Página 1 dos resultados de 144 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Ensaios sobre a redução da pobreza no Brasil: mensuração e determinantes; Esays about the poverty reduction in Brazil: measuring and decomposing

Vinhais, Henrique Eduardo Ferreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2006 Português
Relevância na Pesquisa
36.45%
Este trabalho analisa a pobreza no Brasil a partir dos micro-dados dos censos demográficos do IBGE dos períodos de 1991 e 2000. Na primeira parte, investiga a construção de uma Linha Híbrida de Pobreza para o Brasil, partindo da estimação empírica da elasticidade-renda da linha de pobreza. A criação desta linha permite contemplar os diferentes aspectos das linhas de pobreza absoluta e relativa, através de uma ponderação entre elas, onde os pesos relativos de cada uma dependem da elasticidade-renda estimada. Com as linhas absoluta e híbrida de pobreza, este trabalho verifica a alteração da incidência da pobreza no período analisado e, em seguida, a mudança dos determinantes desta incidência através de um modelo probit que considera os atributos determinantes da probabilidade de um indivíduo ser pobre. Na segunda parte, este trabalho examina de forma empírica a relação entre crescimento econômico, alteração na distribuição de renda e redução da incidência da pobreza. Além disto, assumindo a hipótese de log-normalidade da distribuição de renda no Brasil, calcula as elasticidades da incidência da pobreza com relação à renda e desigualdade. Por fim, estuda o efeito de variações na renda sobre a pobreza mensurada a partir de uma linha híbrida. Entre os principais resultados...

Microfinanças no Brasil : afinal, existe um trade-off entre o foco na pobreza e a sustentabilidade financeira?

Mazzutti, Caio Cícero de Toledo Piza da Costa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.38%
A pesquisa investigou teórica e empiricamente se os programas de microcrédito são capazes de estender empréstimos para as pessoas pobres sem contar com subsídios. Para tanto, foi realizada uma extensa revisão de literatura, que abordou as características do mercado de (micro)crédito e algumas experiências internacionais inspiradas basicamente no modelo desenvolvido pelo Banco Grameen de Bangladesh. Em seguida, os argumentos referentes ao dilema explorado na dissertação foram organizados de maneira a permitir ao leitor encontrar e compreender as diferentes posições e evidências até então documentadas. Por fim, lançou-se mão de estudos de caso de quatro programas brasileiros com a intenção de evidenciar um possível dilema entre foco e sustentabilidade financeira. A constatação foi de que as instituições brasileiras têm enfrentado dificuldades nas duas frentes, já que nenhuma apresentou sustentabilidade financeira e um compromisso explícito com a redução da pobreza. De qualquer maneira, há duas ressalvas dignas de nota. A primeira é a de que a conclusão do trabalho não é definitiva. A escassez de dados dificultou sobremaneira as avaliações e, com isso, impõe muita cautela antes de qualquer conclusão sobre os programas selecionados e sobre a eficácia do microcrédito como instrumento de combate à pobreza. A segunda ressalva diz respeito à definição de pobreza utilizada nos estudos de caso. Se a pobreza for concebida como carência de oportunidades...

Impactos da educaçãona pobreza e na privação material das famílias em Portugal

Neves, Susana Paula Pereira de Faria das
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /10/2012 Português
Relevância na Pesquisa
36.41%
Mestrado em Eeconomia e Políticas Públicas; Esta dissertação tem como objetivo central analisar os impactos da educação na pobreza e na privação material das famílias em Portugal, evidenciando os canais através dos quais esses impactos se processam. Para tal, utilizaram-se os dados do Inquérito às Condições de Vida e Rendimento (ICOR), de 2010, do Instituto Nacional de Estatística (INE), a fonte oficial de estatísticas sobre a distribuição do rendimento, as condições de vida, a definição da linha de pobreza e para a estimação da taxa de pobreza. Seguindo a literatura relativa à natureza multidimensional da pobreza, iniciada por Sen, os principais referenciais teóricos desta problemática foram abordados numa tripla perspetiva: colocando os retornos monetários (rendimento) e não monetários (privação material) no centro da equação da relação entre educação e pobreza; discutindo a importância do contexto familiar na mobilidade intergeracional; sublinhando a importância de uma perspetiva multidimensional da pobreza. Discutiu-se também a relevância dos indicadores de pobreza e exclusão social definidos no âmbito da Estratégia Europeia 2020. Os resultados obtidos confirmam a heterogeneidade do efeito da educação nos diferentes percentis da distribuição do rendimento...

A criação de emprego é suficiente para combater a pobreza na União Europeia? Reflexões sobre a Estratégia de Lisboa

Silveirinha, Maria Helena dos Reis
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
36.34%
Mestrado em Economia e Políticas Públicas / JEL Classification System – I32, J08; A Estratégia de Lisboa renovada centra a aposta da União Europeia no crescimento e no emprego, para atingir uma maior competitividade, mas também para reforçar a coesão social por essa via. Nesta dissertação de mestrado em Economia e Politicas Publicas, o que se pretende analisar e se a criação de emprego constitui o factor decisivo para combater a pobreza a escala europeia. Para tal, estudou-se o percurso feito, de 1995 a 2005, pelos Estados-membros da UE15. O crescimento do emprego não parece exercer influencia estatisticamente significativa nas taxas de risco de pobreza, antes e após as transferências sociais. No domínio do emprego, apenas a taxa de desemprego de longa duração emerge como factor explicativo secundário do fenómeno da pobreza. Maior influência parece exercer o nível de escolaridade dos jovens. Contudo, o grande contributo explicativo para as taxas de risco de pobreza, antes e após as transferências sociais, e dado pelo abandono escolar precoce, associado ao crescimento do emprego e a taxa de desemprego de longa duração. Relativamente a diferenciação entre os Estados-membros, distribuídos por distintos regimes de welfare state...

A caracterização da pobreza urbana ao longo do tempo: aplicação do modelo idade-período-coorte na estimação das tendências de privações crônica e transitória no Brasil

Ribas,Rafael Perez
Fonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais Publicador: Associação Brasileira de Estudos Populacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
36.38%
Ao longo das últimas décadas, a pobreza no Brasil vem mudando seu perfil, devido, em parte, a alterações no padrão de reprodução e mortalidade da população. Da mesma forma, os desenhos de políticas sociais, especialmente de combate à pobreza, tomaram outros rumos. Nesse aspecto, a pertinência desses novos desenhos depende da natureza da condição de baixa renda, podendo ser entendida como um fenômeno permanente ou temporário e, principalmente, da tendência de mudanças nessa composição transitória-crônica (T-C). O objetivo deste trabalho é justamente analisar essa tendência, assim como o processo de incidência da pobreza urbana, em termos de mudanças ao longo do tempo e de gerações de indivíduos, projetando medidas futuras de privação na renda. Para tanto, é utilizado um modelo de idade-período-coorte (IPC) sobre a pobreza, absoluta e relativa, observada nas PNADs entre 1995 e 2003, e sobre sua composição T-C estimada. Os resultados apontam que o efeito coorte é mais expressivo do que o de período sobre a redução da pobreza recentemente, em especial de seu componente crônico. Já o componente transitório apresenta tendência de aumento ao longo do tempo.

A pobreza como um fenômeno multidimensional

Crespo,Antônio Pedro Albernaz; Gurovitz,Elaine
Fonte: Fundação Getulio Vargas/Escola de Administração de Empresas de São Paulo Publicador: Fundação Getulio Vargas/Escola de Administração de Empresas de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2002 Português
Relevância na Pesquisa
36.34%
O presente artigo tem o objetivo de contribuir para a discussão sobre a pobreza. Nesse sentido, descreve-se uma abordagem desse fenômeno cada vez mais utilizada na atualidade: a de privação de capacidades, elaborada por Amartya Sen. Tal abordagem é complementada pelos estudos de Deepa Narayan, que privilegia a visão dos próprios pobres sobre "o que é ser pobre". A fim de situar o leitor sobre as abordagens anteriores de pobreza, procurou-se apresentar uma breve descrição desse conceito e como ele evoluiu com o passar do tempo: o enfoque de sobrevivência, a concepção de necessidades básicas, a idéia de privação relativa e a tese denominada "Consenso de Washington". Em suma, por meio de uma resenha simplificada das principais abordagens e concepções da pobreza, complementadas pelos trabalhos de Sen e Narayan, objetivou-se ampliar a discussão e as informações disponíveis sobre a pobreza como um fenômeno multidimensional.

Pobreza multidimensional na região nordeste: uma aplicação da Teoria dos Conjuntos Fuzzy (em 2010)

Ottonelli, Janaína
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Economia; Economia Regional Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Economia; Economia Regional
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
36.43%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Pobreza significa privação. A privação sofrida pelas pessoas pobres normalmente está relacionada ao baixo nível de renda. Quando se trata da pobreza no Brasil, a Região Nordeste se destaca, pois em 2010 o Plano Brasil Sem Miséria apontou a existência de 9,6 milhões de extremamente pobres na região, representando 59% do total no país (BRASIL, 2011b). No entanto, a renda monetária não captura completamente as privações sofridas pelas pessoas. O conceito de pobreza tem passado por uma evolução no sentido de incluir dimensões importantes sobre a vida das pessoas. Deixou de focar apenas a privação absoluta da abordagem unidimensional e passou a considerar a privação relativa, uma abordagem multidimensional. Este estudo fundamenta-se na Abordagem das Capacitações de Sen (1981, 1985, 2000, 2001) que considera a pobreza como a privação sofrida pelas pessoas relacionada a diferentes aspectos tais como nutrição, acesso aos serviços básicos de educação, saúde, saneamento básico e, também, de liberdade. Assim, o objetivo deste estudo é investigar e mensurar a intensidade da pobreza multidimensional nos municípios da Região Nordeste através do Censo Demográfico (IBGE...

Respuestas de política a los problemas de pobreza y desigualdad en el mundo en desarrollo

Berry, R. Albert
Fonte: CEPAL - Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe Publicador: CEPAL - Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe
Português
Relevância na Pesquisa
36.38%
Incluye Bibliografía; El autor sostiene que la efectividad de los instrumentos para aliviar la pobreza depende considerablemente de cómo se defina ésta. El propósito de disminuir la pobreza absoluta implica, principalmente, una discusión del crecimiento, que ha sido la fuente principal de su reducción secular. En cambio, si se define la pobreza en términos relativos, los cambios en la desigualdad pasan a ser la fuente principal de variaciones en su incidencia. En cualquier caso, resulta central la relación entre las dos fuentes potenciales de reducción de la pobreza. El artículo reseña las implicaciones para el crecimiento y la distribución, primero, de las políticas aplicadas con propósitos de crecimiento y, luego, de aquellas con objetivos distributivos. Finalmente, considera cuáles son los instrumentos más prometedores para reducir la pobreza absoluta o la pobreza relativa y cuán sensitiva puede resultar la combinación óptima de políticas a la manera como se defina la pobreza.

Pobreza y mercado de trabajo en España

Arranz Muñoz, José María; García Serrano, Carlos
Fonte: Instituo Nacional de Estadística (INE) Publicador: Instituo Nacional de Estadística (INE)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.5%
El objetivo de este artículo es analizar la relación existente entre la situación de pobreza y ciertas características relacionadas con la situación laboral de los individuos. Para ello, se utilizan los datos españoles de la Encuesta de Condiciones de Vida (ECV) para el año 2005. Entre los principales resultados de la investigación se obtiene que estar al margen de la ocupación (parado o inactivo) está correlacionado positivamente con la probabilidad de estar en la situación de pobreza relativa o grave. Además, el tiempo que se pasa en dichas situaciones es relevante: cuanto mayor es el tiempo trabajando (parado o inactivo), menor (mayor) es la probabilidad de encontrarse en la pobreza. Finalmente, características del puesto de trabajo como tener un contrato temporal, trabajar pocas horas a tiempo parcial, en puestos manuales no cualificados, en empresas pequeñas y en sectores como el agrícola, la construcción o la hostelería son factores asociados con estar en la situación de pobreza relativa y grave.

Pobreza y pensiones en España: análisis de la influencia de las reformas de pensiones sobre la pobreza de los pensionistas; Poverty and pensions in Spain: analysis of the influence of pension reforms on poverty of pensioners

Thomas Salcines, Paula
Fonte: Universidade de Cantabria Publicador: Universidade de Cantabria
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
46.43%
RESUMEN: Las pensiones determinan la situación económica de los pensionistas y son la principal fuente de ingreso que previene su caída por debajo del umbral de la pobreza una vez que cesan los ingresos por la actividad laboral activa. El objetivo de este trabajo es realizar un análisis de la influencia de las últimas reformas llevadas a cabo en el plan de pensiones sobre la pobreza de los pensionistas en España. Se comienza explicando del concepto de pobreza, su evolución histórica y el sistema de pensiones vigente; después se procede a analizar los datos. A lo largo del tiempo se han llevado a cabo estudios acerca de la pobreza de la población y tanto economistas como sociólogos han investigado sobre el tema aportando distintos puntos de vista. El Sistema Público Español de Pensiones ha ido evolucionando de manera que se intente alcanzar no sólo un desarrollo económico sino también social para sus beneficiarios. El análisis de datos se divide en tres periodos, pertenecientes a las tres últimas reformas llevadas a cabo en el plan de pensiones, correspondientes a los años 1997, 2006 y 2011. Se comparan los resultados de cada etapa para identificar los impactos ejercidos por cada reforma sobre las tasas de pobreza de los pensionistas...

Pobreza relativa y absoluta : el caso de México (1992-2004)

Ruiz-Castillo, Javier
Fonte: Fondo de Cultura Económica Publicador: Fondo de Cultura Económica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
66.82%
Este artículo defiende que aunque la noción de pobreza absoluta aún debe ser un ingrediente esencial en la evaluación de la calidad de vida de los países en desarrollo y en transición, es hora de que la pobreza relativa comience a ser sistemáticamente estimada para esos mismos países. Esta recomendación se aplica a México durante el período 1992-2004, cuando en 2000 el gobierno de Fox determinó oficialmente por primera vez una línea de pobreza absoluta. Como en el Segundo Programa Europeo de Pobreza a fines de los años ochenta, la línea de pobreza relativa se fija en 50% de la media del gasto equivalente. Las pobrezas absoluta y la relativa se comportan de maneras opuestas durante el ciclo 1992-2000, pero ambas descienden significativamente durante el período de estancamiento 2000-2004. La pobreza relativa es mayor que la absoluta desde 1992 a 1994, menor durante 1996-1998, y mayor de nuevo en 2000-2004. En cualquier caso, la pobreza relativa en México es mucho mayor que la pobreza relativa en los países desarrollados.; This paper advocates that although an absolute notion of poverty should remain an essential ingredient in the evaluation of the standard of living in developing and transition economies, it is time that relative poverty begins to be systematically estimated for those same economies. This prescription is applied to Mexico for the 1992-2004 period...

Demografia da pobreza em Sergipe : migração, renda e caracteristicas municipais a partir dos anos 80; Demographic poverty in Sergipe : migration, income from municipal characteristics of the 80's

Kleber Fernandes de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/02/2009 Português
Relevância na Pesquisa
36.38%
O trabalho investiga a evolução da pobreza em Sergipe e as características de sua manifestação nos municípios sergipanos, a partir dos anos 80. O quadro de referência sobre o qual o estudo é desenvolvido contempla três pilares: modificações na economia sergipana, alterações na estrutura produtiva, no mercado de trabalho e na composição da renda segundo fontes e, sob uma perspectiva demográfica, as transformações na estrutura populacional de correntes da redução da fecundidade, aumento da esperança de vida e do caráter seletivo da migração. O estudo parte da constatação de que, entre 1985 e 2005, houve alívio significativo de todos os indicadores de pobreza, ao mesmo tempo em que a economia do estado atravessou um período de redução e estagnação do produto, o mercado de trabalho reproduziu o processo de desestruturação, cujas principais vertentes foram, aumento expressivo das atividades terciárias, avanço da informalidade, agravamento da desocupação e desemprego, precarização das relações de trabalho, piora na qualidade das ocupações e depreciação da renda do trabalho. Supõe, portanto, a existência de fatores demográficos fundamentais que, tão importante quanto aqueles de natureza econômica...

Determinantes de la pobreza en Isla Grande

Prieto Bustos, William Orlando
Fonte: Universidad de Medellín Publicador: Universidad de Medellín
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Article Formato: application/pdf; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
36.34%
El documento contrasta las estimaciones de un modelo de efectos fijos no lineal para la determinación de la pobreza con un modelo de efectos fijos lineal de generación de ingresos para una muestra de 136 personas utilizando un panel de datos para 2007 y 2009. Los resultados de las estimaciones sugieren la existencia de una trampa de la pobreza. El nivel educativo, el esquema de salud subsidiado, la ocupación de cuenta propia, y los contratos informales resultan significativos al explicar las variaciones en el ingreso per cápita. Asimismo, la experiencia laboral, el nivel educativo, los contratos informales, y el incremento en las actividades económicas resultan significativos explicando la pobreza. En particular, los impactos del segmento de variables de educación en la pobreza y en la generación de ingresos están limitados por la escasa demanda laboral de empleo, y la reducida importancia relativa del capital humano y la experiencia laboral en la determinación de mejores salarios.

A estabilidade inaceitável: desigualdade e pobreza no Brasil; Texto para Discussão (TD) 800: A estabilidade inaceitável: desigualdade e pobreza no Brasil; The unacceptable stability: inequality and poverty in Brazil

Barros, Ricardo Paes de; Henriques, Ricardo; Mendonça, Rosane
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
36.59%
Nas duas últimas décadas, o Brasil apresentou enorme desigualdade na distribuição de renda e elevados níveis de pobreza. Este trabalho procura descrever a situação atual e a evolução da magnitude e da natureza da pobreza e da desigualdade de renda no Brasil nesse período, estabelecendo as inter-relações causais entre essas dimensões. Procura demonstrar ainda a viabilidade econômica do combate à pobreza e justificar a importância de se estabelecer estratégias que não descartem a via do crescimento econômico, mas que enfatizem, sobretudo, o papel das políticas redistributivas que enfrentam a desigualdade. A avaliação da importância relativa da escassez de recursos e da sua distribuição na determinação da pobreza no Brasil mostra que a origem da pobreza brasileira não está na escassez, absoluta ou relativa, de recursos. Por outro lado, verifica-se que o enorme grau de desigualdade na distribuição de renda estável nas duas últimas décadas se constitui como principal determinante da pobreza no país. As simulações dos impactos do crescimento econômico balanceado e da redução do grau de desigualdade na distribuição de renda mostram que os níveis de pobreza são mais sensíveis a alterações neste último fator que no primeiro. Apesar disso...

O impacto do crescimento econômico e de reduções no grau de desigualdade sobre a pobreza; Texto para Discussão (TD) 528: O impacto do crescimento econômico e de reduções no grau de desigualdade sobre a pobreza; The impact of economic growth and reductions in inequality on poverty

Barros, Ricardo Paes de; Mendonça, Rosane
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
36.57%
Uma das principais razões pelas quais os objetivos de políticas públicas centram-se na busca do crescimento e da igualdade é o fato de que a redução no grau de pobreza requer crescimento econômico e/ou declínio no grau de desigualdade. Para determinar a sensibilidade relativa da pobreza a cada uma destas variáveis é necessário avaliar seu impacto relativo sobre o grau de pobreza. Em suma, a escolha do leque de políticas eficazes no combate à pobreza depende do conhecimento de dois parâmetros: o conjunto de políticas disponíveis, traduzidas em termos de seus impactos sobre o crescimento econômico e o grau de desigualdade, e as estimativas da importância relativa do crescimento econômico e de reduções no grau de desigualdade sobre o grau de pobreza. Estas estimativas nos informam sobre o que é desejável. Com base em estimativas recentes sobre a distribuição de renda no Brasil, definição de uma linha de pobreza, e estimativas das curvas de Lorenz para diversos países utilizados no estudo, concluímos a importância de combinarmos políticas de fomento ao crescimento econômico com políticas de redução no grau de desigualdade de renda, para atingir uma diminuição na pobreza de 20 pontos percentuais.; 17 p. : il.

Perfil da pobreza no Brasil e sua evolução no período 2004-2009; Texto para Discussão (TD) 1647: Perfil da pobreza no Brasil e sua evolução no período 2004-2009

Osorio, Rafael Guerreiro; Souza, Pedro H. G. F. de; Soares, Sergei S. D.; Oliveira, Luis Felipe Batista de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
36.43%
Este trabalho investiga, para os anos 2004 e 2009, as características e as condições de vida dos extremamente pobres (famílias de renda domiciliar per capita menor que R$ 67 em 2009), dos pobres (renda entre R$ 67 e R$ 134), dos vulneráveis à pobreza (R$ 134 a $ 465) e dos não pobres (superior a R$ 465). Os temas abordados são o tamanho de cada estrato, a composição de sua renda, a inserção da população em idade ativa no mercado de trabalho, características demográficas, educação, condição de ocupação, qualidade e saneamento das moradias, fontes de energia para iluminação e preparo dos alimentos, acesso à telefonia, posse de bens de consumo duráveis, e distribuição espacial. Também é apresentada uma classificação dos tipos de famílias mais frequentes na extrema pobreza. A primeira conclusão é que, a despeito da notável redução na pobreza extrema e não extrema, a distribuição relativa geográfica, etária, racial e educacional da pobreza pouco mudou. A segunda conclusão é que as principais mudanças no perfil da pobreza brasileira no período 2004-2009 decorrem: i) do crescimento econômico com distribuição via inclusão no mercado de trabalho; ii) dos aumentos reais do salário mínimo, que levaram à quase erradicação da pobreza extrema e até da pobreza entre famílias com idosos; e iii) da expansão da cobertura e do valor das transferências focalizadas de renda...

A trajetória do pensamento científico sobre pobreza: em direção a uma visão complexa; Texto para Discussão (TD) 1332: A trajetória do pensamento científico sobre pobreza: em direção a uma visão complexa; The trajectory of scientific thinking on poverty: towards a complex vision

Codes, Ana Luiza Machado de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
36.36%
Este trabalho se propõe a contribuir para o estudo da pobreza ao delinear a trajetória do pensamento científico sobre o tema. A questão veio a se constituir em objeto de investigação científica a partir da Revolução Industrial, quando a preocupação em medir sua dimensão e compreender as suas causas passou a atrair a atenção de pesquisadores e governantes. Desde então, as acepções sobre o problema têm evoluído, em direção a uma compreensão mais complexa sobre a matéria. À noção inicialmente cunhada – a da “subsistência”, que definia a pobreza com base no critério da renda necessária para a sobrevivência exclusivamente física do indivíduo – somaram-se outras formulações mais abrangentes. Um primeiro passo em relação à ampliação do conceito veio com a formulação das “necessidades básicas”, que instaurou a perspectiva de que a pobreza tem várias faces, manifestando-se por intermédio de diversos tipos de carências. A partir daí, desdobraram-se outras formulações, como a da “privação relativa”, centrada na noção de que a pobreza deve ser definida socialmente, e a da “privação de capacidades”, que se caracteriza por desenvolver uma reflexão de caráter mais abstrato sobre a natureza do objeto...

Privação relativa e deslocamentos da mão de obra no Brasil entre 1980 e 2010 : evolução das interações entre pobreza, desigualdade de renda e migração; Relative deprivation and labour displacements in Brazil in the period 1980-2010 : the interactions between poverty, income inequality, and migration

Lima, Ana Carolina da Cruz; Simões, Rodrigo; Hermeto, Ana Maria
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
36.52%
A análise das interações entre desenvolvimento e migração é fundamental para melhor compreenderas trajetórias de crescimento regional. O objetivo deste artigo é identificar a influência das taxas regionais de pobreza e desigualdade de renda sobre a decisão individual de migrar no Brasil entre 1980 e 2010. Para a consecução deste trabalho foram analisados microdados dos censos demográficos fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e estimados modelos de regressão logística para a condição de migração individual. Os resultados evidenciam que os deslocamentos populacionais possuem elevada inter-relação com as respectivas taxas regionais de pobreza e desigualdade. Estes indicadores funcionam como fatores de repulsão populacional ao intensificar o sentimento de privação relativa dos indivíduos, que buscam no deslocamento uma estratégia para minimizar os riscos de diminuição da renda domiciliar.; p. 7- 36

Pauperização Relativa, Desigualdade Social e a "Questão Social"contemporânea.

Meirelles, Giselle Ávila Leal de
Fonte: Temporalis Publicador: Temporalis
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares; Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2015 Português
Relevância na Pesquisa
56.55%
Este artigo procura demonstrar a importância conceitual de pobreza relativa para o escopo teórico-metodológico do Serviço Social, no que se refere à análise sobre a “questão social” na perspectiva crítico-dialética. Defendemos a tese de que os processos de acirramento da desigualdade social e de pauperização da população latino-americana e brasileira vem sendo escamoteados pela desconsideração da pobreza relativa enquanto critério necessário para a compreensão ampliada das relações sociais de produção capitalistas. O recorte metodológico da presente análise articula a precarização do trabalho e o desmonte das políticas sociais de caráter universalizante no período contemporâneo, mais especificamente na primeira década do século XXI.

Crecimiento agropecuario e incidencia de la pobreza entre hogares rurales y agro-dependientes: Cambios y permanencias

Cardeillac,Joaquín
Fonte: Agrociencia Uruguay Publicador: Agrociencia Uruguay
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
36.54%
En el Uruguay se ha instalado la idea de que el período de crecimiento económico ha permitido que la pobreza en general y en particular la pobreza en el ámbito rural ceda, alcanzando los niveles más bajos en varios años. Este trabajo se centra en los hogares rurales y agro-dependientes, profundizando el análisis de la relación entre el rendimiento económico acumulado del sector primario y la incidencia de la pobreza en las zonas rurales. El análisis se realiza en base a fuentes de datos secundarias: por un lado, se trabaja sobre las series de Producto Bruto Interno que reporta el Sistema de Cuentas Nacionales (SCN) para el período 1997-2009, y luego sobre las Encuestas de Hogares (EH) para el período de 2000 a 2009. El objetivo general del artículo es analizar las modificaciones en términos de crecimiento económico en tanto contexto para estudiar la evolución de la incidencia de la pobreza entre los hogares rurales y agro-dependientes. Las principales conclusiones son: 1. no ha habido cambios en la participación relativa de hogares con ingresos no agropecuarios entre 2000 y 2009, 2. la incidencia de la pobreza varía entre los diferentes tipos de hogares, 3. aunque los hogares rurales agro-dependientes los que están en peor situación relativa...