Página 1 dos resultados de 285 itens digitais encontrados em 0.024 segundos

Produção e qualidade fisiológica de sementes de feijão-vagem em função de fontes e doses de nitrogênio

Oliveira, Ademar P. de; Pereira, Eusinia L.; Bruno, Riselane de Lucena Alcântara; Alves, Edna U.; Costa, Rubens F. da; Leal, Francisco Romeu F.
Fonte: Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes (ABRATES) Publicador: Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes (ABRATES)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 49-55
Português
Relevância na Pesquisa
49.246104%
Estudaram-se os efeitos da aplicação de cinco doses e três fontes de nitrogênio sobre a produção e a qualidade fisiológica de sementes de feijão-vagem, cv. Macarrão Trepador - Hortivale, no período de setembro/2000 a fevereiro/2001, no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba, em Areia. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, com os tratamentos distribuídos em esquema fatorial (3 x 5) + 1, correspondendo às fontes (nitrato de cálcio, sulfato de amônio e uréia) e doses (0, 25, 50, 75 e 100kg.ha-1) de nitrogênio, e um tratamento adicional sem adubação (testemunha), com quatro repetições. As fontes nitrato de cálcio e sulfato de amônio, na dose de 100kg.ha-1, e uréia, na dose de 55kg.ha-1 de N, proporcionaram as produções de sementes no feijão-vagem de 2.571, 3.219 e 2.221kg.ha-1, respectivamente. O nitrogênio, em todas as fontes, influenciou positivamente a germinação e o vigor (índice de velocidade de germinação e emergência em campo) da semente do feijão-vagem. As doses de 68,8 e 49kg.ha-1 de N, fontes nitrato de cálcio e uréia foram responsáveis pelos valores máximos para a porcentagem de germinação, 72 e 75%, respectivamente. Para a fonte sulfato de amônio ocorreu aumento linear da porcentagem de germinação...

Caracterização morfológica, citogenética e palinológica de genótipos de feijão-vagem (Phaseolus vulgaris L.) - Fabaceae

Ferreira, Agmar Gonçalves
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: x, 60 f. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
58.495215%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Agronomia (Genética e Melhoramento de Plantas) - FCAV; Doze diferentes genótipos de Phaseolus vulgaris (L.), popularmente conhecido como feijão-vagem, obtidos na Universidade Estadual de Goiás (UEG), Ipameri, Goiás, Brasil, foram descritos morfologicamente, citogeneticamente e palinologicamente. Os estudos morfológicos evidenciaram que a maioria das amostras analisadas é semelhante quanto à forma de germinação, forma dos cotilédones, sistema radicular e filotaxia do primeiro par de folhas. As divergências são demonstradas na forma, espessura, comprimento, largura, cor do tegumento da semente e da pigmentação da porção superior do hipocótilo que são formas de se efetivar a classificação entre os vários genótipos. As plântulas são angiospermas, dicotiledôneas, tendo raiz primária glabra, cotilédones livres, peciolados, crassos, planoconvexos, maciços e de coloração verde clara. O epicótilo é cilíndrico e levemente esverdeado. As sementes são exalbuminosas, reniformes ou cubóides, apresentam tegumento em diferentes cores, com germinação do tipo epigéia e fanerocotiledonar. O número cromossômico diplóide é 2n = 22 cromossomos para os doze genótipos. Três amostras mostraram como proposta de cariótipo a formulação 3M + 7SB + 1ST...

Caracterização fisiológica e sensibilidade de isolados de Colletotrichum lindemuthianum de feijão-vagem a fungicidas

Souza Filho, Ronaldo Caravieri de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: x, 64 f. : il. color., gráfs, tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
59.35422%
Pós-graduação em Agronomia (Proteção de Plantas) - FCA; O feijão-vagem (Phaseolus vulgaris L.) pertence à mesma família e espécie botânica do feijão comum que é cultivado no Brasil. O feijão-vagem é cultivado em cerca de 100 países, envolvendo grande número de gêneros e espécies. A antracnose incitada pelo fungo Colletotrichum lindemuthianum (Sacc. & Magn.) é uma das doenças mais importantes dessa cultura, pois causa severos danos. O presente trabalho teve por objetivo avaliar a sensibilidade in vitro e in vivo de 12 isolados de C. lindemuthianum de feijão-vagem, oriundos de diversas localidades situadas no Estado de São Paulo, a fungicidas, bem como determinar as raças fisiológicas desse fungo. A sensibilidade a fungicidas in vitro foi determinada através da aferição do crescimento micelial (12 isolados) e da germinação de conídios (4 isolados) em 5 concentrações (0, 1, 10, 100, 1000μg.mL-1) dos produtos oxicloreto de cobre + mancozeb, chlorotalonil, chlorotalonil + tiofanato metílico, tiofanato metílico, mancozeb, metiram + piraclostrobina, piraclostrobina, óxido cuproso e carbendazim foram adicionados em meio batata - dextrose - ágar (BDA) e determinadas as faixas de ED50. Para a avaliação in vivo...

Avaliação da indução de resistência no controle do crestamento bacteriano comum do feijão vagem

Vigo-Schultz, Sandra Cristina
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: iv, 78 f. : gráfs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
58.886675%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Agronomia (Proteção de Plantas) - FCA; O crestamento bacteriano comum do feijoeiro (CBCF), incitado por Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli, é responsável por expressivos danos na cultura e por reduções no rendimento e qualidade dos grãos. A preocupação com o meio ambiente e o uso indiscriminado de agrotóxicos tem impulsionado a pesquisa para a busca de métodos alternativos ao controle de patógenos em plantas. Os indutores de resistência têm se mostrado eficientes e promissores no controle de diversos patógenos de culturas. O presente trabalho teve como objetivos verificar o potencial de tinturas etanólicas de Lippia alba (erva cidreira), Lippia sidoides (alecrim pimenta), Mikania glomerata (guaco), Equisetum sp. (cavalinha) e Hedera helix (hera), óleos essenciais de Rosmarinus officinalis (alecrim) e Cinnamomum zeylanicum (canela) e de piraclostrobina e acibenzolar-S-metil no controle do crestamento bacteriano comum em feijão vagem cultivar Bragança. Esses produtos foram utilizados nos seguintes ensaios: atividade antimicrobiana in vitro (exceção ao acibenzolar-S-metil), atividade in vivo em plantas cultivadas sob condições de casa de vegetação...

Incidência, controle de doenças de feijão-vagem e anatomia e histoquímica de Phaseolus vulgaris e Vigna unguiculata resistentes e suscetíveis ao oídio (Erysiphe polygoni)

Pedroso, Caroline
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
Português
Relevância na Pesquisa
59.35422%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Fitopatologia, 2012.; A cultura do feijão-vagem é constituída principalmente por variedades da espécie botânica Phaseolus vulgaris, mas também inclui cultivos de P. lunatus e de Vigna unguiculata. Diferencia-se do feijão comum pelas características das vagens, que são consumidas verdes, normalmente maiores e apresentam reduzidos teores de fibras. No Brasil, o feijão-vagem é cultivado principalmente por pequenos produtores, em cultura tutorada, com alta demanda de mão-de-obra e baseado em métodos tradicionais de plantio e uso intensivo de insumos químicos. Apesar do amplo consumo, são poucas as cultivares de feijão-vagem disponíveis no mercado brasileiro, assim como estudos de incidência de doenças e avaliação de resistência de variedades. Estudos de métodos alternativos de controle de doenças nesta cultura são raros. Entretanto, alguns trabalhos revelaram que o nim (Azadiractha indica) tem ação fungicida, inclusive sobre o oídio (Erysiphe polygoni) em feijoeiro, mas em casa-de-vegetação. Dada a relativa carência de informações sobre as doenças incidentes no feijão vagem e seu controle, este trabalho objetivou: avaliar...

Diferentes combinações de NPK na produção do feijão-vagem em solo orgânico álico do Vale do Ribeira (SP)

Ishimura,Issao; Feitosa,Celi Teixeira; Lisbão,Rogério Salles; Passos,Francisco Antonio; Fornasier,João Baptista; Noda,Massaharu
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1985 Português
Relevância na Pesquisa
68.760835%
Objetivando-se verificar o efeito de doses de fertilizantes (0-0-0, 118-192-186, 236-384-372 e 354-576-558 kg/ha de N-P2O5-K2O respectivamente) na produção do feijão-vagem, cv. Teresópolis, desenvolveu-se um experimento na Estação Experimental de Pariquera-Açu em solo orgânico álico de alta acidez. Nas condições do experimento, verificou-se apenas resposta linear e positiva altamente significativa para os seguintes caracteres estudados: produtividade total de vagens, produtividade de vagens comerciáveis e número total de vagens. Desse modo, as maiores produtividades em peso e número de vagens, em magnitude, foram obtidas quando se utilizou a dose máxima de NPK.

Ocorrência e sintomas da mancha de Ascochyta em feijão-vagem

Tanaka,Maria Aparecida de Souza; Ito,Margarida Fumiko; Dudienas,Christina; Yuki,Valdir Atsushi
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1996 Português
Relevância na Pesquisa
68.760835%
A mancha de ascochita (Ascochyta phaseolorum Sacc.) foi identificada como uma das principais doenças do feijão-vagem (Phaseolus vulgaris L.), na região de Itatiba (SP), em levantamento realizado de abril de 1991 a março de 92. Seus sintomas são manchas foliares arredondadas, tipicamente zonadas e de tamanho variável, necrosando, às vezes, extensas áreas do limbo e provocando desfolha prematura. Associado a esse sintoma foliar, o patógeno pode causar lesões nas hastes, pecíolos e vagens, assumindo proporções severas. As lesões necróticas das hastes podem estrangula-las e provocar a morte da planta acima da região afetada. Nas vagens, as lesões tendem a ser circulares e zonadas, como as das folhas, porém os anéis concêntricos são menos evidentes. Isolamentos, características culturais e morfológicas e testes de patogenicidade permitiram diagnosticar a moléstia, que vinha sendo confundida com a mancha foliar de alternária, ou com a podridão de macrofomina, quando atacava a parte inferior da haste. A identificação do patógeno, por ter permitido o diagnóstico preciso da doença. poderá embasar o emprego de métodos adequados de controle.

Controle genético da qualidade da vagem em cruzamento de feijão-vagem e feijão-comum

Mariguele,Keny Henrique; Maluf,Wilson Roberto; Gomes,Luiz Antônio Augusto; Lopes,Marcus José Conceição; Melo,Osvânder David de
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
49.56472%
O objetivo deste trabalho foi determinar os tipos principais de ações gênicas responsáveis pela expressão fenotípica de alguns caracteres de qualidade da vagem, em cruzamento de feijão-vagem e feijão-comum. Foram avaliadas duas populações segregantes (F2 e F2:3), além das linhagens parentais. Como genitora feminina, utilizou-se a cultivar de feijão-vagem Conquista Rasteiro e, como genitora masculina, a linhagem de feijão-comum H126. Foram avaliados: comprimento da vagem, largura entre as suturas, largura das valvas, formato da vagem e teor de fibra da vagem . Os efeitos não-aditivos destacaram-se em todas as características avaliadas. Embora tenha ocorrido predominância dos efeitos genéticos sobre os ambientais, nas características comprimento e formato da vagem e teor de fibra, a eficiência da seleção em plantas individuais tendeu a ser bastante baixa nas gerações segregantes pouco avançadas, em razão dos baixos valores da herdabilidade no sentido restrito, exceto para formato da vagem. O predomínio dos efeitos genéticos sobre os ambientais em todas as características em nível de família, associado a valores de herdabilidade no sentido restrito em famílias F2:3, indica a alta eficiência para a seleção de famílias nas gerações segregantes pouco avançadas...

TEXTURA DE FEIJÃO-VAGEM (Phaseolus vulgaris L) PROCESSADO OU NÃO: EFEITO DA APLICAÇÃO DE CONCENTRAÇÕES CRESCENTES DE CÁLCIO VIA ABSORÇÃO RADICULAR

FÁVARO,Simone Palma; IDA,Elza Louko
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/1998 Português
Relevância na Pesquisa
68.760835%
Esta investigação teve como objetivo estudar o efeito do cultivo de feijão-vagem com doses crescentes de cálcio na textura das vagens antes e após processo de enlatamento. O experimento foi desenvolvido com a cultivar UEL 1, utilizando-se areia grossa como substrato. Os tratamentos constaram das seguintes concentrações de cálcio em solução nutritiva: 0, 75, 150 e 300 ppm. Foram determinados os teores de cálcio das vagens in natura, substâncias pécticas e textura das vagens in natura e processada. As concentrações de cálcio nas vagens aumentaram em paralelo à elevação dos níveis de cálcio adicionados à solução nutritiva. Os teores de pectina solúvel nas vagens in natura não diferiram entre os tratamentos. Houve um acréscimo da quantidade de pectina insolúvel em função do aumento das doses de cálcio. Após o processamento térmico ocorreu uma solubilização das pectinas. A maior concentração de pectina solúvel nas vagens enlatadas foi observada nas vagens cultivadas sem adição de cálcio na solução nutritiva. As medidas de textura demonstraram uma tendência de aumento de firmeza das vagens concomitante à elevação nos teores de cálcio antes e após o processo de enlatamento.

Produção e qualidade fisiológica de sementes de feijão-vagem em função de fontes e doses de nitrogênio

Oliveira,Ademar P. de; Pereira,Eusinia L.; Bruno,Riselane de Lucena Alcântara; Alves,Edna U.; Costa,Rubens F. da; Leal,Francisco Romeu F.
Fonte: Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes Publicador: Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2003 Português
Relevância na Pesquisa
49.246104%
Estudaram-se os efeitos da aplicação de cinco doses e três fontes de nitrogênio sobre a produção e a qualidade fisiológica de sementes de feijão-vagem, cv. Macarrão Trepador - Hortivale, no período de setembro/2000 a fevereiro/2001, no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba, em Areia. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, com os tratamentos distribuídos em esquema fatorial (3 x 5) + 1, correspondendo às fontes (nitrato de cálcio, sulfato de amônio e uréia) e doses (0, 25, 50, 75 e 100kg.ha-1) de nitrogênio, e um tratamento adicional sem adubação (testemunha), com quatro repetições. As fontes nitrato de cálcio e sulfato de amônio, na dose de 100kg.ha-1, e uréia, na dose de 55kg.ha-1 de N, proporcionaram as produções de sementes no feijão-vagem de 2.571, 3.219 e 2.221kg.ha-1, respectivamente. O nitrogênio, em todas as fontes, influenciou positivamente a germinação e o vigor (índice de velocidade de germinação e emergência em campo) da semente do feijão-vagem. As doses de 68,8 e 49kg.ha-1 de N, fontes nitrato de cálcio e uréia foram responsáveis pelos valores máximos para a porcentagem de germinação, 72 e 75%, respectivamente. Para a fonte sulfato de amônio ocorreu aumento linear da porcentagem de germinação...

Produção de sementes de feijão-vagem em função de fontes e doses de matéria orgânica

Alves,Edna U.; Oliveira,Ademar P.; Bruno,Riselane Lucena A.; Araújo,Egberto; Silva,José Algaci L. da; Gonçalves,Edilma P.; Costa,Caciana C.
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2000 Português
Relevância na Pesquisa
49.05013%
Com o objetivo de avaliar fontes e doses de matéria orgânica sobre a produção de sementes de feijão-vagem, cultivar Macarrão Trepador, instalou-se um ensaio na Universidade Federal da Paraíba no período de abril a setembro de 1998. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos casualizados, em arranjo fatorial de 4 x 5, compreendendo quatro fontes (esterco de bovino, de caprino, de galinha e húmus de minhoca) e cinco doses (0, 10, 20, 30 e 40 t/ha de esterco bovino e caprino e 0, 5, 10, 15 e 20 t/ha de esterco de galinha e húmus de minhoca), em quatro repetições. A produção máxima de sementes foi obtida com as doses de 27,66 t/ha de esterco bovino (3.555,10 kg), 20,85 t/ha de esterco caprino (3.259,56 kg) e 9,87 t/ha de esterco de galinha (2.919,00 kg/ha) e de húmus de minhoca (3.270 kg/ha). A dose mais econômica de esterco bovino foi de 25,57 t/ha, com uma receita de 1.442,55 kg de sementes/ha (R$ 4.616,16), de esterco caprino foi de 19,11 t/ha, com uma receita de 1.164,00 kg de sementes/ha (R$ 3.724,80) e de esterco de galinha foi de 5,17 t/ha, com uma receita de 177,86 kg de sementes/ha (R$ 569,15). Sob o ponto de vista da produção de sementes, a aplicação de húmus de minhoca propiciou produções acima da média nacional...

Características e rendimento de vagem do feijão-vagem em função de fontes e doses de matéria orgânica

Santos,Gilmara M.; Oliveira,Ademar P.; Silva,José Algaci L.; Alves,Edna U.; Costa,Caciana C.
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2001 Português
Relevância na Pesquisa
59.240835%
Com o objetivo de avaliar doses e fontes de matéria orgânica na cultura do feijão-vagem, cultivar Macarrão Trepador, instalou-se um experimento em condições de campo no período de julho a novembro de 1998, no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba. O delineamento experimental empregado foi blocos casualizados, em esquema fatorial 4 x 5, compreendendo quatro fontes de matéria orgânica (esterco de galinha, esterco bovino, esterco caprino e húmus de minhoca) e cinco doses, sendo 0; 5; 10; 15 e 20 t/ha de esterco de galinha; e, 0; 10; 20; 30 e 40 t/ha de esterco bovino, caprino e húmus de minhoca, em quatro repetições. Utilizaram-se parcelas com 20 plantas, espaçadas de 1,00 x 0,50 m. Os resultados indicaram que o comprimento de vagens aumentou linearmente com as doses de estercos de galinha, de bovino e de caprino. O peso médio de vagens foi influenciado apenas pelo esterco de galinha. O húmus de minhoca não exerceu efeito sobre a característica e a produtividade de vagens. O esterco de galinha na dose de 13,0 t/ha proporcionou rendimento máximo de vagens (26,3 t/ha), o esterco bovino na dose de 24,0 t/ha produziu 30,3 t/ha e o esterco caprino, na dose de 16,6 t/ha, produziu 23,0 t/ha. A análise econômica indicou a dose de 11 t/ha de esterco de galinha e de 23...

Resposta do feijão-vagem a P2O5 em solo arenoso com baixo teor de fósforo

Oliveira,Ademar P. de; Cardoso,Marinice O.; Barbosa,Luciano J.N.; Silva,José Elenilson L. da; Morais,Martival dos S.
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2005 Português
Relevância na Pesquisa
49.16086%
Avaliou-se a resposta do feijão-vagem cultivar Macarrão Trepador a doses de P2O5 em um trabalho em Neossolo Regolítico Psamítico Típico, na UFPB, em Areia, entre maio e setembro/2002. O delineamento experimental foi em blocos casualizados com cinco tratamentos (0; 100; 200; 300 e 400 kg ha-1 de P2O5), em quatro repetições. A parcela constou de 60 plantas, no espaçamento de 1,0 m x 0,20 m. O número máximo de 22 vagens por planta foi alcançado com a dose de 267 kg ha-1 de P2 O5. A dose de 252 kg ha-1 de P2O5 proporcionou a produção máxima estimada de vagens (30,13 t ha-1). Entretanto, a dose mais econômica foi alcançada com 231 kg ha-1 de P2O5, que produziu 30 t ha-1 de vagens. As doses de P2O5, com as quais obtiveram-se a máxima produção e retorno econômico quanto a produção de vagem, se correlacionam, respectivamente, com 54 e 51 mg dm-3 de P disponível no solo, obtido pelo extrator de Mehlich 1. A probabilidade para ocorrência de resposta do feijão-vagem à adubação fosfatada em solos semelhantes ao do presente estudo será minimizada quando o teor de P disponível for superior a 51 mg dm-3. Verificou-se função linear decrescente para o teor de fibra, com redução de 0,0004% de fibra para cada kg de P2O5 aplicado...

Cor de feijão vagem fresco e processado após aplicação de cálcio

Fávaro,Simone Palma; Sá,Marcela Colognesi de; Ida,Elza Iouko; Braga Neto,José Antônio
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2000 Português
Relevância na Pesquisa
69.05013%
A cor em vegetais é um dos principais atributos de qualidade observado pelo consumidor e é influenciada por características intrínsecas e de processamento. O objetivo desta investigação foi avaliar as alterações de cor de feijão vagem fresco e processado após aplicação de concentrações crescentes de cálcio via absorção radicular. O feijão vagem cultivar UEL 1 foi cultivado com aplicação de concentrações crescentes de cálcio via solução nutritiva contendo 0, 75 , 150 e 300 mL L-1 de cálcio em substrato de areia grossa. A cor das vagens ao natural e enlatadas foram avaliadas por colorimetria de três estímulos, e os resultados foram expressos no sistema Hunter. As vagens ao natural apresentaram-se mais claras e amarelas quando foi adicionado cálcio à solução nutritiva. O calor empregado no processo de enlatamento teve efeito pronunciado na redução da luminosidade e na cor verde, mesmo com o aumento na quantidade de cálcio nas vagens.

Característica e rendimento do feijão-vagem em função de doses e formas de aplicação de nitrogênio

Oliveira,Ademar Pereira de; Tavares Sobrinho,José; Souza,Adailson Pereira de
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 Português
Relevância na Pesquisa
58.924297%
Com o objetivo de avaliar doses e formas de aplicação de nitrogênio na cultura do feijão-vagem, cultivar Macarrão Trepador, instalou-se um experimento em condições de campo no período de abril a agosto de 2000, no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba. O delineamento experimental empregado foi o de blocos casualizados, em esquema fatorial 6 x 2 + 1, compreendendo seis doses de nitrogênio (0, 20, 40, 60, 80 e 100 kg/ha), duas formas de aplicação (solo e via foliar) e um tratamento-testemunha (sem adubação), em quatro repetições. Utilizaram-se parcelas úteis com 20 plantas, espaçadas de 1,00 x 0,50 m. Pelos resultados, constatou-se efeito significativo das doses e formas de aplicação de nitrogênio sobre a precocidade e a produtividade do feijão-vagem, e sobre o teor de fibra nas vagens. As doses de 21,31 kg/ha e 19,55 kg/ha de nitrogênio aplicadas, respectivamente na folha e no solo, proporcionaram plantas mais precoces, embora com início de floração mais tardio do que a testemunha. A produtividade de vagens atingiu valores máximos estimados de 29 e 28 t/ha nas doses de 54 e 55 kg/ha de nitrogênio aplicados no solo e via foliar, respectivamente. A dose de 44 kg/ha de nitrogênio aplicado no solo proporcionou o mais baixo percentual de fibra nas vagens (1...

Efeitos de doses de nitrogênio e potássio aplicadas por fertirrigação nos aspectos vegetativos de feijão-vagem.

SOUZA, A. dos S.; FEITOSA FILHO, J. C.; CAVALCANTE, L. F.; FEITOSA, H. P. da F.; PINTO, J. M.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FERTIRRIGFAÇÃO, 1.; MOSTRA DE EQUIPAMENTOS E PRODUTOS UTILIZADOS NA IRRIGAÇÃO E FERTIRRIGAÇÃO, 1., 2003, João Pessoa. [Anais...]. João Pessoa : UFPB; Embrapa Semi-Árido; Areia : CCA, 2003. 1 CD-ROM. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FERTIRRIGFAÇÃO, 1.; MOSTRA DE EQUIPAMENTOS E PRODUTOS UTILIZADOS NA IRRIGAÇÃO E FERTIRRIGAÇÃO, 1., 2003, João Pessoa. [Anais...]. João Pessoa : UFPB; Embrapa Semi-Árido; Areia : CCA, 2003. 1 CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
68.924297%
O objetivo do trabalho foi avaliar, durante os ciclos produtivos, o efeito da redução de 25% e 50% e o aumento de 25% nas doses de N e K aplicadas via fertirrigação em relação às recomendadas para adubação convencional em feijão-vagem e quantificar a relação custo/benefício com a redução ou aumento nas doses. Analisou-se oito tratamentos: T2(100% N + 100% k2 O) de forma convencional e os demais com fertirrigação T2(100% N + 50% K2 O); T7(75% N + 100% K2 O). Foram avaliados os dados da altura média das plantas; número de folhas por planta, período de florescimento, número e peso de vagem por planta, comprimento e diâmetro das vagens e produtividade total e das vagens comercial. A redução ou ampliação nas doses de N e K influenciaram apenas o período de floração com maiores valores para o tratamento convencional e menor para aquele com redução de 50% de K2 O.; 2003

Controle genético da qualidade da vagem em cruzamento de feijão-vagem e feijão-comum.

MARIGUELE, K.H.; MALUF, W.R.; GOMES, L.A.A.; LOPES, M.J.C.; MELO, O.D. de.
Fonte: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v.43, n.1, p.47-52, jan. 2008. Publicador: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v.43, n.1, p.47-52, jan. 2008.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
49.56472%
O objetivo deste trabalho foi determinar os tipos principais de ações gênicas responsáveis pela expressão fenotípica de alguns caracteres de qualidade da vagem, em cruzamento de feijão-vagem e feijão-comum. Foram avaliadas duas populações segregantes (F2 e F2:3), além das linhagens parentais. Como genitora feminina, utilizou-se a cultivar de feijão-vagem Conquista Rasteiro e, como genitora masculina, a linhagem de feijão-comum H126. Foram avaliados: comprimento da vagem, largura entre as suturas, largura das valvas, formato da vagem e teor de fibra da vagem . Os efeitos não-aditivos destacaram-se em todas as características avaliadas. Embora tenha ocorrido predominância dos efeitos genéticos sobre os ambientais, nas características comprimento e formato da vagem e teor de fibra, a eficiência da seleção em plantas individuais tendeu a ser bastante baixa nas gerações segregantes pouco avançadas, em razão dos baixos valores da herdabilidade no sentido restrito, exceto para formato da vagem. O predomínio dos efeitos genéticos sobre os ambientais em todas as características em nível de família, associado a valores de herdabilidade no sentido restrito em famílias F2:3, indica a alta eficiência para a seleção de famílias nas gerações segregantes pouco avançadas...

Característica e rendimento do feijão-vagem em função de doses e formas de aplicação de nitrogênio

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Português
Relevância na Pesquisa
58.924297%
Com o objetivo de avaliar doses e formas de aplicação de nitrogênio na cultura do feijão-vagem, cultivar Macarrão Trepador, instalou-se um experimento em condições de campo no período de abril a agosto de 2000, no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba. O delineamento experimental empregado foi o de blocos casualizados, em esquema fatorial 6 x 2 + 1, compreendendo seis doses de nitrogênio (0, 20, 40, 60, 80 e 100 kg/ha), duas formas de aplicação (solo e via foliar) e um tratamento-testemunha (sem adubação), em quatro repetições. Utilizaram-se parcelas úteis com 20 plantas, espaçadas de 1,00 x 0,50 m. Pelos resultados, constatou-se efeito significativo das doses e formas de aplicação de nitrogênio sobre a precocidade e a produtividade do feijão-vagem, e sobre o teor de fibra nas vagens. As doses de 21,31 kg/ha e 19,55 kg/ha de nitrogênio aplicadas, respectivamente na folha e no solo, proporcionaram plantas mais precoces, embora com início de floração mais tardio do que a testemunha. A produtividade de vagens atingiu valores máximos estimados de 29 e 28 t/ha nas doses de 54 e 55 kg/ha de nitrogênio aplicados no solo e via foliar, respectivamente. A dose de 44 kg/ha de nitrogênio aplicado no solo proporcionou o mais baixo percentual de fibra nas vagens (1...

Desempenho de feijão-vagem arbustivo, sob cultivo orgânico em duas épocas; Evaluation of bush snap beans under organic cropping system, during two periods

Vidal, Valdivina Lúcia; Junqueira, Ana Maria Resende; Peixoto, Nei; Moraes, Ednan Araujo
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
58.495215%
Seis genótipos de feijão-vagem arbustivo foram avaliados em Anápolis-GO, sob sistema orgânico de produção, nos períodos de outono-inverno (2002) e primavera-verão (2002/2003). Avaliou-se a precocidade, produtividade de vagens, peso e número de vagens por planta, total e comercial, peso e número de vagens com defeito (%), produtividade e peso de 100 sementes. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso, com seis tratamentos (linhagens Hab 1, Hab 19, Hab 39, Hab 46, e as cultivares Coralina e Turmalina), em quatro repetições. Todos os genótipos apresentaram maior rendimento no período de outono-inverno. As cultivares Coralina e Turmalina foram as mais precoces nos dois períodos. As maiores produtividades, total e comercial, observadas no outono-inverno foram apresentadas por 'Coralina' e linhagem Hab 39, superando 'Turmalina', mas igualaram-se às demais linhagens, enquanto que na primavera-verão 'Coralina' mostrou-se superior apenas à linhagem Hab 46. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; Six genotypes of bush snap beans were evaluated in Anápolis, Goiás State, Brazil, during autumn-winter (25th May – 13th August, 2002) and spring-summer (12th November...

Viabilidade agroeconômica da consorciação do taro com feijão-vagem indeterminado em razão da época de plantio

Vieira,Janiele Cássia Barbosa; Puiatti,Mário; Cecon,Paulo Roberto; Bhering,Aline da Silva; Silva,Geovani do Carmo Copati da; Colombo,João Nacir
Fonte: Universidade Federal de Viçosa Publicador: Universidade Federal de Viçosa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
49.38764%
A consorciação de culturas é um sistema de cultivo que tem como objetivos principais alcançar alta produtividade por unidade de área e promover a sustentabilidade do sistema de produção. Objetivou-se com este trabalho avaliar a viabilidade agronômica e a rentabilidade econômica do consórcio do taro (Colocasia esculenta) com feijão-vagem (Phaseolus vulgaris) de hábito de crescimento indeterminado. O experimento foi conduzido a campo, na horta do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Viçosa, no período de outubro/2011 a junho/2012. Constou de sete tratamentos resultantes de três cultivos consorciados do taro com feijão-vagem, estabelecidos aos 0, 21 e 42 dias após o plantio do taro, e de quatro monoculturas, sendo três do feijão-vagem, estabelecidas nas mesmas épocas dos cultivos consorciados com o taro, e de uma do taro. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, com quatro repetições. Como material propagativo, utilizou-se o clone 'Japonês' e o cultivar de feijão-vagem 'Estrela'. A determinação dos custos de produção dos cultivos foi realizada com base no custo operacional de produção. Todos os sistemas consorciados foram agronomicamente viáveis, por apresentar Uso Eficiente da Terra (UET) acima de um. Dentre esses destacam-se os consórcios do feijão-vagem com o taro implementados a 0 e 21 dias após o plantio do taro...