Página 1 dos resultados de 34 itens digitais encontrados em 0.022 segundos

Poda, raleio de frutos e uso de fitorreguladores em tangerineiras (Citrus deliciosa Tenore) cv. Montenegrina

Sartori, Ivar Antonio
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
49.122803%
Com o propósito de estudar a poda, o raleio de frutos e o uso de fitorreguladores para quebrar a alternância de produção e melhorar a qualidade físico-química dos frutos de tangerineiras ‘Montenegrina’ (Citrus deliciosa Tenore), enxertadas sobre laranjeira ‘Caipira’, em um pomar comercial de 6 anos, situado no município de Butiá-RS, realizouse dois experimentos. No primeiro, foram testados os seguintes tratamentos: A) Testemunha com planta de carga excessiva; B) Testemunha com plantas sem carga; C) Raleio manual de 66% dos frutos de plantas com carga excessiva; D) Pulverização de plantas excessivamente carregadas com 200 mg.L-1 de etefon; E) Poda de plantas excessivamente carregadas; F) Idem “E” + raleio manual de 33 % dos frutos; G) Idem “E” + pulverização com 50 mg.L-1 de 2,4-DP; H) Poda de plantas em alternância de produção (sem carga); I) Idem “H” + pulverização com 15 mg.L-1 de AG3. No outro experimento, testou-se o efeito de pulverizações de etefon nas concentrações de 200, 300, 400 mg.L-1 e Testemunha. Avaliou-se o número de frutos retidos e seu crescimento; número, massa e massa média dos frutos produzidos; qualidade química dos frutos; classificação dos frutos em primeira, segunda e terceira categoria; diâmetro e cor dos frutos e teor de substâncias de reservas das raízes. Verificou-se que a poda melhora a qualidade dos frutos...

Raleio químico de frutos em pessegueiro (Prunus persica (L.) Batsch) cultivar diamante, com etefon

Tauber, Sergio Luiz Biscardi; Marodin, Gilmar Arduino Bettio
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
38.21155%

Aplicação de ethephon no raleio químico de ameixeira e seu efeito sobre a produtividade

Pavanello,Alexandre Pozzobom; Ayub,Ricardo Antonio
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 Português
Relevância na Pesquisa
48.90214%
O raleio promove aumento no tamanho dos frutos, equilíbrio entre o crescimento vegetativo e produtivo e evita alternância da produção. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes concentrações de ethephon no raleio químico da ameixeira cv. Irati, com 4 anos de idade, sobre o porta-enxerto A-9, em espaçamento 5,0 x 2,5 m, no município de Arapoti - PR. Os tratamentos foram cinco concentrações de ethephon, 0,1; 0,125; 0,15; 0,2 mg L-1, aplicados 30 dias após a plena florada. As seguintes características foram avaliadas: número médio de frutos por ramo, número total de frutos na colheita, produção por planta, peso médio de frutos, diâmetro dos frutos, teor de sólidos solúveis, firmeza, acidez titulável, pH e coloração. O aumento na concentração de ethephon reduziu linearmente o número de frutos calibre I, calibre II e calibre III, aumentando o número de frutos de calibre IV, frutos maiores, obtidos com a concentração de 0,093 mg L-1 de ethephon . A seca ocorrida entre os meses de agosto e setembro pode ter afetado o bom desenvolvimento dos frutos.

Cianamida hidrogenada no raleio químico de flores e frutos de pessegueiros (Prunus persica, L. Batsch) cv. Eldorado

Rodrigues,Alexandre Couto; Ferri,Valdecir Carlos; Schwartz,Elisane; Fachinello,José Carlos
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1999 Português
Relevância na Pesquisa
59.228486%
O trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito da cianamida hidrogenada (CH2N2) no raleio de flores e frutos de pessegueiros do cultivar Eldorado. Utilizaram-se plantas com idade de 6 anos, conduzidas sob a forma de vaso e espaçamento de 6,0 x 4,0m, localizadas no Centro Agropecuário da Palma - UFPel. Os tratamentos (0; 0,15; 0,3; 0,45 e 0,6% de CH2N2) foram pulverizados em cobertura sobre ramos selecionados aleatoriamente, até o início de gotejamento, quando 100% das flores encontravam-se totalmente abertas. O produto comercial utilizado foi o Dormex (52% de CH2N2). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com três repetições. As variáveis avaliadas foram: percentual de flores raleadas 36 dias após a aplicação do produto e percentual de frutos raleados, peso médio, coloração, diâmetro, firmeza da polpa e sólidos solúveis totais por ocasião da colheita. A maior intensidade de raleio de flores (50,96%) foi obtida com utilização de 0,5% de CH2N2. Na percentagem de frutos raleados, observou-se valor máximo de 9,53%, utilizando-se CH2N2 a 0,6%. O peso dos frutos aumentou com o raleio químico, porém, este não interferiu nos sólidos solúveis totais, firmeza de polpa e índice de cor dos frutos.

Raleio químico na produção de tangerina 'Ponkan'

Cruz,Maria do Céu Monteiro da; Ramos,José Darlan; Moreira,Rodrigo Amato; Marques,Virna Braga
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 Português
Relevância na Pesquisa
49.096694%
A prática do raleio em tangerineira 'Ponkan' é utilizada para aumentar o tamanho da fruta e assim obter melhores preços no mercado. O trabalho foi realizado com o objetivo de testar diferentes concentrações de Ethephon sobre o raleio químico de tangerina 'Ponkan', visando a reduzir o número de frutas por planta e melhorar a uniformidade das frutas remanescentes. Foram testadas cinco concentrações de Ethephon: 0; 150; 300; 450 e 600 mg L-1, em dois estádios de desenvolvimento das frutas: 30 mm e 40 mm de diâmetro em tangerineira 'Ponkan'. Foi utilizado o esquema fatorial 5 x 2, com quatro repetições, em blocos casualizados, sendo cinco concentrações de Ethephon e dois estádios de desenvolvimento das frutas. A aplicação de Ethephon promoveu a abscisão de frutas em todas as concentrações testadas. As concentrações a partir de 300 mg L-1 apresentaram maior eficiência no raleio. As frutas remanescentes apresentaram melhor uniformidade no tamanho, e isso favoreceu maior rendimento da produção comercial da tangerina 'Ponkan'.

Rentabilidade da tangerineira 'Ponkan' submetida ao raleio químico comparada com ao manejo convencional

Cruz,Maria do Céu Monteiro; Moreira,Rodrigo Amato; Araújo,Neimar Arcanjo de
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 Português
Relevância na Pesquisa
49.72227%
A pesquisa foi conduzida em um pomar comercial, localizado no município de Perdões, região sul de Minas Gerais, com o objetivo de analisar e comparar a rentabilidade da produção da tangerineira 'Ponkan' (Citrus reticulata Blanco) submetida ao raleio químico com o manejo convencional. Para se montar a matriz de coeficientes técnicos dos custos de produção e os indicadores de rentabilidade da cultura, os dados foram obtidos com os produtores da região e baseados em trabalho de pesquisa realizado no pomar, no período de dezembro de 2006 a julho de 2008. Foram utilizadas plantas com dez anos de enxertadas sobre limoeiro 'Cravo' (Citrus limonia Osbeck). No primeiro ano, o raleio químico foi realizado com aplicação de Ethephon na concentração de 600 mg L-1,e por ocasião da colheita foi avaliado o rendimento da produção nas plantas submetidas ao raleio químico e ao manejo convencional. No segundo ano, foi determinada a alternância de produção e a produtividade. A prática do raleio químico proporcionou maior rentabilidade, em termos de produtividade da tangerina 'Ponkan', que o manejo convencional, sem a adoção do raleio.

Crescimento de tangerinas 'Ponkan' em plantas submetidas ao raleio químico

Cruz,Maria do Céu Monteiro da; Ramos,José Darlan; Moreira,Rodrigo Amato; Santos,Verônica Andrade dos
Fonte: Universidade Federal de Viçosa Publicador: Universidade Federal de Viçosa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 Português
Relevância na Pesquisa
49.424624%
Pesquisas comprovam que a relação entre o número de frutos e seu tamanho influencia o rendimento da produção e a qualidade dos frutos. Este trabalho foi conduzido com o objetivo de avaliar o desenvolvimento de tangerinas 'Ponkan', produzidas em plantas enxertadas sobre limoeiro 'Cravo', submetidas ao raleio químico com a aplicação de ethephon. As plantas foram pulverizadas com cinco concentrações de ethephon (0, 150, 300, 450, 600 mg L-1), aplicadas em dois estádios de desenvolvimento dos frutos (30 e 40 mm de diâmetro transversal). Em cada planta, foram selecionados quatro ramos, localizados nos quatro quadrantes, com apenas uma fruta, para avaliar seu desenvolvimento por meio do diâmetro transversal. O raleio químico com a aplicação de ethephon favoreceu a obtenção de tangerinas com maior tamanho. As concentrações a partir de 300 mg L-1 de ethephon foram as mais adequadas para promover o raleio da tangerina 'Ponkan', nas condições estudadas. O raleio realizado no estádio de 40 mm proporcionou a obtenção de frutos de maiores diâmetros.

EFEITO DO CARBARYL SOBRE O 'RUSSETING' DA MAÇÃ (MALUS DOMESTICA BORKH.), CULTIVARES 'GALA', 'FUJI' E 'GOLDEN DELICIOUS'

CAMILO,ANÍSIO PEDRO; DENARDI,FREDERICO
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 Português
Relevância na Pesquisa
48.90214%
O "russeting" da maçã caracteriza-se por uma camada de cortiça formada entre as células da epiderme e que dá um aspecto de rugosidade à superfície do fruto, depreciando-o para a comercialização. O raleio de frutos é uma prática cultural bastante difundida entre os produtores de maçã. Pode ser efetuada manualmente, quimicamente ou pela associação de ambos. Dentre os produtos mais usados para raleio químico, estão o ácido naftaleno acético (ANA) e o carbaryl, um inseticida carbamato, conhecido comercialmente como Sevinâ. Há duas formulações de carbaryl no mercado brasileiro, mas não existem dados de pesquisa suficientes que permitam escolher a formulação mais adequada. Há citações de que o carbaryl pode causar "russeting" em maçãs. O objetivo deste trabalho foi testar as duas formulações de carbaryl existentes no mercado, quanto ao seu efeito sobre o "russeting" nas maçãs. Os experimentos foram conduzidos em Fraiburgo e em Caçador, Santa Catarina, Brasil. Foram avaliadas duas concentrações, 500 ppm e 1.500 ppm de carbaryl. Foram testadas duas formulações, uma em pó-molhável com 85% de i.a. e outra em suspensão concentrada com 48% de i.a. Como a incidência de "russeting" varia entre cultivares...

Qualidade de frutas de tangerineira 'ponkan' submetidas ao raleio químico

Cruz,Maria do Céu Monteiro da; Ramos,José Darlan; Lima,Luiz Carlos de Oliveira; Moreira,Rodrigo Amato; Ramos,Patríciade Siqueira
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
49.292827%
Para o mercado de frutas destinadas ao consumo in natura, o tamanho é uma das principais características relacionadas à qualidade. A aplicação de Ethephon em tangerineira 'Ponkan' é realizada para promover o raleio, visando ao aumento do tamanho das frutas. Além disso, outras características relacionadas à qualidade das frutas podem ser influenciadas pela aplicação de Ethephon. O trabalho foi conduzido em pomar comercial, com objetivo de estudar o efeito do raleio químico sobre a qualidade das frutas de tangerineira 'Ponkan', enxertadas sobre limoeiro 'Cravo' (Citrus limonia Osbeck), com dez anos de idade. Foram testadas cinco concentrações de Ethephon: 0; 150; 300; 450 e 600 mg L-1, em dois estádios de desenvolvimento das frutas: 30 e 40 mm de diâmetro. Foi utilizado o esquema fatorial 5 x 2, com quatro repetições, em delineamento de blocos casualizados, sendo os fatores as cinco concentrações de Ethephon e os dois estádios de desenvolvimento dos frutos. O raleio químico, com a aplicação de Ethephon, melhorou a qualidade das frutas de tangerineira 'Ponkan'. O estádio de desenvolvimento de 40 mm mostrou-se mais adequado para a aplicação do Ethephon.

Raleio químico em macieiras 'Fuji suprema' e 'Lisgala'

Petri,José Luiz; Hawerroth,Fernando José; Leite,Gabriel Berenhauser; Couto,Marcelo
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 Português
Relevância na Pesquisa
49.712476%
O raleio químico é uma prática viável na cultura da macieira, pois permite ser realizada em curto período de tempo, reduzindo o custo de mão de obra em relação ao raleio manual. Trabalhos realizados nas principais regiões produtoras de maçãs mostram os benefícios do uso da 6-benziladenina (BA) no raleio químico. A realização de estudos com esta substância é fundamental para o aperfeiçoamento do raleio químico e posterior uso pelo setor produtivo da maçã no Brasil. Neste sentido, foram realizados quatro experimentos, objetivando avaliar a resposta da aplicação de BA, isolada ou em mistura com carbaryl e Promalin®, em diferentes épocas e concentrações, no raleio de macieiras 'Fuji Suprema' e 'Lisgala'. A aplicação de BA em maiores concentrações é efetiva no raleio de macieiras 'Fuji Suprema' e 'Lisgala'. Há uma redução na efetividade da aplicação de benziladenina em frutos com diâmetro superior a 10 mm. A concentração de BA pode ser diminuída pelo uso do carbaryl, sem comprometimento do efeito raleante.

Regularidade da produção de tangerineiras ponkan submetidas ao raleio químico bianual

Moreira,Rodrigo Amato; Moreira,Richard Celso Amato; Ramos,José Darlan; Silva,Fábio Oseias dos Reis
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 Português
Relevância na Pesquisa
48.90214%
A utilização de práticas de manejo, as quais proporcionem o desenvolvimento de frutas maiores e floração no ano seguinte, é fundamental para assegurar altas produtividades da tangerineira 'Ponkan'(Citrus reticulata Blanco). Por essa razão, o trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito do raleio químico com Ethephon, aplicado por dois anos, na regularização de produção de tangerineira 'Ponkan'. Foram testadas cinco concentrações de Ethephon: 0; 200; 400; 600 e 800 mg L-1, aplicadas após o período de queda fisiológica das frutas de tangerineira 'Ponkan', nos meses de janeiro de 2009 e janeiro de 2010, quando essas estavam no estádio de desenvolvimento de 25 a 30 mm de diâmetro transversal. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com quatro repetições e quatro plantas por parcela. Houve influência das concentrações de Ethephon no percentual de raleio, produção, alternância de produção, massa e diâmetro das frutas. A concentração de 600 mg L-1 de Ethephon aplicada por dois anos seguidos foi a mais favorável para regularizar a produção da tangerineira 'Ponkan'.

Carboidratos foliares durante a floração e os estádios iniciais de crescimento de frutilhos em tangerineira 'Ponkan'

Moreira,Rodrigo Amato; Cruz,Maria do Céu Monteiro da; Fagundes,Miriã Cristina Pereira; Pantoja,Lílian de Araújo; Santos,Alexandre Soares dos
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2014 Português
Relevância na Pesquisa
49.098276%
O objetivo deste trabalho foi avaliar os teores de carboidratos foliares em tangerineira 'Ponkan' (Citrus reticulata), durante o pleno florescimento e os estádios iniciais de crescimento dos frutilhos, e identificar a melhor época para realização do raleio químico. O experimento foi realizado durante dois anos de produção (2009/2010 e 2010/2011), com quatro épocas de amostragem de folhas: 0, 30, 60 e 90 dias após o pleno florescimento. Utilizou-se o delineamento de blocos ao acaso, com parcelas subdivididas no tempo, quatro repetições e quatro plantas por parcela. Para determinar a utilização dos carboidratos pelas plantas, foram avaliados os teores de açúcares solúveis, açúcares redutores e amido na matéria seca das folhas. Nas mesmas épocas de amostragem foliar, o tamanho dos frutilhos também foi determinado. Os teores foliares de carboidratos solúveis aumentam e os de amido diminuem entre 35 e 50 dias após o pleno florescimento. No final da fase de fixação dos frutilhos, a partir dos 50 dias após o pleno florescimento, os teores de açúcares solúveis nas folhas diminuem. A melhor época para a realização do raleio químico em tangerineira 'Ponkan' é logo após a fase de queda fisiológica, quando os frutilhos atingirem cerca de 18 mm de diâmetro...

O pessegueiro no sistema de pomar compacto: VI. Frutificação efetiva e raleio químico em seleções IAC

Barbosa,Wilson; Campo Dall'Orto,Fernando Antonio; Ojima,Mário; Santos,Rui Ribeiro dos
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1992 Português
Relevância na Pesquisa
59.096694%
Verificou-se o potencial de frutificação e o efeito da pulverização de uréia a 12%, no raleio de frutos, em cinco pessegueiros e duas nectarineiras, cultivados em pomar compacto, na Estação Experimental de Monte Alegre do Sul (22°41'S. e 46°43'W.), do Instituto Agronômico de Campinas (IAC). Dos cultivares e seleções pesquisados, 'Talismã', IAC 6782-83, IAC N 2680-91, 'Aurora-2' e IAC 282-24 apresentaram as maiores taxas de frutificação natural, a saber: 60,9; 54,2; 44,6; 41,4 e 40,0% respectivamente. A uréia a 12%, pulverizada na plena floração, mostrou-se efetiva no raleio dos frutos, reduzindo as frutificações para a faixa de 12-17%, considerada adequada para pessegueiros e nectarineiras sob altas densidades de plantio. O número médio de pêssegos e nectarinas remanescentes por ramo foi, respectivamente, de 1,1; 1,6; 1,8; 1,9; 2,0; 2,6 e 3,2 para IAC 280-28; IAC 6782-83; 'Aurora-2'; IAC 282-24; IAC N 1880-76; IAC N 2680-91 e Talismã'. A produtividade não foi prejudicada pela ação raleadora da uréia a 12%. As plantas em que permaneceram até dois frutos em média, por ramo, apresentaram produtos de melhor padrão.

Qualidade da uva 'Cabernet Sauvignon' submetida ao raleio de cachos no sistema de condução latada.

SANTOS, H. P. dos; AMARANTE, C. V. T. do; STEFFENS, C. A.; VENTURA, D. V.; MIQUELOTO, A.
Fonte: Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 9, n. 2, p. 160-168, jul.-dez. 2010. Publicador: Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 9, n. 2, p. 160-168, jul.-dez. 2010.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
39.159998%
A concorrência no mercado tem estimulado as vinícolas a melhorar o manejo das vinhas e, consequentemente, a qualidade das uvas. Dentre essas práticas está o raleio de cachos. No entanto, não existem critérios para indicar o nível de raleio adequado. Para verificar o efeito desta prática, foi conduzido um experimento em Bento Gonçalves, RS, durante os anos agrícolas de 2004/2005, 2005/2006 e 2006/2007, em videiras de 8-10 anos de idade, da cultivar Cabernet Sauvignon, enxertadas sobre Paulsen 1103, plantadas em espaçamento de 1,5 x 3 m e submetidas à poda mista, no sistema de condução latada. O raleio foi feito no início da maturação (50% de mudança de cor da baga), e os critérios utilizados para definir o número de classes de raleio testadas em cada safra foram o número máximo disponível de gemas brotadas e cachos/planta. Sendo assim, na safra 2004/2005 foram deixados 5, 10, 20 e 30 cachos por planta, em 2005/2006, 15, 25, 40, 60 e 80 cachos por planta e, em 2006/2007, 15, 25, 40 e 60 cachos por planta. Foi utilizado o delineamento em blocos casualizados, com cinco repetições de seis plantas (unidade experimental). Os dados foram analisados através de contrastes ortogonais polinomiais. Os efeitos do raleio de cachos foram mais intensos no primeiro ano (2004/2005)...

Características físico-químicas da tangerina 'ponkan' submetida ao raleio químico em relação à disposição na copa

Cruz,Maria do Céu Monteiro da; Ramos,José Darlan; Oliveira,Dili Luiza de; Marques,Virna Braga; Villar,Larissa
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2010 Português
Relevância na Pesquisa
49.098276%
As características ambientais e a exposição das plantas e frutas à insolação podem influenciar no crescimento das plantas e qualidade da produção. O trabalho foi realizado em um pomar comercial, com o objetivo de avaliar as características físico-químicas em relação à disposição na copa de frutas de tangerineira 'Ponkan', submetidas ao raleio químico. Foram avaliados quatro tratamentos, dispostos em esquema fatorial 2 x 2, no delineamento de blocos casualizados, com oito repetições. Os fatores foram as concentrações de Ethephon, 0 e 600 mg L-1 e dois quadrantes de localização das frutas na copa, leste e oeste. As frutas de tangerineira 'Ponkan', localizadas no quadrante oeste da copa, apresentaram tamanho e teor de sólidos solúveis maiores e menor acidez, quando comparadas com aquelas do quadrante leste. A aplicação de Ethephon para promover o raleio químico melhorou a qualidade das frutas de tangerineira 'Ponkan' em todas as posições analisadas na copa.

Raleio químico de frutos de ameixeira com ethephon

Pavanello,Alexandre Pozzobom; Ayub,Ricardo Antônio
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2014 Português
Relevância na Pesquisa
38.5277%
O raleio promove equilíbrio entre o crescimento vegetativo e produtivo, aumento no tamanho dos frutos e evita alternância da produção. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes concentrações de ethephon no raleio químico de frutos das ameixeiras cultivares 'Irati' e 'Reubennel', na região de Arapoti-PR. Os tratamentos foram cinco concentrações de ethephon (0, 60, 80, 100, 120 μL L-1) para cultivar 'Irati' e quatro concentrações (0, 60, 80, 120 μL L-1) para a cultivar 'Reubennel', aplicadas quando os frutos apresentavam 5 mm de diâmetro. Foram avaliados: produção por planta, massa dos frutos, calibre, teor de sólidos solúveis, firmeza, acidez titulável, pH e coloração dos frutos. Na concentração de 120 μL L-1 de ethephon a cultivar 'Irati' produziu 20 kg planta-1 e a cultivar 'Reubennel' 56 kg planta-1, apresentando quantidade satisfatória de frutos com calibre III e IV. Não houve diferença significativa entre os tratamentos para as variáveis firmeza, sólidos solúveis, pH, acidez e coloração, avaliadas na pós-colheita para as duas cultivares de ameixeira

Qualidade de tangerinas 'Ponkan' em função da regularidade no raleio químico

Moreira,Rodrigo Amato; Ramos,José Darlan; Silva,Fábio Oseias dos Reis; Costa,Ana Cláudia
Fonte: Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos/UFG Publicador: Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos/UFG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
49.64051%
Pesquisas sugerem que o raleio químico, com concentrações adequadas de fitorreguladores, deve ser utilizado por mais de um ano, a fim de melhorar a qualidade de tangerinas 'Ponkan'. Diante do exposto, o raleio químico foi aplicado por dois anos, neste estudo, com o objetivo de avaliar as características físico-químicas de tangerinas 'Ponkan' (Citrus reticulata Blanco). A avaliação foi realizada em pomar de tangerineiras com doze anos de idade, enxertadas sobre limoeiro 'Cravo' (Citrus limonia Osbeck), no espaçamento de 6,0 m entre as linhas e de 3,0 m entre as plantas. As plantas foram pulverizadas com quatro concentrações de Ethephon (200 mg L-1; 400 mg L-1; 600 mg L-1; e 800 mg L-1), após o período de queda fisiológica das frutas, quando estas estavam no estádio de desenvolvimento entre 25,0 mm e 30,0 mm de diâmetro transversal, em janeiro de 2009 e janeiro de 2010. Plantas sem pulverização foram utilizadas como controle. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com quatro blocos e quatro plantas por parcela. Houve interação entre as concentrações de Ethephon e os anos de aplicação do raleio para percentual de raleio, número de frutas, massa, diâmetro transversal e longitudinal, teores de sólidos solúveis...

Ethephon no raleio de tangerinas 'Ponkan'

Ramos,José Darlan; Cruz,Maria do Céu Monteiro da; Pasqual,Moacir; Hafle,Oscar Mariano; Ramos,Patrícia de Siqueira; Rossi,Erick Pretti
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2009 Português
Relevância na Pesquisa
59.292827%
Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito do ethephon sobre o raleio químico das frutas de tangerineira "Ponkan". O ethephon foi aplicado nas tangerineiras em dois estádios de desenvolvimento das frutas: um e dois cm de diâmetro, sendo testadas quatro concentrações: 0,0; 100; 200 e 400mg L-1. Foram utilizadas três plantas úteis por parcela, com quatro repetições, perfazendo um total de 96 plantas. A qualidade das frutas foi avaliada a prtir das características: massa fresca da fruta, diâmetro transversal e longitudinal da fruta, número de gomos, número de sementes, sólidos solúveis (°Brix), pH do suco, acidez titulável, relação sólidos solúveis/acidez (ratio) e produção. A aplicação de ethephon na concentração de 400mg L-1, no estádio de desenvolvimento de dois cm para o raleio químico da tangerineira "Ponkan" proporciona o melhor resultado com maior massa fresca das frutas, quando comparado com o resultado da não aplicação do produto.

Qualidade de regularidade da produção de tangerineira 'Ponkan' submetida ao raleio químico; Quality and yield regularity in ´Ponkan´ mandarin tree submitted to chemical thinning

Cruz, Maria do Céu Monteiro da
Fonte: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DAG - Departamento de Agricultura; UFLA; BRASIL Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DAG - Departamento de Agricultura; UFLA; BRASIL
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 02/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
49.85056%
Este trabalho foi realizado com os objetivos de testar diferentes concentrações de Ethephon no raleio químico em tangerineiras ´Ponkan´ (Citrus reticulata Blanco), enxertadas sobre o limoeiro ´Cravo´ (Citrus limonia Osbeck) e avaliar os efeitos sobre o desenvolvimento, a qualidade, a produtividade e a regularidade da produção. A pesquisa foi conduzida em pomar comercial, com 10 anos de idade, localizado no município de Perdões, região sul de Minas Gerais, no período de dezembro de 2006 a julho de 2008. Foram avaliadas cinco concentrações de Ethephon: 0; 150; 300, 450 e 600 mg L-1, aplicadas em dois estádios de desenvolvimento da fruta: diâmetro transversal de 30 mm e 40 mm. Utilizou-se o esquema fatorial de 5 x 2, distribuído em blocos casualizados, com quatro repetições. No primeiro ano após a aplicação do Ethephon, foram avaliados o desenvolvimento, a qualidade das frutas e o rendimento da produção. No segundo ano, avaliaram-se a alternância de produção, a qualidade das frutas e o rendimento da produção. O raleio químico com a aplicação de Ethephon favoreceu o desenvolvimento e melhorou a qualidade da tangerina ´Ponkan´. O raleio realizado no estádio de 40 mm proporcionou o desenvolvimento de frutas com maiores diâmetros em todas as concentrações avaliadas. O Ethephon aplicado promoveu a abscisão de frutas em todas as concentrações testadas. As concentrações a partir de 300 mg L-1 apresentaram maior eficiência no raleio. As frutas remanescentes apresentaram melhor uniformidade no tamanho...

Produção e qualidade de frutas de tangerineira ´Ponkan´ submetida ao raleio químico com Ethephon; Yield and quality of ´Ponkan´ mandarin fruits submitted to chemical thinning with Ethephon

Moreira, Rodrigo Amato
Fonte: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DAG - Programa de Pós-graduação; UFLA; BRASIL Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DAG - Programa de Pós-graduação; UFLA; BRASIL
Tipo: Dissertação
Publicado em 04/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
49.228486%
Este trabalho foi realizado com o objetivo de testar diferentes concentrações de Ethephon (ácido 2cloroetil fosfônico) em tangerineiras ´Ponkan´, com doze anos de idade, enxertadas sobre o limoeiro ´Cravo´, visando avaliar o percentual de raleio, o crescimento, a qualidade e a produção de frutas dentro e fora dos padrões comerciais. O experimento foi realizado, no período de janeiro a julho de 2009, em um pomar comercial não-irrigado, no município de Perdões, região sul de Minas Gerais. O tipo climático é Cwb, segundo a classificação de Köppen, caracterizado com verões quentes e úmidos, e invernos secos e frios. Foram testadas cinco concentrações de Ethephon: 0; 200; 400; 600 e 800 mg L-1, aplicadas quando as frutas estavam no estádio de desenvolvimento de 25 a 30 mm de diâmetro transversal. O delineamento experimental foi em blocos casualizados com quatro repetições, a parcela foi constituída de quatro plantas. Obteve-se percentual de 28,5% de raleio nas plantas pulverizadas com a concentração de 800 mg L-1 de Ethephon. Em função da abscisão foliar intensa observada nas plantas pulverizadas com 800 mg L-1 de Ethephon, a concentração de 600 mg L-1 foi a mais adequada para promover o raleio de tangerineira ´Ponkan´ nas condições estudadas...