futuro que devem moldar o contexto mundial até 2030 a respeito do futuro, nas áreas de população e sociedade, de geopolítica, de ciência e tecnologia (C&T), de economia e de meio ambiente. Traz os principais conceitos e a metodologia utilizada para o melhor entendimento do futuro, assim como a síntese dos principais resultados e a bibliografia-base consultada sobre o futuro. Descreve as megatendências ligadas à dimensão população e sociedade, cuja ideia principal é a transição demográfica para um novo perfil populacional mundial, com peso maior da classe média. Destaca redistribuição do poder global com a entrada de novas potências emergentes e o desgaste relativo dos Estados Unidos e da Europa. Mostra as megatendências na dimensão ciência e tecnologia (C&T). As tecnologias da informação e comunicação (TICs) modificarão cada vez mais a natureza das relações humanas, desde o trabalho ao lazer. Cada vez mais interdisciplinar, a C&T proporcionará melhor qualidade de vida e mais empoderamento dos cidadãos do mundo. Trata a dimensão econômica apontando as incertezas para as próximas décadas. Todas essas questões envolvem grande incerteza mundial e impactam diretamente a dimensão meio ambiente...

Possíveis conseqüências da crescente longevidade no Brasil: perspectiva de um demógrafo; Possible consequences of increasing life expectancy in Brazil: the perspective of a European historical demographer

Imhof, Arthur E.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/1987 Português
Relevância na Pesquisa
36.53%
Em 1985, as pessoas com mais de 60 anos de idade representavam 6,6% da população total do Brasil, enquanto na República Federativa da Alemanha esta proporção era, em 1984, de 20,3%; em 1950 havia chegado aos 14,5%. Esta proporção não será alcançada no Brasil, nem mesmo no ano 2000, pois se prevê que as pessoas acima de 60 anos comporão 8,8% da população total. Da mesma forma, no período 1982/84 a expectativa de vida ao nascer na República Federativa da Alemanha era de 70,8 anos, para homens, e de 77,5, para mulheres. No Brasil, para 1980/85, foi de 61,0 e 66,0, respectivamente. Com este pano de fundo entende-se porque o debate sobre o envelhecimento da sociedade com os seus múltiplos problemas - médicos, econômicos, individuais e sociais - tem demorado a assumir qualquer destaque no Brasil. Embora sejam importantes no Brasil estas considerações, elas constituem, no entanto, presentemente, apenas um lado da história. Para um europeu estudioso de demografia histórica com a vantagem de uma visão de 300 ou 400 anos, o outro lado da história é igualmente importante. O fato de a longevidade estar 10 anos mais baixa no Brasil não significa que ninguém nesse país viva até a idade avançada. Em 1981, pessoas de 65 anos ou mais representaram 34...

A saúde dos idosos brasileiros às vésperas do século XXI: problemas, projeções e alternativas; Health of the Brazilian elderly population on the eve of the 21st century: current problems, forecasts and alternatives

Chaimowicz, Flávio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/1997 Português
Relevância na Pesquisa
46.44%
Current characteristics and perspectives of Brazilian demographic and epidemiological transition processes are analyzed. Results from the 1991, 1993, 1995 and 1996 censuses, new population projections and recent studies on socioeconomic and health profiles of elderly people of S. Paulo, Rio de Janeiro and Belo Horizonte are discussed. In 1995, estimated life expectancy at birth in Brazil was already over 67 years. The number of individuals aged 60 years and older - in 1995, 8.3%, of the total population - is expected to duplicate and probably stabilize by the year 2050. Yet lacking coverage and quality, health services are already burdened with degenerative diseases and mental disorders, frequent out-patient appointments, high hospital bed occupation and high costs. Functional impairment and self-reported diseases are related to poverty among the elderly, for whom social and health support are not properly provided. Support from informal caregivers becomes more difficult due to impoverishment, family size reduction and youth migration. Institutionalization remains a poor approach as scarcity of beds and inadequacy of staff preclude its utilization. To minimize the impact of population aging on health services, it is proposed that effective programs covering the control of degenerative diseases and the prevention of their complications should be implemente - for the elderly population too. The importance of physical exercise...

A transição da estrutura etária da população brasileira na primeira metade do século XXI

Carvalho,José Alberto Magno de; Rodríguez-Wong,Laura L.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 Português
Relevância na Pesquisa
46.37%
A trajetória da população brasileira, na primeira metade deste século, tanto em termos de seu volume, quanto de sua estrutura etária, já está praticamente definida, pois, tanto a transição de mortalidade quanto a da fecundidade já se encontram muito avançadas. Enquanto a população idosa (65 e mais anos de idade) aumentará a taxas altas (entre 2% e 4% ao ano), a população jovem tenderá a decrescer. Segundo projeções das Nações Unidas, de 3,1% da população total, em 1970, a população idosa brasileira deverá passar a aproximadamente 19%, em 2050. Paralelamente, conviverão dentro das populações jovem e adulta subgrupos etários com crescimento negativo e positivo. A transição etária brasileira gera oportunidades e desafios que, se não aproveitados e enfrentados, no momento devido, levará o país a seriíssimos problemas, nas próximas décadas.

As redes de atenção à saúde

Mendes,Eugênio Vilaça
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 Português
Relevância na Pesquisa
36.44%
As transições demográfica e epidemiológica significam um incremento relativo das condições crônicas. Tem sido assim, no Brasil, que apresenta uma situação de saúde de tripla carga de doenças, manifestada na convivência de doenças infecciosas, parasitárias e problemas de saúde reprodutiva, causas externas e doenças crônicas. Há uma crise dos sistemas de saúde contemporâneos que se explica pela incoerência entre uma situação de saúde com predomínio relativo forte de condições crônicas e uma resposta social através de sistemas fragmentados e voltados, principalmente, para as condições agudas e as agudizações das condições crônicas. Essa crise se manifesta em nosso país, tanto no setor público quanto no setor privado. A solução para essa crise está em recompor a coerência entre a situação de tripla carga de doenças com uma resposta social estruturada em sistemas integrados de saúde: as redes de atenção à saúde. Conclui-se que há evidências na literatura internacional de que as redes de atenção à saúde podem melhorar a qualidade dos serviços, os resultados sanitários e a satisfação dos usuários e reduzir os custos dos sistemas de atenção à saúde.

A saúde dos idosos brasileiros às vésperas do século XXI: problemas, projeções e alternativas

Chaimowicz,Flávio
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1997 Português
Relevância na Pesquisa
46.44%
São analizadas as características atuais e as perspectivas dos processos de transição demográfica e epidemiológica no Brasil. Foram utilizados os resultados do censo demográfico de 1991 e 1996 e Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 1993 e 1995, de novas projeções populacionais, e de recentes estudos sobre o perfil socioeconômico e de saúde de idosos de três grandes capitais brasileiras. Embora se estime que a proporção de idosos deverá duplicar até 2050, alcançando 15% do total da população, doenças crônico-degenerativas e distúrbios mentais já têm determinado, atualmente, maciça utilização dos serviços de saúde. O desenvolvimento de doenças, incapacidades e dependência têm sido mais freqüentes dentre aqueles de baixa renda que, no entanto, não têm conseguido garantir a assistência social e de saúde que demandam. Ações preventivas devem ser coordenadas por unidades básicas de saúde, priorizando necessidades locais. É imprescindível o investimento imediato na saúde, educação e formação técnica dos jovens, nos programas de apoio aos familiares e na manutenção de idosos em atividades produtivas adequadas.