Página 1 dos resultados de 257 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Papel do alcalóide braquicerina na resposta ao estresse por radiação ultravioleta e dano mecânico em Psychotria brachyceras Müll Arg

Porto, Diogo Denardi
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
48.44319%
As plantas superiores sintetizam uma ampla variedade de compostos, denominados classicamente metabólitos secundários, que as ajudam a se adaptar ao seu ambiente. Um subconjunto de metabólitos secundários são os alcalóides. Essas substâncias nitrogenadas de baixo peso molecular desempenham funções variadas nas plantas, podendo apresentar propriedades antibióticas, repelentes de herbívoros ou alelopáticas. O alcalóide monoterpeno indólico braquicerina, de estrutura inédita, foi extraído da planta arbustiva Psychotria brachyceras (Rubiaceae). Esse composto revelou ação específica como antiinflamatório em testes de quimiotaxia, possuindo, portanto, potencial valor farmacológico. Trabalhos anteriores revelaram que a molécula possui significativas propriedades antioxidantes e antimutagênicas, e que a concentração foliar desse alcalóide é induzida por dano mecânico e radiação ultravioleta (UV). Neste trabalho, demonstramos os resultados de uma série de experimentos desenvolvidos com o objetivo de entender o papel de braquicerina em P. brachyceras frente a esses estresses. Uma parte dos experimentos foi desenvolvida paralelamente com amostras de Psychotria carthagenensis da mesma região, que não acumula alcalóides e é mais sensível a UV do que P. brachyceras...

Efeito de diferentes graus de dano mecânico na qualidade fisiológica de sementes de sorgo

netto,Dea Alecia Martins; Borba,Cleverson Silveira; Oliveira,Antônio Carlos de; Azevedo,João Tito de; Andrade,Ramiro Vilela
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1999 Português
Relevância na Pesquisa
58.2516%
Diversas amostras de sementes de sorgo (Sorghum bicolor L. Moench.), cultivar BR 303, com diferentes níveis de danos mecânicos, foram analisadas com o objetivo de determinar o efeito imediato de danos mecânicos sobre a qualidade fisiológica. Os percentuais de dano mecânico foram determinados pelo teste de verde rápido, e a qualidade fisiológica das sementes pelos testes de germinação, envelhecimento acelerado, teste de frio, índice de velocidade de emergência e população inicial de plântulas. O experimento foi conduzido no Laboratório de Análises de Sementes da Embrapa-Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo (CNPMS), em Sete Lagoas, MG. Através da análise de regressão, verificou-se que houve redução significativa da germinação e do vigor quando as sementes apresentaram até 5% de dano; de 5% a 15% de dano a redução na qualidade fisiológica não foi significativa. Acima de 15% até 23% de dano a germinação e o vigor sofreram um decréscimo de 22,5%, em comparação com o controle. O efeito prejudicial imediato dos danos mecânicos sobre a qualidade fisiológica das sementes de sorgo pôde ser detectada pelos testes aplicados.

Respiração, produção de etileno e qualidade de maçãs "Gala" em função do dano mecânico por impacto e da aplicação de 1-metilciclopropeno

Steffens,Cristiano André; Espíndola,Bruno Pansera; Amarante,Cassandro Vidal Talamini do; Silveira,João Paulo Generoso; Chechi,Ricardo; Brackmann,Auri
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2008 Português
Relevância na Pesquisa
48.8923%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do dano mecânico por impacto e da aplicação de 1-metilciclopropeno sobre a atividade respiratória e a taxa de produção de etileno e a qualidade físico-química de maçãs "Gala", após o armazenamento em atmosfera controlada. Os tratamentos avaliados foram T1: controle; T2: dano mecânico; T3: 1-metilciclopropeno; T4: dano mecânico + 1-metilciclopropeno; e T5: 1-metilciclopropeno + dano mecânico. Após a aplicação dos tratamentos, os frutos foram armazenados sob condição ambiente (20±2°C/65±5% UR). Os frutos submetidos ao dano mecânico e não tratados com 1-metilciclopropeno apresentaram um maior incremento na produção de etileno. O tratamento dano mecânico não aumentou a atividade respiratória e pouco influenciou o amadurecimento dos frutos, comparado ao controle, porém, aumentou a ocorrência de podridões. O 1-metilciclopropeno reduziu o metabolismo e a perda de qualidade dos frutos. Nos frutos submetidos ao dano mecânico, a aplicação de 1-metilciclopropeno reduziu a incidência de podridões.

Influência do dano na resposta de geogrelhas submetidas ao arrancamento

Sieira,Ana Cristina Castro F.; Sayão,Alberto S. F. J.
Fonte: Escola de Minas Publicador: Escola de Minas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 Português
Relevância na Pesquisa
58.45668%
Em projetos de maciços reforçados com geossintéticos, a resistência à tração de projeto é determinada a partir da aplicação de um fator de redução global sobre a resistência característica do reforço. O fator de redução global é, geralmente, desmembrado em fatores parciais de redução, que consideram a perda de resistência decorrente de danos mecânicos, degradação biológica e deformações por fluência. Em maciços reforçados, o fator de redução por danos mecânicos prepondera sobre os demais, podendo reduzir, significativamente, as propriedades mecânicas do geossintético. O presente trabalho apresenta resultados de ensaios de arrancamento executados com 2 tipos de geogrelhas, previamente danificadas, imersas em solo arenoso, sob diferentes condições de densidade relativa. O dano mecânico foi imposto artificialmente pela ruptura física de elementos da malha. O objetivo desses ensaios consistiu no estudo da influência do dano mecânico no comportamento de geogrelhas. Os resultados indicaram que a influência do dano aumenta com a densidade relativa do solo e sugerem que o dano deve ser investigado a partir de ensaios confinados, considerando-se a interação da geogrelha com o solo envolvente.

Teor de Umidade das Sementes de Soja e Metodos de Avaliacao do Dano Mecanico Provocado no Teste do Pendulo.

CARBONELL, S.A.M.; KRZYZANOWSKI, F.C.; OLIVEIRA, M.C.N. de; JUNIOR, N. da S.F.
Fonte: Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, v.28, n.11, p.1277-1285,nov.1993 Publicador: Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, v.28, n.11, p.1277-1285,nov.1993
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
48.44319%
Sementes de doze cultivares de soja (Glycine max(L.)Merrill), colhidas em maturacao fisiologica (R7), trilhadas manualmente e condicionadas para os teores de umidades de 9%, 11% e 13%, foram submetidas ao impacto do pendulo, correspondente a energia cinetica de 0,3185 joule. Nas avaliacoes dos danos, foram utilizados dois metodos. No metodo de tetrazolio, foi usado um sistema de notas para quantificar o dano mecanico, e no metodo de hipoclorito de sodio, foi considerado o numero de sementes intactas nao intumescidas pela solucao. os dois metodos foram sensiveis para distinguir as classes de resistencia entre os genotipos testados nos tres teores de umidade. O teor de umidade de 13% permitiu a melhor classificacao das doze cultivares quanto a resistencia da semente ao dano mecanico provocado pelo impacto do pendulo nos dois metodos de avaliacao (r=0,95). Os resultados comprovam a possibilidade da utilizacao do teste de hipoclorito de sodio como alternativa (mais expedito e menos oneroso) ao teste de tetrazolio no teste do pendulo, para selecao de genotipos de soja com semente resistente ao dano mecanico.; 1993

Teor de umidade das sementes de soja e métodos de avaliação do dano mecânico provocado no teste do pêndulo.

CARBONELL, S. A. M.; KRZYZANOWSKI, F. C.; OLIVEIRA, M. C. N. de; FONSECA JUNIOR, N. da S.
Fonte: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 28, n. 11, p. 1277-1285, nov.1993. Publicador: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 28, n. 11, p. 1277-1285, nov.1993.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
48.44319%
Sementes de doze cultivares de soja (Glycine max (L.) Merrill), colhidas em maturação fisiológica (R7), trilhadas manualmente e condicionadas para os teores de umidades de 9%, 11% e 13%, foram submetidas ao impacto do pêndulo, correspondente à energia cinética de 0,3185 joule. Nas avaliações dos danos, foram utilizados dois métodos. No método de tetrazólio, foi usado um sistema de notas para quantificar o dano mecânico, e no método de hipoclorito de sódio, foi considerado o número de sementes intactas não intumescidas pela solução. Os dois métodos foram sensíveis para distinguir as classes de resistência entre os genótipos testados nos três teores de umidade. O teor de umidade de 13% permitiu a melhor classificação das doze cultivares quanto à resistência da semente ao dano mecânico provocado pelo impacto do pêndulo nos dois métodos de avaliação (r = 0,95). Os resultados comprovam a possibilidade da utilização do teste de hipoclorito de sódio como alternativa (mais expedito e menos oneroso) ao teste de tetrazólio no teste do pêndulo, para seleção de genótipos de soja com semente resistente ao dano mecânico.; 1993

Avaliação de danos mecânicos nas etapas de transporte, beneficiamento e comercialização de peras.

PASINI, J.
Fonte: 2012. Publicador: 2012.
Tipo: Teses/dissertações (ALICE) Formato: 112 f.
Português
Relevância na Pesquisa
48.44319%
Danos mecânicos podem ocorrer em qualquer etapa da cadeia de produção e comercialização. A pera é um fruto muito sensível às lesões geradas após a colheita, resultando em frutos com baixa qualidade visual. O objetivo deste trabalho foi avaliar a ocorrência de danos mecânicos causados por atrito e impacto no transporte e beneficiamento de peras e avaliar seus efeitos sobre a qualidade, bem como acompanhar a comercialização e o manuseio dos frutos nos mercados atacadista e varejista. Para identificação do melhor evidenciador de lesões, peras ?Packham?s Triumph? sofreram diferentes intensidades de dano mecânico por atrito e, em seguida, foram submetidas aos métodos evidenciadores: saco de polietileno de baixa densidade, cloreto de 2,3,5-trifenil-tetrazólio (0,1 %) e dióxido de enxofre (3 mL L-1). Para avaliação do dano mecânico por atrito, peras da mesma cultivar foram acondicionadas em caixas plásticas e transportadas em caminhão, por um percurso de 7,3 km em estrada não pavimentada e avaliadas de acordo com sua aparência. Danos mecânicos por impacto foram realizados submetendo peras a alturas de queda verificadas em casa de embalagem comercial, sobre superfícies emborrachada e rígida. Impactos cumulativos foram realizados submetendo peras a uma...

Análise de correlação de ruptura de tegumento, dano mecânico e quebra sobre a germinação, o vigor e a viabilidade de sementes de soja.

COSTA, N. P.; MESQUITA, C. de M.; MAURINA, A. C.; FRANÇA-NETO, J. B.; KRZYZANOWSKI, F. C.; HENNING, A. A.
Fonte: Informativo ABRATES, Londrina, v. 13, n. 3, p. 125, set. 2003. Número especial, ref. 126. Publicador: Informativo ABRATES, Londrina, v. 13, n. 3, p. 125, set. 2003. Número especial, ref. 126.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
48.44319%
A qualidade do produto, na atual conjuntura, é de fundamental importância dentro do contexto das cadeias produtivas, pois, ou o produtor adota regras claras desse controle, ou provavelmente será eliminado do mundo dos negócios. Alguns estudos têm indicado que a soja brasileira tem apresentado sérios problemas de qualidade, com elevados percentuais de quebra, ruptura de tegumento e dano mecânico, os quais podem afetar a qualidade fisiológica da semente. A semente de boa qualidade traz um potencial genético que se expressa em aumento de produtividade, uma vez que a qualidade garante uma série de características economicamente desejáveis como, sanidade, maior valor nutricional, adaptação às condições adversas de clima e solo, assim como maior capacidade de germinação dos genótipos. Objetivando averiguar o efeito de níveis de ruptura de tegumento e de quebra de sementes foram avaliadas, na safra 2000/2001, mais de 256 amostras de sementes das cultivares BRS-132, BRS-133, BRS-136, BR-37, FT-2000, BR-16, EMBRAPA-4, FT-2002, Embrapa-48, FT-Abyara, OCEPAR-13 e OCEPAR-14 no Paraná; CAC-1, (MG/BR 46) Conquista, Doko-RC e Paiaguás, no Estado de Minas Gerais; MSOY-8411, MSOY-743, MSOY-7501, (MG/BR 46) Conquista, FT-104 e Doko-RC em Mato Grosso; e Embrapa-48...

Qualidade de maçãs 'Fuji Suprema' submetidas a diferentes tipos de dano mecânico

Hendges,Marcos Vinicius; Steffens,Cristiano André; Antoniolli,Lucimara Rogéria; Amarante,Cassandro Vidal Talamini do; Zanardi,Odimar Zanuso
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
48.895215%
Objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do dano mecânico por impacto, compressão e corte sobre a qualidade de maçãs 'Fuji Suprema' mantidas em condição ambiente. Os tratamentos avaliados foram: controle (sem dano mecânico), dano mecânico por impacto, dano mecânico por compressão e dano mecânico por corte. Os diferentes danos não influenciaram na firmeza de polpa e no ângulo 'hue' da casca. O dano por corte proporcionou frutos com menor acidez titulável, nove dias após a aplicação do dano. Frutos submetidos ao dano por impacto apresentaram maior teor de sólidos solúveis, quinze dias após a aplicação dos danos. Os danos por impacto e corte causaram o menor valor de L da polpa em todas as avaliações, evidenciando o escurecimento da polpa. Contudo, este efeito não foi observado na epiderme. Todos os frutos danificados por corteapresentaram podridão após nove dias da aplicação dos danos.De maneira geral, pode-se concluir que, nas intensidades testadas, maçãs 'Fuji Suprema' submetidas ao dano por impacto e corte apresentam prejuízos em sua qualidade, pois ocorre escurecimento da polpa no local do dano. Além disso, o dano por corte reduz a vida pós-colheita dos frutos, facilitando a ocorrência de podridões.

Qualidade e potencial de conservação pós-colheita dos frutos em cultivares brasileiras de goiabeira-serrana

Amarante,Cassandro Vidal Talamini do; Steffens,Cristiano André; Benincá,Thalita Dal Toé; Hackbarth,Crizane; Santos,Karine Louise dos
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
48.31698%
Foi avaliada a manutenção da qualidade pós-colheita dos frutos em cultivares brasileiras de goiabeira-serrana. Frutos das cultivares Alcântara, Helena, Mattos e Nonante foram colhidos na maturação comercial, no município de São Joaquim-SC, e armazenados a 4±1 ºC (90±5% UR), durante 21 dias, seguido de 8 e 48 h a 23±1 ºC (75±5% UR). Foram avaliadas a composição mineral (N, K, Mg e Ca) na colheita e a qualidade dos frutos na colheita e após o armazenamento. Frutos da cultivar Nonante apresentaram na colheita maiores valores de acidez titulável (AT) pH e de atributos de textura, e menores valores de pH e da relação sólidos solúveis/acidez titulável (SS/AT), sendo que, após o armazenamento refrigerado, este comportamento foi reduzido, com menores diferenças em relação às demais cultivares. Frutos de 'Nonante' apresentaram também maiores teores de K na casca e polpa, e menores teores de N na polpa e, após o armazenamento refrigerado, cor verde menos intensa na casca e menor escurecimento de polpa. Em relação aos dados de colheita, após o armazenamento refrigerado, houve maior redução na AT (41%) do que no teor de SS (8,6%), o que ocasionou acentuado aumento na relação SS/AT (52,5%), considerando valores médios das quatro cultivares. Isto evidencia que...

Amadurecimento de kiwis 'bruno' submetidos ao dano mecânico de impacto e ao tratamento com 1-metilciclopropeno

Alves,Erlani de Oliveira; Steffens,Cristiano André; Amarante,Cassandro Vidal Talamini do; Hendges,Marcos Vinícius; Zanardi,Odimar Zanuzo; Miqueloto,Aquidauana; Silveira,João Paulo Generoso; Brackmann,Auri
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 Português
Relevância na Pesquisa
48.8923%
O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito do dano mecânico por impacto e da aplicação de 1-MCP sobre o amadurecimento de kiwi 'Bruno'. Os tratamentos avaliados foram: (T1) controle (sem dano mecânico); (T2) dano mecânico com queda de 60 cm; (T3) dano mecânico com queda de 120 cm; (T4) 1-MCP (1µL L-1); e (T5) 1-MCP (1µL L-1) + dano mecânico com queda de 120 cm. Após a aplicação dos tratamentos, os frutos foram armazenados a 20±2 ÚC e 65±5% UR. O tratamento T3 ocasionou o aumento na atividade respiratória e da produção de etileno e reduziu a firmeza da polpa e a textura. O tratamento com 1-MCP ocasionou menor produção de etileno e na atividade respiratória e maior retenção de firmeza da polpa e da textura. A aplicação de 1-MCP em frutos submetidos ao dano mecânico por impacto proporcionou firmeza de polpa, textura e atividade respiratória e produção de etileno semelhantes ao tratamento controle. Pelos resultados constata-se que o tratamento com 1-MCP pode evitar a indução do amadurecimento ocasionado pelo dano mecânico em kiwis 'Bruno'.

Qualidade de maçãs 'Royal gala' submetidas ao dano mecânico por impacto e aplicação de 1-metilciclopropeno em dois sistemas comerciais de armazenamento

Hendges,Marcos Vinicius; Steffens,Cristiano André; Antoniolli,Lucimara Rogéria; Amarante,Cassandro Vidal Talamini do; Brackmann,Auri
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 Português
Relevância na Pesquisa
48.45668%
O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos do dano mecânico por impacto e da aplicação de 1-metilciclopropeno (1-MCP) sobre a qualidade de maçãs 'Royal Gala' mantidas em armazenamento refrigerado (AR) e em atmosfera controlada (AC). Os tratamentos avaliados foram dano mecânico (sem e com dano por impacto) combinado com a aplicação de 1-MCP (0 e 625 nL L-1). Os frutos foram armazenados durante quatro meses em armazenamento refrigerado (AR; 0 ºC ± 1 ºC e 92 ± 2 % de UR) (experimento 1) e durante oito meses em atmosfera controlada (AC; 1,2 kPa de O2 + 2,0 kPa de CO2; 0 ºC ± 0,1 ºC e 96 ± 2 % de UR) (experimento 2). Em AR, os frutos tratados com 1-MCP apresentaram maior firmeza de polpa, além de maior área escurecida no local danificado, na saída da câmara. Nesta condição de armazenamento, após sete dias em condição ambiente, os frutos tratados com 1-MCP apresentaram acidez titulável mais elevada, maior escurecimento da epiderme e menor profundidade de escurecimento da polpa no local danificado. Em AC, a aplicação do 1-MCP proporcionou, após a saída da câmara, frutos com menor teor de sólidos solúveis e maior escurecimento da epiderme no local danificado, sendo que, após sete dias em condição ambiente...

Efeito do corte como dano mecânico na qualidade e na fisiologia de mamões 'golden'

Tezotto,Jaqueline Visioni; Jacomino,Angelo Pedro; Godoy,Ana Elisa de; Cerqueira-Pereira,Elaine Costa; Gallon,Camilla Zanotti
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 Português
Relevância na Pesquisa
68.197246%
A redução na qualidade pós-colheita do mamão deve-se em grande parte aos danos mecânicos, especialmente àqueles do tipo corte. O objetivo deste trabalho foi reproduzir este dano mecânico e avaliar os efeitos do número de cortes na qualidade e na fisiologia pós-colheita de mamões 'Golden'. Os cortes foram obtidos com o uso de uma lâmina de aço de 30 mm de comprimento e 5 mm de profundidade. Os tratamentos consistiram na reprodução de 1 a 4 cortes na região mediana dos frutos. Mamões sem cortes foram utilizados como controle. Após a reprodução dos danos, os frutos foram armazenados em câmara a 22ºC e 80-90% de UR por 10 dias. As análises de qualidade foram realizadas a cada dois dias, e as fisiológicas, diariamente. Os resultados demonstraram que a firmeza, o teor de sólidos solúveis e de ácido ascórbico, a atividade respiratória e a produção de etileno foram influenciados pelo número de cortes, de forma que a perda de qualidade dos frutos foi diretamente proporcional ao número de cortes.

Qualidade de maçãs 'Royal Gala' submetidas ao dano mecânico por impacto e aplicação de 1-Metilciclopropeno em dois sistemas comerciais de armazenamento.

HENDGES, M. V.; STEFFENS, C. A.; ANTONIOLLI, L. R.; AMARANTE, C. V. T. do; BRACKMANN, A.
Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 33, n. 1, p. 32-39, mar. 2011. Publicador: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 33, n. 1, p. 32-39, mar. 2011.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
68.62718%
O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos do dano mecânico por impacto e da aplicação de 1-metilciclopropeno (1-MCP) sobre a qualidade de maçãs ?Royal Gala? mantidas em armazenamento refrigerado (AR) e em atmosfera controlada (AC). Os tratamentos avaliados foram dano mecânico (sem e com dano por impacto) combinado com a aplicação de 1-MCP (0 e 625 nL L-1). Os frutos foram armazenados durante quatro meses em armazenamento refrigerado (AR; 0 ºC ± 1 ºC e 92 ± 2 % de UR) (experimento 1) e durante oito meses em atmosfera controlada (AC; 1,2 kPa de O2 + 2,0 kPa de CO2; 0 ºC ± 0,1 ºC e 96 ± 2 % de UR) (experimento 2). Em AR, os frutos tratados com 1-MCP apresentaram maior firmeza de polpa, além de maior área escurecida no local danificado, na saída da câmara. Nesta condição de armazenamento, após sete dias em condição ambiente, os frutos tratados com 1-MCP apresentaram acidez titulável mais elevada, maior escurecimento da epiderme e menor profundidade de escurecimento da polpa no local danificado. Em AC, a aplicação do 1-MCP proporcionou, após a saída da câmara, frutos com menor teor de sólidos solúveis e maior escurecimento da epiderme no local danificado, sendo que, após sete dias em condição ambiente...

Sensibilidade de diferentes cultivares de peras europeias ao dano mecanico por impacto.

ANTONIOLLI, L. R.; PASINI, J.; MARCO, D. de; HOFFMANN, J. F.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 22., 2012, Bento Gonçalves. Anais... Bento Gonçalves: SBF, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 22., 2012, Bento Gonçalves. Anais... Bento Gonçalves: SBF, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; p. 2006-2010.
Português
Relevância na Pesquisa
68.197246%
O objetivo deste trabalho foi avaliar a sensibilidade de diferentes cultivares de peras europeias à manifestação do dano mecânico por impacto.; 2012

Qualidade de maçãs 'Fuji Suprema' submetidas a diferentes tipos de dano mecânico.

HENDGES, M. V.; STEFFENS, C. A.; ANTONIOLLI, L. R.; AMARANTE, C. V. T. do; ZANARDI, O. Z.
Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 33, n. 2, p. 671-675, jun. 2011 Publicador: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 33, n. 2, p. 671-675, jun. 2011
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
68.95585%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do dano mecânico por impacto, compressão e corte sobre a qualidade de maçãs ?Fuji Suprema? mantidas em condição ambiente. Os tratamentos avaliados foram: controle (sem dano mecânico), dano mecânico por impacto, dano mecânico por compressão e dano mecânico por corte. Os diferentes danos não influenciaram na firmeza de polpa e no ângulo ?hue? da casca. O dano por corte proporcionou frutos com menor acidez titulável, nove dias após a aplicação do dano. Frutos submetidos ao dano por impacto apresentaram maior teor de sólidos solúveis, quinze dias após a aplicação dos danos. Os danos por impacto e corte causaram o menor valor de L da polpa em todas as avaliações, evidenciando o escurecimento da polpa. Contudo, este efeito não foi observado na epiderme. Todos os frutos danificados por corte apresentaram podridão após nove dias da aplicação dos danos. De maneira geral, pode-se concluir que, nas intensidades testadas, maçãs ?Fuji Suprema? submetidas ao dano por impacto e corte apresentam prejuízos em sua qualidade, pois ocorre escurecimento da polpa no local do dano. Além disso, o dano por corte reduz a vida pós-colheita dos frutos, facilitando a ocorrência de podridões.; 2011

Avaliação de danos mecânicos nas etapas de transporte, beneficiamento e comercialização de peras; Evaluation of mechanical damage in the steps of transportation, processing and marketing of pears

Pasini, Josiane
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
48.44319%
Danos mecânicos podem ocorrer em qualquer etapa da cadeia de produção e comercialização. A pera é um fruto muito sensível às lesões geradas após a colheita, resultando em frutos com baixa qualidade visual. O objetivo deste trabalho foi avaliar a ocorrência de danos mecânicos causados por atrito e impacto no transporte e beneficiamento de peras e avaliar seus efeitos sobre a qualidade, bem como acompanhar a comercialização e o manuseio dos frutos nos mercados atacadista e varejista. Para identificação do melhor evidenciador de lesões, peras ‘Packham’s Triumph’ sofreram diferentes intensidades de dano mecânico por atrito e, em seguida, foram submetidas aos métodos evidenciadores: saco de polietileno de baixa densidade, cloreto de 2,3,5-trifenil-tetrazólio (0,1 %) e dióxido de enxofre (3 mL L-1). Para avaliação do dano mecânico por atrito, peras da mesma cultivar foram acondicionadas em caixas plásticas e transportadas em caminhão, por um percurso de 7,3 km em estrada não pavimentada e avaliadas de acordo com sua aparência. Danos mecânicos por impacto foram realizados submetendo peras a alturas de queda verificadas em casa de embalagem comercial, sobre superfícies emborrachada e rígida. Impactos cumulativos foram realizados submetendo peras a uma...

Alterações físicas e metabólicas em banana 'Prata Anã' induzidas por dano mecânico mantidas sob temperatura ambiente; Physical and metabolic alterations in "Prata Anã" banana induced by mechanical damage at room temperature

Maia, Victor Martins; Salomão, Luiz Carlos Chamhum; Siqueira, Dalmo Lopes; Puschman, Rolf; Mota Filho, Virgílio Jamir Gonçalves; Cecon, Paulo Roberto
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/2011 Português
Relevância na Pesquisa
48.609795%
Bananas respond at the physical and physiological level to mechanical damage. Mechanical injuries cause alterations in color and flavor, tissue softening, faster ripening, increased weight loss, increased invasion of microorganisms, and higher enzyme activity in the affected area. The purpose of this study was to verify the physical and metabolic alterations in 'Prata Anã' bananas induced by mechanical stress at room temperature. The experiment was conducted in a completely randomized, split-plot in time design, consisting of one control and four mechanical injury types: cutting, abrasion, impact and compression, sampled over time. The percentage of accumulated and daily fresh weight loss, electrolyte leakage from the injured peel region, total soluble sugar and starch contents and enzyme activity of polyphenoloxidase and peroxidase were measured. The damage caused by cutting and abrasion resulted in the highest percentage of fresh weight loss. All types of mechanical damage increased electrolyte leakage during the evaluation period, in comparison with the control. The impact damage anticipated the ripening, besides affecting the conversion of starch into total soluble sugars in the pulp. By impact and abrasion injuries, the polyphenoloxidase and peroxidase activity in the peel was increased by up to 231% and 90%...

Calidad fisiosanitaria de semillas de soja: efecto combinado de exposición al ambiente y niveles de daño mecánico en la cosecha

Pérez,M.A.; Hernández,L.; Kopp,S.; Novo,R.J.; García,S.D.
Fonte: Agriscientia Publicador: Agriscientia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
68.44319%
En la Argentina, el negocio de producir semilla fiscalizada de soja presenta baja rentabilidad, por lo que es necesario un sistema de producción altamente eficiente para poder competir. Al respecto, no se ha evaluado la sensibilidad de algunos cultivares al retraso del momento de cosecha y al perjuicio provocado en esta operación, medido en términos de calidad de sus semillas. El objetivo de este trabajo fue evaluar la calidad fisiosanitaria de semillas de soja de diferentes cultivares en respuesta a tratamientos combinados de periodos de exposición al ambiente y niveles de daño mecánico en la cosecha, en condiciones locales de producción. Se trabajó con semillas de soja de cuatro cultivares con diferentes grados de deterioro ambiental, incidencia fúngica y efectos mecánicos. Se evaluó la calidad a través de ensayos de germinación, vigor, daño mecánico, contenido de humedad y sanidad. La respuesta de las variables fisiosanitarias a la acción mecánica fueron diferentes en los cultivares evaluados, evidenciándose disminución de la germinación y del vigor y en general un aumento en la incidencia fúngica. Sin embargo, estos efectos fueron menos marcados que los ocasionados por el factor periodo de exposición al ambiente.

Micromorfología de la epidermis foliar de cultivares de arroz Venezolano (Poaceae) asociado con el daño mecánico de sogata Tagosodes orizicolus (Homoptera: Delphacidae)

Velásquez-Salazar,Rosalía; Diamont,Diego
Fonte: Revista de Biología Tropical Publicador: Revista de Biología Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 Português
Relevância na Pesquisa
48.5243%
El arroz es afectado directa e indirectamente por el insecto sogata. El daño directo o mecánico es debido a la postura de huevos y alimentación del tejido foliar por parte del insecto y el daño indirecto que ocurre es por la trasmisión del virus de la hoja blanca del arroz. El ensayo fue conducido en la Fundación DANAC en agosto 2011, con la finalidad de evaluar las estructuras morfoanatómicas asociadas con la resistencia al daño mecánico en seis cultivares de arroz que incluyen a los testigos de resistencia y susceptibilidad (Bluebonnet 50 y Makalioka). En el tercio medio de la tercera hoja, se evaluaron las variables grosor de la cutícula, presencia de macropelos, micropelos y cuerpos silíceos. Se observaron diferencias significativas entre los cultivares para el grosor de cutícula, número de micropelos y presencia de cuerpos silíceos, se determinó una correlación significativa entre el número de macro-pelos y micropelos en la cara adaxial con la presencia de cuerpos silíceos y el grosor de la cutícula y el número de insectos posados a las 96h. El grosor de la cutícula y la presencia de cuerpos silíceos en los espacios intercostales de los micropelos y macropelos mostraron ser los caracteres más relacionados con la resistencia al daño mecánico y los mecanismos de resistencia al insecto.